Assembleia de motoristas decide reduzir percentual de solicitação de reajuste salarial de 14% para 12%

Fonte:
News Comunicação
Fotos: Divulgação




Durante assembleia geral realizada, em dois momentos, nesta quinta-feira (18),
os motoristas e profissionais afins que atuam no sistema de transporte da
capital, decidiram reduzir a solicitação de reajuste salarial de 14% para 12%.
Os profissionais se reuniram às 8h e às 18h, na sede do Sindicato dos
Motoristas Profissionais da PB, na Beira Rio, em João Pessoa, sob a coordenação
do presidente da entidade, Antônio de Pádua. Durante realização da primeira
mesa redonda entre patrões e empregados, no último dia 17, não houve acordo
entre as partes e nova negociação deve acontecer até o dia 29 de julho, na sede
da Superintendência Regional do Trabalho na Paraíba.

Além
de deliberarem sobre o percentual de reajuste salarial, os empregados das
empresas de transporte da capital também avaliaram outros pontos da pauta de
reivindicação do acordo coletivo 2015/2016, a exemplo do Plano de Saúde, do
Ticket Alimentação e do aumento do atual percentual que percebe o motorista que
também cobra passagens de 2% para 3%. Esse percentual é calculado sobre o
apurado total do ônibus, durante a jornada de trabalho do motorista/cobrador.
 
O
presidente do Sindicato dos Motoristas, Antônio de Pádua, tem uma expectativa
de fechar a negociação sem a necessidade de deflagração de greve. “Em João
Pessoa, temos conseguido usar o bom senso para fechar  um acordo que dê um
ganho real para os trabalhadores sem onerar exorbitantemente o custo das
empresas e apesar do atual momento, esperamos conseguir avançar nas negociações
com a classe patronal”, argumenta Pádua.
 
Segundo
o diretor institucional do Sindicato das Empresas de Transportes Coletivos
Urbanos da capital (Sintur-JP), Mário Tourinho, a contra proposta de 4% dos
empresários do setor já representa um esforço além das condições do
empresariado, tendo em vista o desequilíbrio econômico-financeiro pelo qual
passam todas as empresas de ônibus da capital, especialmente em face da
defasagem tarifária existente. “A tarifa técnica calculada pela SEMOB quando da
última recomposição tarifária, apontava um valor de R$ 2,52, e mesmo assim a
Prefeitura reduziu esse valor para R$
2,45”, argumenta Mário.

O
representante do Sintur-JP também chama atenção para o fato de cidades
similares a João Pessoa, como Aracaju e Maceió, terem tarifas maiores que a da
capital paraibana, desde o ano passado. Em Aracaju, por exemplo, o valor é de
R$ 2,70, enquanto que em Maceió é R$ 2,75 desde começo deste ano. 
Atualmente, os motoristas da capital recebem uma remuneração de R$ 1. 650,00 mais
22% de ticket alimentação. A folha de pessoal é o maior custo operacional do
sistema de transporte, seguido das despesas com  combustível.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.
Como ficariam os ônibus urbanos da Itapemirim? Relíquias do Museu da Itapemirim O amor pede passagem Busscar El Buss da Auto Viação 1001 Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 04/2021 Montagens de modelos com o layout da Nacional e Continental O Apache Vip na frota metropolitana da Grande João Pessoa O Apache Vip na frota municipal de João Pessoa Apache Vip da Util Renovação de frota na Boa Esperança