O ônibus pelo retrovisor do progresso

Fonte: Revista AutoBus
Foto: Reprodução Magazine das Nações



O ônibus vem demonstrando sua grande capacidade de se adaptar as condições de tráfego e das transformações que ocorreram nas cidades, por ser um produto flexível. Desde as primeiras máquinas, rústicas por sinal, até os mais modernos veículos, esse meio de transporte sofreu uma constante transformação em pouco mais de 120 anos. 

Este espaço destaca nesta semana a versão lotação, determinação do governo carioca para organizar os serviços de ônibus na década de 1950 na cidade do Rio de Janeiro. Sobre chassi Mercedes-Benz, importado, a carroçaria é da marca brasileira Grassi, nome precursor na história da indústria de ônibus por aqui. Alguns anos depois, em 1956, a montadora alemã chega definitivamente ao Brasil, iniciando a produção local e a trajetória de sucesso que permanece até hoje. Os caminhões L312, com meia cabine, serviram de base para os primórdios do ônibus Mercedes em escala nacional.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.
Como ficariam os ônibus urbanos da Itapemirim? Relíquias do Museu da Itapemirim O amor pede passagem Busscar El Buss da Auto Viação 1001 Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 04/2021 Montagens de modelos com o layout da Nacional e Continental O Apache Vip na frota metropolitana da Grande João Pessoa O Apache Vip na frota municipal de João Pessoa Apache Vip da Util Renovação de frota na Boa Esperança