Ônibus Paraibanos

Imagens de câmeras devem ajudar a achar suspeitos de apedrejar ônibus

Fonte:
G1 Paraíba
Fotos: Divulgação



A polícia deve utilizar gravações de estabelecimentos comerciais e prédios da
Avenida Epitácio Pessoa, em João Pessoa,
para identificar os suspeitos de causar o acidente com um ônibus coletivo que
deixou pelo menos 59 feridos na madrugada de segunda-feira (9).

O
delegado que investiga o caso, Robson Couras, afirmou que as primeiras imagens
do acidente a que ele teve acesso, feitas pelas câmeras da Superintendência de
Mobilidade Urbana (Semob) da capital paraibana, não foram suficientes para
ajudar na identificação dos suspeitos de desferir a pedrada que atingiu o
motorista do ônibus.
 
O
acidente foi registrado na madrugada de segunda-feira (9). O ônibus, que levava vários foliões após o bloco Virgens de Tambaú, um dos maiores das prévias carnavalescas de João Pessoa, ficou sem controle, invadiu o sentido oposto e bateu em uma árvore. Testemunhas contam que o acidente foi causado
por uma pedrada que acertou o motorista do coletivo e o fez perder o controle.
Ainda conforme testemunhas, os mesmos homens responsáveis por atirar as pedras
tentaram entrar no veículo para realizar assaltos.
 
As
vítimas do acidente ainda serão ouvidas pela polícia. Segundo Robson Couras, os
envolvidos na colisão não procuraram espontaneamente a delegacia. “Tivemos que
requisitar os prontuários médicos junto aos hospitais para intimar as vítimas e
fazer com que elas venham até a polícia contribuir com a investigação”,
ressaltou.
 
O
processo de intimação das testemunhas do acidente depende do envio dos
prontuários médicos por parte dos hospitais, o que não havia ocorrido até o
início da manhã desta terça-feira (10), de acordo com o delegado. Para Robson
Couras, o inquérito ainda está em fase inicial e não se pode adiantar nenhuma
informação para não prejudicar na identificação dos suspeitos.
“Nossa
investigação tem cerca de um dia apenas, estamos na fase de coletar
informações, dados que nos ajudem a avançar no processo investigativo.
Precisamos identificar o número de suspeitos, ter imagens mais claras deles,
para então cruzar com os registros do banco de dados da polícia”, completou.
 
Vítimas em estado regular

O boletim médico divulgado pelo Hospital de Trauma de João Pessoa no início da
manhã desta terça-feira (10) informava que 12 pessoas continuavam internadas,
todas em estado de saúde considerado regular, e outras sete tinham recebido
alta médica na noite de segunda-feira. O motorista do ônibus, de 38 anos, e os
dois adolescentes, de 12 e 15 anos, que tiveram fraturas nas pernas, e estavam
em estado considerado grave na segunda-feira, passaram por cirurgia e passam
bem.

Compartilhe esta matéria
ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.