Transporte intermunicipal em Sergipe é dominado pelas cooperativas

Fonte: CFO-SE
Foto: Divulgação / Rafael Avellar

O sistema de transporte público intermunicipal de Sergipe é operado atualmente
quase que em sua totalidade por cooperativas. E em se tratando de transporte de
passageiros, assim como outros Estados, Sergipe também possui “regras”
diferenciadas para empresas e cooperativas. Um detalhe pequeno e fundamental
refere-se ao número de assentos nos veículos que operam o sistema. As
cooperativas de transporte de passageiros que atuam no Estado de Sergipe até
pouco tempo eram limitadas em 28 o número de assentos nos veículos,
posteriormente esse número foi aumentado para 32 lugares. Esse seria o
principal motivo pelo qual as cooperativas de transporte utilizam somente
micro-ônibus na composição de suas frotas.

Atualmente, no Estado de Sergipe, somente três empresas de ônibus atuam no
sistema de transporte intermunicipal de passageiros juntamente com as
cooperativas, são elas: Voyage Transportes, Viação São Pedro e Rotasul
Transportes. Somente essas três podem operar com veículos maiores e que
comportam um maior número de passageiros.


Como as cooperativas são maioria, o sistema de transporte público
intermunicipal do Estado hoje é operado quase que somente por micro-ônibus.

Em termos de custos operacionais, os micro-ônibus possuem suas vantagens se
comparado ao ônibus convencional, como menor custo de fabricação e menor
consumo de combustível, dentre outras.

Contudo, um sistema de transporte intermunicipal onde principalmente existem
linhas que interligam a capital às cidades do interior e de demanda
significativa não seria interessante ser operado somente por micro-ônibus.

Recentemente o Estado de Sergipe através dos órgãos que regulamentam o sistema
de transporte autorizou o aumento no número de assentos nos ônibus que fazem as
linhas de transporte Rodoviário Coletivo Intermunicipal de Passageiros
(cooperativas). Passando de 32 para 40 lugares/assentos.

Quando esta nova regra entrar em vigor (se não já estiver vigorando), os
cooperados poderão adquirir veículos de porte um pouco maior, no entanto, pelo
histórico de renovação das cooperativas o Volare deve continuar predominante,
porém agora no modelo W-L.


Vale ressaltar que o sistema de transporte público intermunicipal de
passageiros de Sergipe possui ainda uma concorrência pública (licitação)
embargada na justiça desde 2012, que quando for finalmente concluída pode mudar
todo o cenário do atual sistema.

One Reply to “Transporte intermunicipal em Sergipe é dominado pelas cooperativas”

  1. Anônimo disse:

    Historicamente, para analisar, quando no início da década de 1960, o então governador do Estado da Guanabara, Carlos Lacerda instituiu o fim das denominadas "LOTAÇÕES", para se constituirem em empresas; que na atualidade, poderiam se transparecer com essas ditas "Cooperativas"; mas, que, principalmente, em Santiago do Chile, na década de 1980/1990, extingiu esse "tipo" de modelo, e implantou um modelo parecido ao qual já utilizava a cidade de Curitiba, no BraZil, haja vista, precisou receber uma denominação em IngRês – BRT, para que o BraZil, adotasse o modelo de Curitiba, que já atingiu o seu limite como solução de transporte Urbano de Média capacidade (NÃO menciono transporte Coletivo, pois o mesmo NÃO o é). Por fim, compreendo em como explicar a Razão da qual a Empresa BONFIM, tradicional do Estado de Sergipe, desistiu da atividade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Este conteúdo é protegido.