Tecnologia de Chassis ZF para ônibus de piso baixo

Fonte: Blog do Caminhoneiro
Foto: Gustavo Bayde
Para
responder às crescentes necessidades de mobilidade em grandes cidades, o transporte público tem de levar
um número cada vez maior de passageiros em intervalo de tempos menores. Por
isso, as empresas de transportes públicos e os urbanistas apostam cada vez mais
pelo conceito de transporte “Bus Rapid Transit” (BRT) – e por ônibus equipados
com os eixos de piso baixo da ZF. Este proporciona um transporte de passageiros
tanto rentável quanto também confortável.

“Tecnologia
ZF de piso baixo é um elemento principal na implementação do sistema BRT. A
utilização de ônibus com piso baixo dispensa a
necessidade de criar plataformas especiais de parada para BRTs, que necessita
de planejamento excessivo e é comprovadamente mais cara”, explica Andreas
Moser, Diretor da Unidade de Negócios de Sistemas de Eixos e Transmissões para
Ônibus da ZF Friedrichshafen AG. A ampliação do sistema que otimiza o tráfego
resulta em mais flexibilidade, porque os ônibus de piso baixo são usados de
forma eficiente também onde não há infraestrutura de BRT criada.
 
Os
ônibus de piso baixo facilitam o embarque e desembarque sem degraus, que se
denomina como “level boarding”, uma característica de alta comodidade para os passageiros. O corredor
central plano dos ônibus ajuda no fluxo de pessoas, bem como a segurança dos
passageiros. Também as empresas de transporte público se beneficiam pelos
menores tempos de espera nas paradas graças ao nivelamento do nível de acesso.
 
AV 133:
Nova geração de eixo para ônibus de piso baixo da ZF
 
Estas
e outras vantagens também estarão disponíveis em uma
nova geração de eixos para ônibus de piso baixo que a ZF vai introduzir em duas
etapas. Desde 2011 importantes modificações foram realizadas no eixo. Graças à
integração de funções para o console e conexões, e apesar da sua maior
capacidade de rendimento, o AV133 será mais leve do que o AV 132 estabelecido
em todo o mundo. Somente o “spring carrier” de alumínio reduz 45 quilos do
peso, o que corresponde a uma melhora de 5 % aproximadamente. Assim, o novo
sistema de eixo piso baixo para ônibus, incluindo das bolsas de ar,
amortecedores e braços de direção agora pesam somente 938 quilos. Desta
maneira, a ZF compensa com o eixo AV 133 uma parte do peso adicional do veículo
proveniente dos componentes adicionais das novas normas de emissões de
poluentes e da eletrificação do driveline. “Até o final de 2015 a segunda etapa
será realizada com a estreita cooperação dos clientes. Aqui, o foco será sobre
o aperfeiçoamento da eficiência, nível de ruído e peso”, afirma Andreas Moser.
“Somente depois dos testes realizados estamparemos o logotipo AV 133 nas placas
de identificação”, completa Moser.
 
Hoje
em dia, o novo eixo piso baixo para ônibus facilita as aplicações de carga
pesada, como nos ônibus bi-articulados, que está projetado para torques mais
altos. Isso é possível graças ao reforço dos dentes das engrenagens, do suporte
do rolamento, assim como do diferencial.
 
O
novo eixo dispõe dos mesmos pontos de fixação que o AV 132 e pode ser
facilmente integrado as plataformas de veículos existentes.
 
Nova
suspensão independe RL 82 EC para maiores cargas nos eixos
 
O
eixo dianteiro de piso baixo para ônibus RL 82 EC também foi melhorado devido a
demanda de aumento de peso por causa das exigências das novas normas do EURO 6,
bem como a eletrificação do driveline.
 
A
ZF aprimorou a suspensão independente RL 75 EC, que é um sucesso de mercado,
através de mudanças no projeto e utilização de aço de alta resistência. Com
isso, a carga aplicada no eixo dianteiro aumentou em até 700 quilos chegando ao
máximo de 8,2 tons. Além disso, o espaço de instalação não foi alterado. A nova
suspensão independente RL 82 EC pode ser instalada em todos os modelos de
veículos que circularam até agora com o modelo RL 75 EC.
 
Maior
manobrabilidade com o menos peso: suspensão independente RL 55 EC para ônibus
médios
 
O
tráfego de ônibus urbano com espaços reduzidos e a alta densidade de veículos,
ônibus pequenos desempenha um papel ainda mais importante: “As maiores exigências
de tecnologia, manipulação, segurança e conforto dos ônibus médios exigiam um
novo conceito de eixos, e que respondemos com a RL 55 EC”, disse Andreas Moser.
O desenho da suspensão independente RL 55 EC permite a utilização em veículos
com clássico piso alto, mas também em veículos com uma unidade dianteira em
forma construtiva completa de piso baixo. Em termos de economia de combustível,
a suspensão independente RL 55 EC traz vantagens, porque ela é mais leve
comparando com o eixo rígido.
Com
um elevado ângulo de giro das rodas de 55° em seu interior e de 45° em seu
exterior, a suspensão independente RL 55 EC reduz de forma considerável o
ângulo de giro em comparação ao eixo rígido. Ao mesmo tempo, também dispõe de
uma barra estabilizadora, uma excelente resistência com uma carga possível de
até 5,8 tons. Para permitir a máxima liberdade de configuração no chassi
inferior, a RL 55 EC foi desenvolvida com um desenho extremamente compacto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.
Como ficariam os ônibus urbanos da Itapemirim? Relíquias do Museu da Itapemirim O amor pede passagem Busscar El Buss da Auto Viação 1001 Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 04/2021 Montagens de modelos com o layout da Nacional e Continental O Apache Vip na frota metropolitana da Grande João Pessoa O Apache Vip na frota municipal de João Pessoa Apache Vip da Util Renovação de frota na Boa Esperança