Ônibus Paraibanos

Preço de bilhete aéreo compete com rodoviário

Fonte:
Folha de São Paulo
Foto: Adriano Minervino

Depois de seis anos, as manicures Silvana e
Aurineia Marques passaram a Páscoa com o irmão e a família em Americana (SP).

Para o reencontro, voaram de Brasília para Campinas
e gastaram R$ 1.700 em cinco passagens -as três filhas de Silvana também foram
conhecer o tio.
Pagaram R$ 172 por passagem, um pouco mais que os
R$ 154 da tarifa de ônibus convencional.
“É outra coisa”, afirma Aurineia, a única
que já havia viajado de avião.
Três anos antes, o irmão havia visitado as duas em
Brasília, mas usou ônibus. “São 12 horas em quase mil quilômetros”,
diz Silvana.
Executivos do transporte rodoviário concordam que é
difícil competir com a aviação em viagens superiores a 500 km -sobretudo pelo
tempo, pois os preços hoje são competitivos.
Mesmo assim, ainda há quem opte pelo ônibus.
José Henrique Silva, 40, desembolsou R$ 374 e
enfrentou 46 horas entre Pinheiro (MA) e Campinas para trabalhar nas obras de
ampliação de Viracopos.
“É muito tempo, mas lá não tem emprego”,
diz Silva, que viajou uma vez de avião, quando trabalhava em Belo Monte (PA) e
a empresa pagou a passagem.
Ele diz não ter pesquisado preço antes de comprar a
viagem. “Nem procurei. Acho que é mais caro.”
Com uma semana de antecedência, é possível
encontrar bilhete aéreo São Luís-Campinas por R$ 350. A viagem dura cinco
horas.
Compartilhe esta matéria
ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.