Privatizações das linhas do SETUSA

Fonte: Portal Ônibus Paraibanos

Texto: Enver José

Fotos: Acervo Paraíba Bus Team
O pessoense conta, a partir
de hoje, com um novo sistema de transporte coletivo. Para tanto, o governador
José Maranhão, o presidente da Transnacional, Agnelo Cândido e o prefeito Chico
Franca, assinaram ontem contrato de terceirização do Serviço Estadual de
Transporte Urbanos
(Setusa). “Trata-se de uma vitória da Paraíba. Além disso, os usuários
ganham um novo moderno serviço, graças a compreensão do empresariado”, frisou
Maranhão. (A União, 7 de maio de 1996)

Foi com
este discurso que o Governador do Estado da Paraíba, José Maranhão, concretizou
a terceirização do Sistema Estadual de Transporte Urbano (SETUSA). A
justificativa para ceder a concessão para as empresas privadas foi pela
incapacidade financeira do Estado em relação ao gerenciamento da empresa
estatal. O impressionante foi como ocorreu uma mudança de opinião sobre o
SETUSA no Jornal A União entre os anos de 1988 à 1996. Obviamente, com as
mudanças de gestões, o Jornal que é vinculado ao Governo do Estado também
mudava as suas opiniões.

O discurso inicial do
Governo José Maranhão era realizar leilões de ônibus para que o governo da
Paraíba arrecadasse fundos para a compra de novos veículos.
O Governo do Estado, na
tentativa de recuperar a frota do Setusa, está empreendendo uma política de
substituição de seus ônibus, que começa pela venda de 20 ônibus, através de
leilão, para que se possa adquirir novos veículos. (A União, 7 de Abril de
1995)


O contraditório da
privatização das concessões da linha do SETUSA, é que alguns anos antes, a
empresa de transporte coletivo apesar se de encontrar com uma frota bastante reduzida
(32 carros em funcionamento, os outros 18 estavam quebrados na garagem) ainda
conseguia se manter sem nenhum prejuízo e com o financiamento do Estado.
O presidente do Setusa foi contundente
ao assegurar que a empresa não gera prejuízos para o Estado. Os cofres públicos
Estaduais fornecem, atualmente, uma forma de subsídio, a quantia de 140 mil
reais, por mês. (A União, 11 de Janeiro de 1995)


As linhas
de ônibus do SETUSA foram aos poucos concedidas à iniciativa privada, com a
concretização da terceirização dos serviços em 6 de maio de 1996. Os
itinerários do SETUSA foram: 1500/5100 Circular, 2300/3200 Circular, 1001
Mandacarú, 305 Mangabeira, 601 Bessa e 002 Róger. Destas linhas, apenas uma foi
destinada à Mandacaruense, enquanto as outras 6 foram concedidas à Família
Pereira do Nascimento que é a proprietária da Reunidas, São Jorge,
Transnacional e Santa Clara. A linha 305 Mangabeira foi extinta, sendo Mangabeira
VII atualmente servido pelo 302 Mangabeira/Cidade Verde.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.
Como ficariam os ônibus urbanos da Itapemirim? Relíquias do Museu da Itapemirim O amor pede passagem Busscar El Buss da Auto Viação 1001 Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 04/2021 Montagens de modelos com o layout da Nacional e Continental O Apache Vip na frota metropolitana da Grande João Pessoa O Apache Vip na frota municipal de João Pessoa Apache Vip da Util Renovação de frota na Boa Esperança