Com o novo Torino, Marcopolo completa sua linha G7

Fonte: Mobildade em Foco

Matéria / Texto: Carlos Alberto Ribeiro

Fotos: Acervo Paraíba Bus Team
A Marcopolo, mesmo com a liderança inconteste que
desfruta nos segmentos de carrocerias urbanas e rodoviárias para ônibus, parece
não cochilar e já prepara novidades. No setor de carrocerias rodoviárias, sua liderança com a Geração 7 (G7) é
absoluta e só não vende mais devido a limitação do parque fabril, que não é
pequeno, mas opera com capacidade máxima de produção. E se fosse possível
diminuir o prazo de entrega, comportaria ainda mais pedidos na sua abarrotada
carteira de clientes. E como se não bastasse a excelência em vendas dos
rodoviários G7, a fabricante gaúcha, hoje multinacional de porte, possui 47% do
capital social da Neobus, cujas vendas vem numa curva ascendente. Sem contar as
vendas dos ônibus da Volare, outra empresa afiliada ao grupo. 

No setor de carrocerias urbanas, a Marcopolo concorre
em três frentes. Primeiro com os modelos de uma das empresas coligadas à
holding, a Caio Induscar, onde a Marcopolo detém 39% do controle acionário e
cujo o modelo Apache Vip ocupam a liderança em vendas no Brasil. E,
diga-se de passagem, são carros bem projetados, com design atraente, salão de
passageiros e cockpít do motorista bem resolvidos ergonomicamente. 

Outra frente aberta para a comercialização de
carrocerias urbanas e outros modelos dá-se com a Ciferal, cujo controle
acionário total pertence ao Grupo Marcopolo.

Mas, não contente com isso, a Marcopolo ainda
mantém no seu portfólio de produtos uma linha de ônibus para o mercado urbano,
com o modelo Torino. Este, já com alguns anos na linha de produção, já é velho
conhecido dos empresários e passageiros. Mas, ressalte-se, embora velho, mas
sempre jovem, fruto das constantes remodelações (face-lifting). 

Agora, circulam em algumas fanpages, poucas ainda,
mas já circula, em alguns sites especializados também, como o Portal Ônibus
Paraibanos ( da equipe PBT), fotos da lateral, frente e verso da nova versão do Torino. É,
parece que a Marcopolo resolveu prestigiar e investir na remodelação do seu
ônibus destinado a competir no mercado de linhas urbanas. Não sabemos
exatamente qual o nicho de mercado a que se destina o Torino, se é o mesmo do
Apache e Apache Vip, ou se ele teve seu preço majorado, bem como layout interno
mais sofisticado e, portanto, concorreria num segmento específico acima dos
carros fabricados e comercializados pela sua filiada Caio Induscar.

Talvez sim, talvez não. Poderia o Torino competir
no mesmo nicho explorado pelos “primos”, servindo apenas como complemento de
vendas cujo intuito seria reforçar a participação de mercado ocupada pelo
grupo. Pois, logo acima do Torino, há a versão Viale e Viale BRT, capacitados a
linhas de maior valor agregado e a operar em linhas de alta demanda de
passageiros. Mesmo assim, a foto não nos deixa mentir, a carroceria Torino
continua prestigiada pela direção da Marcopolo. Sinal que segue firme na linha
de produção. A foto do novo (remodelado) ônibus revela que, apesar dos 30 anos
de idade, o Torino seguirá competitivo no mercado. Nele, detalhes revelam que
na remodelação sofrida, o conceito da linha Viale BRT foi incorporado. Seria,
então, a nova linha Torino G7.

O fato é que a nova versão do Torino parece já
estar disponível para vendas e a empresa Visate, que explora uma concessão de
transporte coletivo urbano na cidade gaúcha de Caxias do Sul, mesma cidade que
sedia a matriz e principal planta industrial da Marcopolo, já tem uma ou mais
unidades do novo Torino na sua frota. Mas parece que o Brasil não foi o
pioneiro, não teve a primazia no lançamento da nova versão. Foi lançado antes
na Colômbia, pela filial da Marcopolo, a Superpolo. Lá, desde março desse ano
já está rodando na frota de algumas empresas. Foto divulgada no site da
Superpolo comprova que o Torino segue a tendência de design do Viale BRT.

28 comentários em “Com o novo Torino, Marcopolo completa sua linha G7”

  1. Bom que falam aqui como se o apache vip fosse disparado na liderança dos urbanos! Mas eu não vejo isso não. No brasil os locais que vi o apache/caio dominando foi em são paulo e goiania! No mais, torino em todo canto!

  2. Não entendo o porque da citação da liderança da Caio no mercado Urbano. Posso dar exemplos de capitais como Porto Alegre e Manaus que não possuem sequer uma versão do Apache Vip III ou até mesmo do II. São Paulo, deve claro ter Caio disparada porque a fábrica é do estado, ou seja, ecônomia; mesmo assim existem empresas em São Paulo que só compram Marcopolo ou Neobus. Ainda existem grupos que são tradicionais clientes da Marcopolo como a Pássaro Verde (GA Brasil). Enfim, excelente texto mas essa parte foi equivocada em minha opinião.

    1. E só pra constar, em números, de janeiro á agosto de 2013, os modelos urbanos respondem por 54% das unidades produzidas até agosto, mercado liderado pela Induscar, com 6 mil unidades. Nos rodoviários, com 23,5% de participação no total, a líder é a Marcopolo, com 2 mil 881 ônibus. A empresa caxiense também tem a liderança, com 1 mil 154 veículos, nos intermunicipais, responsáveis por 7,6% da produção. Nos micros, que têm 14,6% de participação nos volumes produzidos, a liderança é da Neobus, com 1,5 mil veículos.

      Fonte: Fabus

    2. Morei em Porto Alegre por mais de 10 anos e me lembro bem de ter visto sim modelos da Caio como o Apache vip rodando pela cidade!se não me engano utilizados pela empresa Carris s/a.

    3. Morei em Porto Alegre por mais de 10 anos e me lembro bem de ter visto sim modelos da Caio como o Apache vip rodando pela cidade!se não me engano utilizados pela empresa Carris s/a.

    1. Não é necessário todas as cidades do Brasil terem chassi da Caio para medir o número de carrocerias produzidas. Um grande exemplo é o Piauí com um número enorme de carrocerias Maxibus em várias empresas do estado, dando a impressão da marca ser muito forte, mas muito pelo contrário, vc só vê carrocerias da Maxibus no Piauí ou na região sul, em demais estados, ela praticamente não existe.

  3. Parabéns à Marcopolo pela designe da nova carroceria urbana, agora, só falta os empresários paraibanos comprarem esse lançamento para melhorar a frota de algumas cidades paraibanas, sobretudo, as de João Pessoa.

  4. Em Salvador a Caio caiu bastante, embora empresas que só compravam Marcopolo ou até Comil tenham comprado Caio, depois que o s22 parou de produzir, a Caio caiu feio!

    A Transportes Sol adquiriu Torino G6, pq a mesma antes só comprava o Apache s22, mas como saiu de linha a mesma voltou com a Marcopolo depois de longos anos!

  5. em joão pessoa é bem fácil que daqui há alguns anos poderá aparecer um vip III na santa maria,
    e tem mais, você tem totalmente a razão pois depois que parou de produzir o apache s22 e pra mim onde tem mais apache s22 é em recife que há vários mas só um tem led em farol traseiro,o 020 da pedrosa e nada mais,e uma coisa bem interessante o farol traseiro do novo torino parece com o novo mega plus da neobus.e eu espero que na nova renovação dos ônibus de joão pessoa em 2014 tenha alguns novos torinos e tenho certeza que ele cai bem na pintura da unitrans.

  6. Meu amigo, só corrigindo seus números: Participação da Marcopolo na Neobus é de 33% e não há participação nenhuma na Caio, até porque configuraria monopólio e a transação não seria permitida. Houve uma tentativa de formação de uma joint-venture, mas a Caio saiu fora dessa, porque os termos favoreciam mais a gaúcha do que a paulista. A fabricante do RS é conhecida por seus bons produtos, mas também pela malandragem, capacidade de passar a perna em quem precisar. O sonho da Marcopolo é derrubar a Neobus para tomar conta e se aproveitar do parque fabril, visto que no momento, a participação é mero número, ou seja, a Marcopolo não apita nada no desenvolvimento de novos produtos.
    Recentemente, o golpe aplicado, foi a baixa nos preços das carrocerias G7, afim de prejudicar o New Road e também a Comil, consequencia que pôde ser percebida na segunda principalmente, que aplicou férias coletivas devido À queda expressiva na produção em meados deste ano.

  7. Sim,por que para a surpresa dos apaixonados pelas belas então empresas citadas,a decisão de falência da Busscar foi anulada,até que em fim que vemos ainda pessoas que realmente lembra que o Brasil fabrica o verdadeiro ônibus, mesmo com dificuldade, e não só vive de marquetin e sim da qualidade durabilidade competência por ser o maior fabricante de carrocerias de ônibus nesse país,um dos que incomoda muitos e muitos,queridissimo anônimo você não esta por fora do assunto,só para inaugurar,ja pensou o Bus Star DD rodando aqui no Brasil,mitas pessoas que se dizem maior do mundo vai levar muita lambada na cara,pelo designe,nova frente e a qualidade Busscar que o Brasil e o mundo conhece,principalmente nos dds o mencado aida está para fabricar melhor que os Busscar poi ainda não vimos,assim como eu e enumeras pessoas do pais creio e vejo estas tem esperaças e fé qua a nossa Joinvillience vai vitar e se recuperar tanto que a luz apareceu no fim do tunel e aos poucos mostrar a sua competência e capacidade copetitiva e sim fazer a diferença no mercado.

  8. Sim,por que para a surpresa dos apaixonados pelas belas então empresas citadas,a decisão de falência da Busscar foi anulada,até que em fim que vemos ainda pessoas que realmente lembra que o Brasil fabrica o verdadeiro ônibus, mesmo com dificuldade, e não só vive de marquetin e sim da qualidade durabilidade competência por ser o maior fabricante de carrocerias de ônibus nesse país,um dos que incomoda muitos e muitos,queridissimo anônimo você não esta por fora do assunto,só para inaugurar,ja pensou o Bus Star DD rodando aqui no Brasil,mitas pessoas que se dizem maior do mundo vai levar muita lambada na cara,pelo designe,nova frente e a qualidade Busscar que o Brasil e o mundo conhece,principalmente nos dds o mencado aida está para fabricar melhor que os Busscar poi ainda não vimos,assim como eu e enumeras pessoas do pais creio e vejo estas tem esperaças e fé qua a nossa Joinvillience vai vitar e se recuperar tanto que a luz apareceu no fim do tunel e aos poucos mostrar a sua competência e capacidade copetitiva e sim fazer a diferença no mercado.

  9. a Marcopolo nunca teve ações na neobus e nem tão pouco na caio, quem manda em urbano no brasil e a caio e em segundo lugar a Marcopolo em terceiro a neobus em quarto mascarelo em quinto a comil a maxibus e inexistente

  10. Eu trabalhho na marcopolo do Rio.
    o Novo Torino esta uma beleza, apesar e eatar fazendo açguns acertos o onibus é lindo, designé perfeito se falar no acabamento que esta muito bom.
    No entanto que eu saiba a Marcopolo detem uma certa porcentagem da Neobus.
    Se comparar os urbanos d amarcopolo e neobus, eles se parecem muito.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.
Como ficariam os ônibus urbanos da Itapemirim? Relíquias do Museu da Itapemirim O amor pede passagem Busscar El Buss da Auto Viação 1001 Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 04/2021 Montagens de modelos com o layout da Nacional e Continental O Apache Vip na frota metropolitana da Grande João Pessoa O Apache Vip na frota municipal de João Pessoa Apache Vip da Util Renovação de frota na Boa Esperança