Ônibus Paraibanos

Tacom lança modelo de validador interativo para ônibus

Fonte: OTM Editora

Foto: Divulgação

A Tacom traz para o mercado um
novo modelo de validador que inova ao lançar o conceito de interatividade entre
os operadores, os funcionários das empresas de ônibus e os usuários. O
equipamento, chamado de CCIT 4.0, pode vincular propagandas rápidas e anúncios
institucionais, com o diferencial de poder direcionar o material para
determinado público – por meio de critérios geográficos (área de circulação de
determinada linha ou veículo) ou com base nas informações armazenadas pelo
operador sobre os usuários. 

A proposta do CCIT 4.0 é atuar
como um agente ativo dentro dos veículos, orientando motoristas e cobradores em
suas ações para evitar erros e atrasos, além de poder ser utilizado como uma
interface interativa entre a empresa e seus usuários. “O que observamos no
mercado hoje são equipamentos ultrapassados e passivos, que não estão de acordo
com as possibilidades e potencialidades de evolução dos sistemas inteligentes
de transporte (ITS). O novo validador representa uma ruptura no mercado”, disse
Marco Antônio Tonussi, diretor comercial da empresa.
O equipamento possui um design
moderno, com tela HD de sete polegadas touchscreen, que oferece à empresa
diversas possibilidades de comunicação, câmera frontal embutida – que ajuda na
prevenção de fraudes em cartões de benefícios por meio do sistema de biometria
facial CIT-Image – e engate rápido a qualquer conexão elétrica já existente. “O
validador permite maior proximidade com o usuário, possibilitando que o
operador lhe envie mensagens pessoais, por exemplo, um cumprimento de
aniversário, ou uma informação importante, como integração de linhas, horários,
tarifas e até sistema de premiação por milhagem, ou outros aspectos,
contribuindo para a fidelização dos usuários”, informou.
O CCIT 4.0 recebeu um
investimento de aproximadamente US$ 3 milhões e a expectativa da empresa é
substituir os modelos atualmente vigentes nas grandes metrópoles brasileiras,
sendo que as implantações devem começar em cerca de três meses. “Consideramos
que as cidades de Salvador, Porto Alegre, Belo Horizonte, Teresina, São Paulo e
Brasília sejam potenciais mercados iniciais para o novo CCIT e esperamos
comercializar cerca de 40 mil equipamentos nos próximos quatro anos”, disse o
diretor.
Compartilhe esta matéria
ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.