Conselho recomenda que DER cancele autorização da empresa de ônibus Santa Rita

Fonte:
Paraíba online

Foto:  Paulo Rafael Viana
Com um público em torno de 100 pessoas, foi
realizada na tarde desta quarta-feira, 16, audiência pública para discutir a
segurança, fiscalização e licitação dos transportes públicos da Capital e
região metropolitana de João Pessoa. A audiência, promovida pelo Conselho
Estadual dos Direitos Humanos (CEDH-PB), foi presidida pelo procurador da
República Duciran Farena, membro do Ministério Público Federal na Paraíba,
órgão integrante do CEDH-PB. 

Como resultado da audiência, o Conselho recomendou ao
Departamento de Estradas e Rodagem (DER/PB) que cancele a autorização da
empresa Santa Rita, no prazo de 30 dias e realize procedimento de licitação da
linha Santa Rita em 60 dias. Além disso, foi recomendado ao DER/PB que reforce
as fiscalizações ‘in loco” no prazo de 30 dias.

O Conselho também recomendou que dentro de seis meses, DER/PB e
Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de João Pessoa (Semob)
fiscalizem toda a frota da região metropolitana de João Pessoa. A Semob deve
permitir a participação popular no Conselho de Composição de Custos da Tarifa e
ainda DER e Semob devem promover auditagem no lucro auferido pelas empresas.

Segundo o procurador da República Duciran Farena, os prazos da recomendação
começam a correr a partir de hoje (16) e o CEDH vai acompanhar o cumprimento
dos itens que foram recomendados, como também atuará perante as unidades do
Ministério Público Estadual da região metropolitana de João Pessoa para que
seja elaborado um termo de ajustamento de conduta.

Pneus carecas – Cerca de 50 participantes, entre usuários do transporte
coletivo urbano e representantes de empresas, associações, órgãos e entidades,
se inscreveram para ter a palavra e expor problemas existentes nas linhas de
transportes coletivos na Capital e Região Metropolitana.

Por conta do tempo, nem todos os participantes
inscritos puderam falar, mas os que se manifestaram fizeram graves denúncias,
como ônibus trafegando sem freios, sem farol, limpeza e até com pneus carecas,
entre várias outras irregularidades.

Além do público presente, compareceram representantes de empresas de ônibus,
sindicatos, Movimento Passe Livre de Santa Rita, Procuradoria Regional dos
Direitos do Cidadão, Polícia Rodoviária Federal, Ministério Público Estadual
nos municípios da região metropolitana, DER/PB, prefeituras de João Pessoa e
região metropolitana, câmaras municipais de João Pessoa e região metropolitana,
Semob/JP e Semob de Cabedelo, Associação das Empresas de Transportes Coletivos
Urbanos de João Pessoa (AETC/JP) e Setransp.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.
Como ficariam os ônibus urbanos da Itapemirim? Relíquias do Museu da Itapemirim O amor pede passagem Busscar El Buss da Auto Viação 1001 Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 04/2021 Montagens de modelos com o layout da Nacional e Continental O Apache Vip na frota metropolitana da Grande João Pessoa O Apache Vip na frota municipal de João Pessoa Apache Vip da Util Renovação de frota na Boa Esperança