Ônibus Paraibanos

Manifestantes protestam na BR-230 contra a empresa Santa Rita

Fonte:
Portal Correio
Fotos:
Bayeux em Foco
Uma
semana depois do acidente com ônibus que matou duas pessoas e deixou cerca de 40
feridos na Capital, estudantes fecharam os dois sentidos do km 35 da
BR 101/Norte durante quatro horas e destruíram um transporte coletivo que faz
linhas de Santa Rita para João Pessoa. A manifestação reuniu centenas de
pessoas no final da tarde desta sexta-feira (4), no trecho entre o bairro de
Várzea Nova (Santa Rita) e Bayeux, na região metropolitana. O protesto foi
encerrado por volta das 20h desta sexta, após os manifestantes dialogarem com a
Polícia Rodoviária Federal e Militar. 

Os moradores reivindicaram melhorias no sistema de
transporte escolar e também nas condições dos ônibus urbanos. Segundo o
inspetor Genésio Vieira, o trânsito na BR 101/Norte ficou bastante
congestionado e os motoristas tiveram que pegar outras rotas. Muitos deles
ficaram presos no trânsito.

Durante o protesto, manifestantes queimaram pneus,
fizeram barricadas e depredaram um ônibus da empresa Santa Rita, a mesma que
teve um veículo capotado no último dia 28 de setembro. O Corpo de Bombeiros foi
acionado para conter as queimadas na pista.

O inspetor Genésio Vieira informou que foi solicitado
apoio ao Departamento de Estrada de Rodagem (DER), responsável por pistas
locais que também foram interditadas, mas o órgão ainda não deu nenhuma
resposta sobre os protestos.
Trânsito
Devido ao protesto, os engarrafamentos se estenderam
por vários pontos da BR 101/230 que corta João Pessoa. A lentidão foi
registrada das imediações da manifestação, passando pelo Acesso Oeste e seguiu
até a rotatória sob o viaduto do Cristo Redentor, na Zona Sul. A Avenida Pedro II,
que liga o Centro da cidade à Universidade Federal da Paraíba e BR 101/ 230,
também ficou congestionada.
Acidente
com ônibus
No sábado (28), um veículo da empresa Santa Rita
capotou nas imediações das Três Lagoas, no Oitizeiro, e o acidente matou duas
pessoas. Cerca de 40 passageiros ficaram feridos, sendo que dois deles continuam
internados em estado regular e outro segue em situação gravíssima, todos no
Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena.
Compartilhe esta matéria
ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.