Ônibus Paraibanos

Ônibus com mais de 13 anos ainda circulam em João Pessoa

Fonte: Portal Correio

Foto: Paulo Rafael Viana
Apesar de João Pessoa ter a frota de ônibus mais
nova do País, 4,42 anos, ainda é possível encontrar veículos com até 13 anos de
uso circulando pela Capital. Os carros mais antigos, ou seja, entre 10 e 13
anos, estão nas empresas Mandacaruense e Marcos da Silva. Juntas, elas têm 14
carros, pelo menos três com 13 anos estão em operação segundo confirmou o setor
de Vistoria Veicular da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana
(Semob). De um total de 541 cadastrados pelo órgão, 59 carros foram adquiridos
este ano, mas 44 têm mais de nove anos de uso. Quem precisa de transporte
coletivo na Capital reclamam da demora, da sujeira e também da conservação do
interior do ônibus. No Estado, o transporte deve ser fiscalizado pelo Departamento
de Estradas de Rodagens (DER) que informou que vistoria de acordo com
programação que pode ser semestralmente ou anualmente. 

Em relação ao acidente com o ônibus da empresa
Rodoviária Santa Rita que deixou 40 feridos e três mortos, no último sábado, no
viaduto das Três Lagoas, no bairro de Oitizeiro, o procurador geral do
Ministério Público da Paraíba (MPPB), Bertrand Asfora, informou que o
secretário de Estado da Segurança e da Defesa Social (Seds), Claudio Lima,
solicitou que fosse designado um promotor para acompanhar o inquérito policial.
“Tive contato com o governador e com o secretário que pediu para acompanhar o
caso”, afirmou.
Já na Capital, os usuários de coletivos reclamam da
falta de infraestrutura de alguns carros que ficam recorrentes em algumas
linhas como a 003 Jaguaribe. “Demora muito para chegar um ônibus. Já peguei um
que estava com as cadeiras quebradas. Quando passou por um quebra mola, o banco
pulou. A gente paga por um ônibus que não é bom”, reclamou a estudante Eloisa Carateu.
A aposentada Maria da Penha do Nascimento, 70, disse que não se importa com a
sujeira, mas reclama da demora. “A gente espera muito tempo”, afirmou.
Eventualidade
O diretor executivo da Associação das Empresas de
Transportes de João Pessoa (AETC JP), Mário Tourinho, explicou que o que pode
ter ocorrido é que esses carros antigos estavam circulando por eventualidade.
“Quando um quebra ou precisa de revisão é substituído e talvez esse antigo foi
colocado para circular. Isso é uma eventualidade, mas sabemos que é
lastimável”, afirmou.
A maioria dos ônibus da capital tem entre 5 e 6
anos. Segundo a Semob, 87 carros estão com essa idade. O segundo maior número
está entre 3 e 4 anos, com 83 veículos, seguido por entre 4 e 5 anos, com 69
carros.
Fiscalização
A vistoria nos ônibus intermunicipais da Paraíba é
feita pelo Departamento de Estradas de Rodagens (DER). Segundo a diretora de
Transportes, Nilza Magalhães, a frota da Região Metropolitana da Capital é mais
antiga e por conta disso, a vistoria é semestral. Já nas que circulam nos
demais municípios é feita anualmente, se a frota for nova. “A vistoria é feita
na empresa. Se o carro estiver sem condições de circular, o veículo é retirado
e notificado por um patrulheiro. A empresa é informada sobre o ocorrido”,
afirmou.
Legislação limita idade
O chefe de Fiscalização de Transporte da Semob,
Rodrigo Sávio, informou que diariamente faz fiscalização por meio de denúncias
via telefone, e-mail e outras formas de comunicação. Ele disse que a frota de
ônibus deve ser renovada a cada 10 anos conforme legislação municipal. A
vistoria ocorre nos terminais de bairros, nas empresas ou mesmo na rua,
dependendo do nível de emergência da denúncia. Segundo Rodrigo Sávio, as
fiscalizações ocorrem nos terminais de bairros e nas empresas, podendo
acontecer na rua, dependendo da denúncia e se for emergencial. É necessário que
o passageiro informe o prefixo, a linha e dia/horário que pegou o coletivo. “Já
encontramos ônibus com bancos quebrados”, afirmou. Nesse caso, é determinado o
recolhimento do carro e a empresa notificada.
O assistente administrativo do setor de Vistoria
Veicular, Washington José de Sousa Silva, informou que três carros, sendo dois
da Marcos da Silva e um da Mandacaruense, que têm 13 anos continuam circulando
pela Capital apesar de ser determinada a renovação a cada 10 anos. Segundo
Washington, 59 ônibus foram adquiridos este ano. Do total de 541 cadastrados,
267 são adaptados com plataforma de acesso.
Compartilhe esta matéria
ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.