Ônibus Paraibanos

A AETC e sua “genial” novidade no acesso à integração do Varadouro

Fonte:
Portal Ônibus Paraibanos
Matéria/Texto:
Paulo Rafael Viana
Num
claro passo para trás em sua decisão unitária, a AETC JP esclareceu como
passará a ser o acesso dos usuários que pagam a tarifa em dinheiro ao terminal
de integração do Varadouro, localizado em frente à rodoviária de João Pessoa. Não
esclareceram tão bem, já que cada parte da AETC diz uma coisa: os funcionários
do TIV dizem que não vai poder entrar, as faixas nas grades também diziam, já
numa reportagem de um telejornal local disseram que vai entrar pagando em
dinheiro, porém ganhará o cartão, e no Facebook eles dizem que poderá entrar
pagando em dinheiro, mas o cartão tem que ser devolvido. No último sábado (31) publicamos uma matéria exibindo as faixas que a associação dos empresários de coletivos
pessoenses colocaram nas grades da integração, anunciando a entrada somente com
cartões Passe Legal. De lá para cá as coisas parecem não terem saído como
estavam sendo planejadas pela associação, felizmente. Saibam mais aqui!

A
AETC JP respondeu através do Facebook, esclarecendo como será feito o acesso de
quem paga em dinheiro, deixando claro que não será proibido entrar por lá
pagando em dinheiro: “Será possível a entrada com dinheiro, que será
revertido em cartão. O processo agora vai ser assim: Usuário sem cartão
(Pagante em dinheiro) > Paga > Recebe cartão > Passa cartão >
Devolve cartão”
.
Em
uma matéria publicada do Portal G1 Paraíba, que pode ser vista clicando aqui, a
reportagem da TV Cabo Branco foi atrás desse absurdo de proibição e a AETC
esclareceu algumas coisas, porém, claro como sempre, sem dar o braço a torcer.
Nem se deram ao “trabalho trabalhoso” de dizer “pedimos
desculpas aos usuários por esse nosso equívoco”
. Não, não; muito pelo
contrário! Se deram ao trabalho de se justificarem e jogarem o sabugo na mão
dos usuários.
Na
matéria do G1 Paraíba, começa dizendo: A
partir desta quinta-feira (5), o acesso ao Terminal de Integração do Varadouro
será feito apenas com o Passe Legal. A iniciativa da AETC é para complementar a
utilização do sistema de bilhetagem eletrônica que preconiza, mediante o uso do
cartão eletrônico, dar mais velocidade ao embarque dos passageiros e também
oferecer mais segurança nas viagens mediante a redução do uso de dinheiro nos
ônibus.”
Ora, que diferença vai fazer em relação à segurança e
agilidade no acesso com essa mudança? Pelo que foi dito pela AETC, o usuário
que antes daria o dinheiro ao funcionário do guichê, o funcionário liberava a
catraca e o usuário ia embora “feliz da vida” agora não será mais…
o usuário terá que dar o dinheiro ao funcionário do guichê, que ao invés de
liberar a catraca e deixar o usuário passar, dará um cartão a ele, que terá que
passá-lo no validador e… DEVOLVER O CARTÃO! (Através da resposta da própria
AETC através do Facebook, imagem ao lado para comprovar, cliquem para ampliar)
Aí que perguntamos… no que esse processo irá oferecer mais
segurança, já que o dinheiro continuará com o bilheteiro? E no que esse
processo vai oferecer mais agilidade ao usuário, que ainda terá que esperar um
cartão, passar no validador e devolver o cartão pra poder ir embora, ou
supostamente, “ganhar esse cartão”?
E ele, mais uma vez, Mário Tourinho, o diretor institucional
vitalício da AETC JP, solta uma de suas pérolas para o povo. Segue a declaração
resumida do próprio: “Com essa iniciativa, a AETC constatou que em apenas um
dia já foram confeccionados quase 500 novos cartões da bilhetagem. Esse
quantitativo mostra que tem muita gente ainda acomodada com o pagamento da
passagem em dinheiro, causando um chamariz para serem assaltados nos ônibus”
.
É isso aí que vocês leram, gente acomodada, usuários
acomodados. Deu pra entender? A culpa dos ônibus serem assaltados é de vocês,
seus acomodados! Quem mandou não fazerem o Passe Legal? Se vocês tivessem feito
não teríamos assalto nos ônibus, afinal, quando assaltantes fazem seus crimes
nos ônibus eles levam apenas o dinheiro que está na gaveta do cobrador ou
motorista-dupla-função?
CLARO QUE NÃO, Tourinho! Todos sabemos e estamos cansados de
ver nos noticiários que “ladrões assaltaram um ônibus da empresa X na
linha Y, levando o dinheiro que estava com o cobrador e OS PERTENCES DOS
PASSAGEIROS”
. Passageiros esses que jamais serão ressarcidos. O dinheiro
do ônibus é o de menos valor, o que os ladrões mais querem são celulares,
joias, carteiras, tablets, bolsas, etc. Quando assaltam ônibus, raramente vão
embora apenas com o dinheiro da empresa, que numa hora dessas é o que menos
importa, pois aproveitam a situação e fazem logo um arrastão com todo mundo que
tiver dentro.
Se você acha que parou por aí, tem mais um trecho da
reportagem do G1 Paraíba… “Indagado se essa iniciativa pode provocar
questionamentos da opinião pública, o diretor da AETC lembra que esse
procedimento tem o mesmo sentido dos acessos a cinemas, teatros, shows,
estádios, etc. “Quando a pessoa vai a esses lugares precisa comprar um
ingresso, não adianta querer entregar o dinheiro ao porteiro destes locais
porque eles só permitem a entrada mediante a apresentação do ingresso. No caso
do Terminal de Integração do Varadouro, o ingresso é o cartão”, destaca Mário.
Na boa? Mas na boa mesmo?! Nunca vi uma comparação tão tosca
quanto essa de comparar o acesso a um terminal de ônibus com um cinema, teatro,
etc. Claro que não pode pagar o cinema ao porteiro! Porém nosso amigo Mário
Tourinho esquece que o mesmo cinema que não se pode pagar ao porteiro dispõe de
uma bilheteria para serem comprados os ingressos, e nessa bilheteria se aceita
dinheiro como forma de pagamento para poder assistir seu filmezinho na telona.
Sem falar que cinema é uma coisa supérflua, diferente de transporte que é um
direito constitucional, direito do cidadão garantido por lei federal.
E para finalizar, o último trecho da reportagem do G1: ““Quanto
menos circular dinheiro nos ônibus, mais segurança teremos, pois isso inibirá,
naturalmente, os assaltos. Além disto, só com o cartão eletrônico Passe Legal o
passageiro conta com o benefício da integração temporal”, finaliza Mário.
Novamente a culpa dos assaltos sendo jogada nos usuários que
pagam em dinheiro. Vamos ser realistas, Mário. A culpa de tantos assaltos nos
ônibus não é do povo que paga em dinheiro. A culpa é do poder público que não
oferece a segurança necessária para a população; a culpa é das leis do nosso
país que, mesmo quando alguém é preso, pouco tempo depois é solto sob qualquer
justificativa, voltando para as ruas para praticar mais assaltos; a culpa é sua
também, sim, sua e de seus associados. Cadê as câmeras em todos os ônibus?
A grosso modo falando, praticamente nem metade da frota de
João Pessoa é filmada por câmeras de segurança, e falta de dinheiro para
instalar essas câmeras não é. As câmeras que tem atualmente são claramente
usadas apenas para vigiar o trabalho dos funcionários do sistema: ver se esse
cobrador tá girando a roleta do pagamento daquela gestante, ver se aquele
motorista tá deixando entrar gente de graça, ver se o cobrador tá deixando
gente descer por trás na Lagoa e ficando com o dinheiro, enfim! Em caso de dúvida, basta consultar qualquer funcionário do sistema. Se ao contrário
fosse, toda frota seria filmada.
É fácil de perceber que o objetivo de tanto incentivo para o
uso do Passe Legal não é “beneficiar a população e evitar assaltos”. Mesmo
que nem sequer exista um centavo na gaveta do cobrador, e não tenha a devida segurança pública, sempre irão acontecer
assaltos, pois como dissemos e podemos repetir, os assaltos tem bem mais
interesse em levar o celular, carteira e bolsa do usuários que o dinheiro da
empresa; vão acontecer sempre até haver uma segurança pública de vergonha para
proteger e beneficiar de verdade a população. Quando todo mundo estiver pagando só através de cartão, só quem vai perder são os passageiros que terão apenas seus bens roubados. Mas a AETC provavelmente deve esperar que os bandidos não tenham a ideia de roubar o validador também de repente, só por pirraça, e assim levar toda a renda virtual da empresa…
Queremos muito estar enganados, mas temos certeza que se
houvesse uma lei federal bem rígida onde, em caso de assaltos, as empresas
tivessem a OBRIGAÇÃO de ressarcir os usuários integralmente, com certeza o
discurso de alguns sobre de quem é a culpa dos assaltos nos ônibus seria bem
diferente. Com certeza haveria mais cobrança por parte dos “grandões”
em cima do poder público por mais segurança pública, afinal, estaria sendo atingindo
seus majestosos lucros.
Além disso, e que também desejamos estar enganados, mas é claro mais um objetivo de tanto incentivo para uso do Passe Legal: incentivar o não-uso do dinheiro, para assim não precisar de cobrador, “desgerando” empregos e gerando mais lucro, já que é menos salário para se pagar, menos ticket, menos décimo-terceiro, menos férias, menos FGTS, menos tudo. Só esperamos que em caso de uma redução no quadro de funcionários, seja reduzida a tarifa, já que os custos diminuem na lendária planilha de custos, obviamente.
Compartilhe esta matéria
ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.