AETC-JP quer proibir acesso no terminal de integração do Varadouro de quem paga em dinheiro

Fonte: Portal Ônibus
Paraibanos
Matéria/Texto: Paulo
Rafael Viana
Colaboração: Alisson
Pereira / Thiago Souza
Fotos: Thiago Souza /
Alisson Pereira / Reprodução Facebook
Às vezes quando olhamos
para certas coisas no transporte público que usamos praticamente todos os dias,
nos perguntamos: o que se passa na cabeça de quem gere esse “troço”?
A mais nova pérola do momento quem dá para a população de João Pessoa, cidades
da região metropolitana e pessoas de outros lugares, que chegam através da
rodoviária, é a Associação das Empresas de Transportes Coletivos de João
Pessoa, mais conhecida pela sigla AETC-JP e sua logomarca de seta. A mais nova
“revolução” que eles inventaram para os usuários é simplesmente
proibir a entrada no terminal de integração do Varadouro de quem paga a tarifa
em dinheiro. Saibam mais aqui!

Desde o começo dessa
semana que uma coisa nos chamou a atenção… nessa foto acima podemos ver uma
faixa, apenas uma das faixas que foram colocadas nas grades que cercam o
terminal de integração do Varadouro, um dos únicos terminais integrados e o
principal da cidade, localizado exatamente na frente do terminal rodoviário
Severino Camelo, a rodoviária de João Pessoa. Lendo o que está escrito nessa faixa só dá pra entender uma coisa: só vai poder entrar somente com cartões, logo, pagando em dinheiro não vai ter acesso.
E é ao ver essa faixa que
nos fazemos a pergunta que foi dita no começo dessa matéria: o que se passa na
cabeça de quem gere esse sistema? É sério que esse pessoal gestor de transporte
tem a errônea conclusão que todo mundo tem um cartão passe legal, assim como
todo mundo tem certidão de nascimento e impressão digital? E quem não tiver o
passe legal vai ficar na rua? Ou vai ter que ser obrigado a perder um tempinho
para fazer esse magnifico cartão para poder tentar ter acesso ao terminal
integrado?
Outra faixa em outra parte da grade
É fácil ver filas do lado
de fora da integração nas bilheterias de acesso com pagamento em dinheiro.
Filas longas muitas vezes. Usuários que moram em cidades como Bayeux, Santa
Rita, Cabedelo, Alhandra e Conde, além de usuários que moram em cidades mais do
interior, como Rio Tinto, Sapé, Mamanguape, Cruz do Espírito Santo e até
Campina Grande. Sem falar em visitantes e turistas vindos de Recife, Natal,
Fortaleza, Salvador, São Paulo, Rio de Janeiro, etc, afinal, a rodoviária é
exatamente na frente da integração. Será que todas essas pessoas realmente tem
e trouxeram seu passe legal nas suas belas malas?
Ô AETC, vamos pensar
melhor antes de decidir essas coisas; decidir por si só, afinal não temos
conhecimento de que usuários foram consultados sobre essa decisão. Se os postos
de venda de cartões em sua maioria fecham às 16h, e nos sábados e domingos não
funcionam, como ficarão todos os usuários que não tem o cartão? Eles teriam que
subir, de noite, passando por aqueles lugares esquisitíssimos pra poder pegar um
ônibus. E ainda sem saber aonde, pois por lá não possui nenhum informativo
sobre quais linhas passam e param por ali. Essa decisão equivocada com certeza
ira prejudicar muita gente…
Questionada através de sua
página oficial no Facebook, a AETC respondeu e agradeceu pelo contato.
Aproveitamos para agradecer também por ao mínimo terem respondido e dado uma
satisfação. Responderam tanto a mim como ao Alisson Pereira, confiram nas
imagens abaixo:

Respondeu, porém das duas,
uma: ou estão se contradizendo ou então estão dando um passo pra trás nessa
nova ideia deles. Além dessas suposições, pode ser que tenha havido um erro
grotesco na escrita das faixas; suposição essa bem improvável, afinal seria uma
tremenda falta de responsabilidade de quem revisou as faixas antes de as
colocar nas grades. Aliás, será que alguém as revisou?
A própria AETC respondeu que não será proibido o pagamento em dinheiro, pois este é um direito por lei. Logo, se alguém a partir do dia 5 de setembro for privado de ter acesso à integração porque ia pagar a passagem em dinheiro, é simples: entrem pelo portão de entrada ou pelo de saída dos ônibus, afinal, ninguém pode ser privado de ter acesso ao transporte só porque uma associação de empresas privadas de transporte coletivo não quer aceitar mais dinheiro. Incentivar o uso do cartão é uma coisa, proibir o pagamento em dinheiro é outra coisa. Dar direito à gratuidade ninguém quer dar, né…
Por que a AETC não faz como é em Joinville, em Santa Catarina? Por exemplo, a passagem em dinheiro seria R$ 2,20, mas quem for pagar no cartão, a passagem seria descontada no validador por R$ 1,80. Que tal? Nada mais justo diminuir o preço da tarifa, afinal, se estão cada vez mais acabando com os empregos de cobradores, com a justificativa da bilhetagem eletrônica, os incessantes custos das empresas diminuem logicamente, já que é menos folha de pagamento, menos FGTS para ser depositado, menos vale alimentação, menos plano de saúde, menos férias e menos 13º salários.
* Qualquer resposta, nota, satisfação, basta entrar em contato conosco no link “Contato” logo no começo da nossa página, abaixo do banner.

1 comentário em “AETC-JP quer proibir acesso no terminal de integração do Varadouro de quem paga em dinheiro”

  1. Com certeza as coisas estão se encaminhando para um recúo da AETC quanto a esta proibição, principalmente depois dos protestos de membros do grupo a imprensa. Torcendo muito que funcione e isso seja um troço apenas inventado mas não implementado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.
Como ficariam os ônibus urbanos da Itapemirim? Relíquias do Museu da Itapemirim O amor pede passagem Busscar El Buss da Auto Viação 1001 Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 04/2021 Montagens de modelos com o layout da Nacional e Continental O Apache Vip na frota metropolitana da Grande João Pessoa O Apache Vip na frota municipal de João Pessoa Apache Vip da Util Renovação de frota na Boa Esperança