Fazendo a diferença pelo conforto e segurança: A história do serviço opcional

Fonte: Portal Ônibus Paraibanos

Matéria/Texto: Massilon Moreira Junior
Colaboração: Josivandro Avelar
Fotos: Acervo Paraíba Bus Team

Em dezembro de 1997, a Prefeitura de João Pessoa implementou um serviço de ônibus denominado de “Opcional” que foi aposentado no ano passado e faz falta no sistema de transporte pessoense. Este serviço de transporte era diferenciado, contando com veículos que apresentavam conforto que ia além dos ônibus convencionais, o que fazia a viagem ser mais prazerosa e menos cansativa. Podemos dividir o Sistema de Transporte Opcional em três grandes fases: a primeira, que foi de 1997 a 2000; a segunda, que foi de 2000 a 2006; e a terceira, que vai de 2006 até 2012. 


O serviço foi implementado na primeira gestão do ex-prefeito Cícero Lucena, contando com 18 veículos que foram distribuídos em 10 linhas da cidade:
105 – Cidade
108 – Alto do Mateus
120 – Valentina
202 – Geisel
301 – Mangabeira/Pedro II
505 – Bairro dos Ipês
507 – Cabo Branco
510 – Tambaú
511 – Tambaú
5600 – Mangabeira/Shopping
Marcopolo Senior Midi da Reunidas (3ª fase)

Cada empresa, num total de sete (Boa Viagem, Boa Vista, Mandacaruense, Marcos da Silva, Reunidas, Transnacional e Transurb, que posteriormente teve seus convencionais e opcionais repassados para a São Jorge), contava com pelo menos dois veículos que apresentavam-se diferenciados dos veículos convencionais. Os Ônibus Opcionais possuíam assentos acolchoados e reclináveis (como os de ônibus rodoviários), frigobar, televisor e video cassete, além de apresentarem uma tarifa mais alta do que os ônibus convencionais. Vale salientar que os produtos que eram vendidos no frigobar não estavam incluso no preço da passagem. Os veículos contavam com 45 assentos, todos com presença de cintos de segurança. No transporte Opcional, nenhum usuário poderia andar em pé. Os carros rodavam de segunda à sexta das 6 h às 18 h (em algumas linhas) e das 10 h às 18:30 h (em outras linhas); nos sábados das 6h às 13:30; e nos domingos e feriados esses carros ficavam recolhidos nas garagens.

Primeiros passageiros dos Opcionais em 1997

Do total de 18 veículos opcionais, 13 eram Marcopolo Torino GV (para-choque alto), encarroçados em chassi Mercedes-Benz OF-1620: 6 da Transnacional (07201 ao 07206), 2 da Boa Viagem (06201 e 06202), 2 da Transurb (02201 e 02202) que posteriormente passaram a ser da São Jorge preservando os mesmos prefixos, 2 da Reunidas (08201 e 08202) e 1 da Mandacaruense (04202). Ainda desses 18 veículos, 3 eram Caio Alpha, encarroçados em chassi Mercedes-Benz OF-1620: 2 da Marcos da Silva (09251 e 09252) e 1 da Mandacaruense (04201). A extinta Boa Vista contava com 2 Busscar Urbanus II, encarroçados em chassi Volkswagen 16-180 CO, com prefixos 03267 e 03277.

Cobrador de um Opcional com uma lata de “Fanta Laranja” ao lado do frigobar
Visão de dentro de um Torino GV Opcional de 1997

Torino GV opcional da Transnacional, carro 07202

No dia da inauguração deste transporte (01 de dezembro de 1997), apenas 12 dos 18 opcionais começaram a circular nas linhas que foram citadas acima. O objetivo desse sistema de transporte era de desafogar o trânsito do centro da cidade, fazendo com que pessoas deixassem seus carros em casa e pegassem os Opcionais, que apresentavam um conforto tão quanto o conforto de um carro particular. De início, teve-se a pretensão de estender para 120 o número de veículos Opcionais, feito que nunca chegou a ser realizado.

Quando da implantação desse sistema, houve uma geração de 50 empregos diretos entre motoristas, cobradores e fiscais.
O sistema Opcional começou a funcionar e em seus primeiros dias a sua aceitação não foi de amplo espectro. Muitos achavam caro o preço da tarifa (que no tempo custava R$ 0,80 a inteira e R$ 0,40 a estudante) e também os idosos não podiam pegar estes veículos através da lei do passe livre. Os Opcionais vagavam pela cidade carregando em seu interior pouquíssimas pessoas. Muitas vezes se viam esses carros completamente vazios. O principal fator para isso ainda era o preço mais alto da passagem, o que fazia com que muitas pessoas preferissem andar nos ônibus convencionais. Mas havia quem preferisse esperar vários minutos pelos Opcionais nas paradas de ônibus. Em poucos dias os idosos conseguiram o direito do passe livre nesses ônibus e o transporte passou a ser mais elogiado e mais utilizado. Com o passar do tempo começou-se a perceber que os veículos andavam com maior lotação e, em linhas de maior demanda, mesmo “desrespeitando” a filosofia de que ninguém poderia andar em pé nos Opcionais, já se viam pessoas em pé.
E assim continuou-se até meados do ano 2000, quando o Sistema Opcional ganhou uma cara nova. Na segunda fase do sistema, os veículos de grande porte passaram a dar lugar aos ligeirinhos, veículos estes que agora passaram a ter um diferencial a mais e outros diferenciais a menos: os Opcionais agora tinham ar-condicionado, porém deixou-se de ter frigobar e televisor. E outra! Agora não eram todas as empresas que apresentavam ligeirinhos Opcionais: apenas a Transnacional e a Reunidas. A Mandacaruense foi a única que permaneceu com veículo de grande porte como Opcional.
Os antigos Opcionais da Transnacional, da Reunidas e da Boa Vista foram vendidos. Já os da MandacaruenseBoa ViagemMarcos da Silva e São Jorge foram renumerados e adaptados para a frota convencional. Os 04201 e 04202 da Mandacaruense passaram a ser 0420 e 0440, respectivamente; os 06201 e 06202 da Boa Viagem passaram a ser 06019 e 06021, respectivamente; os 09251 e 09252 da Marcos da Silva passaram a ser 0951 e 0952, respectivamente; os 02201 e 02202 passaram a ser 0235 e 0236, respectivamente. De todos estes renumerados, apenas o 0440 continuou com os assentos acolchoados e reclináveis. Todos estes veículos já não fazem mais parte da frota de suas respectivas empresas.
Antigo GV opcional da Mandacaruense, carro 0440
Antigo Alpha opcional da Marcos da Silva, carro 0951
A nova frota de Opcionais da Transnacional e Reunidas era composta basicamente por Marcopolo Senior 2000, encarroçados em chassi Mercedez-Benz LO-812. Já a Mandacaruense que continuou adepta ao Opcional de grande porte, trouxe um Busscar Urbanuss, encarroçado em chassi Mercedes-Benz OF-1721. Este veículo, diferentemente dos ligeirinhos, não apresentava assentos acolchoados e apresentava televisor, além de ter ar-condicionado.
O carro da Mandacaruense recebeu o prefixo 04201, que já pertencera ao Caio Alpha que tornou-se 0420. Na Transnacional, os Senior receberam prefixos de 07201 a 07216, porém o carro 07213 não existia em uma primeira etapa. Já os Senior da Reunidas receberam prefixos de 08201 a 08205. O Opcional da Mandacaruense ocupou a linha 506 (Bairro dos Estados) e os da Transnacional ocuparam as linhas 202 (Geisel), 204 (Cristo), 301 (Mangabeira/Pedro II), 510 (Tambaú), 511 (Tambaú) e 601 (Bessa Shopping). Já os da Reunidas ocuparam a linha 101 (Grotão) e, posteriormente, a 5605 (Mangabeira/Shopping).
Senior da Transnacional junto à Igreja de São Francisco

Essa segunda fase já foi bem mais aceita pela população do que o serviço prestado na primeira fase. Mesmo a passagem ainda custando mais cara do que os ônibus convencionais, os ligeirinhos andavam completamente lotados. Foi aí que em 2001 surgiu a primeira linha operada somente por Opcionais, que foi a linha 5605. A partir de então, esse transporte teve sua valia realmente aceita. Os Opcionais da Transnacional e Reunidas passaram a servir com bastante eloquência. Com o Opcional da Mandacaruense foi diferente. Por andar muitas vezes completamente vazio, o 04201 foi renumerado para 0401 em 2002, passando a fazer parte da frota convencional da empresa. Foi retirado dele o televisor e o ar-condicionado. Neste mesmo ano chegou mais um novo Opcional para a Mandacaruense: um Neobus Thunder Boy encarroçado em chassi Mercedes-Benz LO-610, que começou a rodar na linha 602 (Mandacaru/Ilha do Bispo). Ele apresentava ar-condicionado e televisor.

0401, ex-04201 opcional
 A segunda fase podemos dizer que foi a fase que impulsionou de verdade os Opcionais. Em novembro de 2004 surgiu mais uma outra linha em que somente carros Opcionais faziam parte dela: a 5204 (Cristo/Manaíra Shopping). Com a criação desta linha, os carros 08203, 08204 e 08205 foram renumerados para 07213, 07217 e 07218, respectivamente, e a linha 204 deixou de ter Opcional.
Atual 04201, não mais opcional
Nesta segunda fase foi criado o vale transporte Opcional e o passe estudantil Opcional. Caso o usuário não tivesse um vale transporte Opcional ou não fosse pagar a passagem em dinheiro, ele poderia pagar a passagem da seguinte forma: entregava ao cobrador um vale transporte convencional mais R$ 0,10 e tinha acesso ao ônibus.
E com o passar do tempo, essa segunda fase foi terminando e foi chegando a terceira e atual fase, que começou em 2006. Com ela também chegaram novos carros. A frota de ligeirinhos, em parte, foi trocada por Marcopolo Senior Midi encarroçados em chassi Mercedes-Benz OF-1418, todos eles chegados para a Transnacional. Eles apresentavam ar-condicionado e poltronas acolchoadas e reclináveis. A Mandacaruense, mais uma vez, desativou o Opcional e transformou o 04201 em um ligeirinho convencional, preservando o mesmo prefixo e agora atendendo a linha 506 (Bairro dos Estados via Mandacaru).
Os prefixos que chegaram à Transnacional foram os seguintes: 07201, 07202, 07203, 07204, 07214 e 07215. Chegaram também três Marcopolo Senior Midi encarroçados em chassi Mercedes-Benz OF-1418, que foram os 07205, 07206 e 07207, que eram “pseuso-opcionais”, pois não apresentavam ar-condicionado e a sua passagem era o mesmo valor dos ônibus convencionais, sendo o seu diferencial postado apenas em cadeiras acolchoadas e cortinas nas janelas. Os carros 07208, 07209, 07210, 07211, 07212, 07213 e 07216 continuaram sendo os Senior 2000 da fase passada. A Reunidas continuou com dois Opcionais, ambos Senior 2000: 08201 e 08202, ambos rodando na linha 101 (Grotão). Os Opcionais da Transnacional rodavam nas linhas 202, 301, 510 e 601 e 5204.
Em 2007 ocorreu uma reviravolta muito grande nos Opcionais das duas únicas empresas que continuaram a ter esse serviço em sua frota. Muitas mudanças e renumerações foram feitas. Os 08201 e 08202 da Reunidas foram trocados, respectivamente, pelo 08116 (ex-Róger e ex-Reunidas Cabedelo) e pelo ex-Auto Viação Tijuca 50020 do Rio de Janeiro/RJ, ambos Marcopolo Senior 2000 encarroçados sobre chassi Mercedes-Benz LO-914. E os Marcopolo Senior 2000 da Transnacional que foram remanescentes da segunda fase, foram todos trocados por outros Marcopolo Senior 2000 encarroçados sobre chassi Mercedes-Benz LO-914, todos ex-Alpha do Rio de Janeiro/RJ. Nesse mesmo ano, surgiram dois outros Opcionais na Transnacional, ambos Marcopolo Senior 2000 encarroçados em chassi Mercedes-Benz LO-914: o 07217 e o 07218, respectivamente ex 08115 da Reunidas e ex 08114 também da Reunidas.
Em 2008, os “pseudo-opcionais” 07205 e 07207 foram renumerados, respectivamente, em 08135 e 08132. O 07206 foi mandado para a TBS (Travel Bus Service), em Recife/PE.
Em 2009, o Sistema Opcional passou a ser operado por apenas um única empresa: a Reunidas. Todos os Opcionais da Transnacional passaram a ser da Reunidas, sendo todos eles renumerados. A mudança na renumeração foi somente a troca do 07 pelo 08 no prefixo dos ônibus. Com essa renumeração, todavia, também ocorreram trocas de veículos. Os carros 08206, 08207, 08208, 08217 e 08218 foram trocados por Marcopolo Senior Midi encarroçados em chassi Mercedes-Benz OF-1418, todos ex-TBS. O 08205 ficou como buraco até que sua vaga fosse ocupada pelo ex-07202. Com toda essa mudança, foram criadas duas novas linhas em que a sua frota é toda composta por Opcionais: a 500 (Tambaú/Bessa) e a 600 (Bessa/Bessa Shopping). O Opcional 08210 que era o ex 07210, atualmente é o 08127 da Reunidas.
A frota de Opcionais em 2010, distribuídas nas linhas 101, 202, 301, 500, 600, 5204 e I005 é a seguinte:
08201
08202
08203
08204
08205
08206
08207
08209
08213
08214
08217
08218
*Os prefixos 08210, 08212 e 08216 não existiam na época na frota de Opcionais da empresa Reunidas.*
Vale salientar que na época os veículos Opcionais apenas possuíam assentos acolchoados e ar-condicionado e que a sua lotação não era mais restrita apenas a passageiros sentados, visto que, em algumas linhas que possuíam esses veículos, eles andavam em horários de pico com a lotação máxima tanto sentada quanto em pé.
Outras cidades paraibanas, a exemplo de Bayeux, Santa Rita, Cabedelo e Campina Grande também tiveram os Sistema Opcional de Transporte. 

Ex-TN, opcional da pintura do sol
Outro ex-TN da pintura do sol
Ex-06039, ex-08212, ex-07212, ex-RJ
Ex-07207
Fim do serviço

Em abril de 2012 só restavam as linhas 500, 600 e A600 com ônibus opcionais em suas frotas e já não possuíam a pintura padronizada dos opcionais, usando a pintura do consórcio Unitrans. Ainda nesse mês o serviço era desativado, sendo substituídos por ônibus convencionais e os antigos veículos que operavam o serviço opcional, foram vendidas algumas unidades para a empresa PB Rio e a grande maioria foi repassada a empresa de turismo TBS pertencente ao Grupo A. Cândido.

1 comentário em “Fazendo a diferença pelo conforto e segurança: A história do serviço opcional”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.
Os primeiros Jum Buss 360 da Gontijo Repasses de Busscar da UTIL para a Brisa Ideale 1440 da Paraíba Turismo Paradiso DD da Itabus Ideale da VIX Logística Paradiso DD da Fabbitur Paradiso DD da Martinele Transportes Ideale da Tursan Turismo Comil Svelto da Viper Transportes Cidades com Tarifa Zero