Terminais rodoviários de João Pessoa e Campina Grande serão administrados por empresa privada

Fonte: Portal Ônibus Paraibanos
Matéria/Texto/Fotos: Thiago Martins de Souza

Mudança
na administração dos terminais rodoviários de João Pessoa e de Campina Grande,
o governo do estado afirma que não é privatização e sim uma concessão para que
uma empresa administre os dois terminais por um período de 15 anos,
prorrogáveis por até mais 15, a licitação ocorrerá no próximo dia 29 de julho
segundo a Diretora de Transportes do DER, Nilza Magalhães, a empresa vencedora
terá por obrigação investir na infraestrutura e trazer melhorias para os
passageiros e usuários dos terminais. 

Ainda
segundo Nilza, a licitação acontecerá pela necessidade de melhor atendimento
aos usuários, com melhorias estruturais, instalação de câmeras de segurança, modernização
do espaço das lojas e melhorias na limpeza, além de novos boxes de vendas de
passagem, troca de telhado e etc, a princípio não haverá ampliação do espaço
físico.
A
estrutura financeira ainda será avaliada e só depois será decidido de haverá
aumento da taxa de embarque e valor das passagens.  Haja vista que a licitação acontecerá dia 29
de julho na sede do DER de João Pessoa, as obras devem se iniciar até o fim de
setembro, obedecendo o prazo máximo de 60 dias para o vencedor, pelo menos 10
empresas já se interessaram em participar da licitação, a maioria de outros
estados, o processo prevê um título de outorga
antecipada ao Estado de R$ 500 mil e outra mensal de, no mínimo, 3% do
faturamento da empresa que administrará cada um dos terminais
Em João Pessoa, a reforma do terminal está orçada em R$ 2,5
milhões. Já em Campina Grande as intervenções podem chegar a R$ 1 milhão. O
argumento do governo do Estado é o de que a medida tem como objetivo evitar
prejuízos, pois a receita é inferior à despesa mensal nos dois terminais que
compõem o sistema estadual rodoviário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Este conteúdo é protegido.