Operadores de transporte coletivo fazem protesto em João Pessoa

Fonte: G1 Paraíba
Fotos: Thiago Martins de Souza, Walter Paparazzo, Reprodução, Divulgação
Funcionários de transporte público
coletivo fizeram uma manifestação nesta quarta-feira (3) em João Pessoa. A
categoria reinvindica um reajuste salarial de 14%, maior do que as empresas
oferecem, além de redução da jornada de trabalho, plano de saúde, entre outros. Um
pequeno grupo de manifestantes se concentrou por volta das 15h nos pontos de
ônibus do Parque Solon de Lucena. Os protesto mobilizou motoristas, cobradores,
fiscais e outros profissionais dos transportes coletivos e os manifestantes
pararam os veículos em volta da Lagoa, interrompendo o tráfego de veículos no
local. Depois, eles seguiram até a sede do Ministério do Trabalho, em frente ao
Pavilhão do Chá.

Os manifestantes deixavam os carros passarem, mas os ônibus eram impedidos de
seguir viagem. A Polícia Militar esteve no local para monitorar o
protesto. Como a manifestação foi pacífica, nenhuma ocorrência foi registrada.
Alguns comerciantes preferiram fechar as portas dos estabelecimentos mais cedo
para evitar transtornos. À noite, os funcionários voltaram às ruas e novamente
pararam os veículos. Alguns passageiros reclamaram porque tiveram a viagem
interrompida.
No horário de pico, por volta das 18h, o trânsito ficou parado na Avenida
Getúlio Vargas por cerca de 30 minutos. Agentes da Superintendência de
Mobilidade Urbana estiveram na área para sugerir desvios aos motoristas
parados.
Tumulto e adiamento da negociação – A
Associação das Empresas de Transportes Coletivos Urbanos de João Pessoa
(AETC-JP) divulgou uma nota informando que a rodada de negociações entre o
Sindicato dos Motoristas da Paraíba, o Sindicato das Empresas de Transporte
Coletivo Urbano de João Pessoa (Sintur) e a Superintendência Regional do
Ministério do Trabalho (SRMT), que ocorreu na tarde desta quarta-feira (3), no
auditório da Superintendência, foi suspensa e ainda não tem data definida para
ser retomada.
A solicitação de adiamento, acatada pelo
mediador do Ministério do Trabalho, José Cursino Nunes, partiu dos dois
sindicatos, conjuntamente, em função do princípio de tumulto causado pela
chegada de manifestantes de outras categorias profissionais durante o processo
de negociação.

Além disso, os motoristas e cobradores não
chegaram a um consenso com os empresários com relação ao reajuste da categoria,
que pede um percentual de 14%. O índice, para os empresários, é superior aos
indicadores que servem de referência para reajustes salariais.

Mesmo assim, o
Sintur, que apresentou uma proposta de reajuste de 8% mais a implantação do
seguro de vida para todos os seus funcionários, ficou de levar a sugestão dos
trabalhadores para os demais empresários e agendar uma nova data para a mesa
redonda.

Em João Pessoa, os motoristas do transporte
coletivo têm, desde 1º de julho de 2012, remuneração de R$ 1.700, sendo R$
1.390 de salário e R$ 310 de tíquete alimentação. A primeira mesa redonda que
deveria ter acontecido na semana passada, foi adiada por solicitação do setor
patronal, em face das circunstâncias econômico-financeiras que envolvem as
empresas operadoras do transporte coletivo neste momento. O Sindicato dos
Motoristas da Paraíba, que representa a classe de trabalhadores, apresentou
proposta de convenção salarial no começo de junho. Apesar do adiamento da mesa
redonda, a data-base da categoria foi mantida em 1º de julho.

Na faixa, lê-se: “Fora Pádua! Queremos Sindicato de Luta!”. A título de informação, Pádua vem a ser Antônio de Pádua, o presidente do sindicato, que ao que tudo indica, é um cargo vitalício…
Compartilhe esta matéria
ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.