BRT: definida área do primeiro terminal em João Pessoa

Fonte:
Portal Correio

Fotos: JC Barboza/Paulo Rafael Viana
BRT no Rio de Janeiro

A
Prefeitura de João Pessoa publicou no Semanário Oficial (edição de 2 a 8 de
junho) o decreto que transforma dois terrenos localizados próximos ao Viaduto
Ivan Bichara, em Oitizeiro, em áreas de utilidade pública, para fins de
desapropriação. O objetivo é a criação de um terminal, que fará a integração
das linhas de ônibus atuais aos novos Bus Rapid Transit (BRT) – veículos
articulados, velozes e com grande capacidade, que circularão pela Avenida Cruz
das Armas com destino ao Centro da cidade. O plano de mobilidade da Capital
inclui a construção de mais três terminais para contemplar outros corredores. 

Cada
um, deve contar com bicicletários e estacionamentos, para que a população opte
pelo transporte público, diminuindo, assim, os congestionamentos. Eles devem
entrar em funcionamento nos próximos dois anos.
Juntos,
os terrenos medem 26,3 m², tendo o maior quase 23 mil m². Segundo o documento –
assinado pelo prefeito Luciano Cartaxo –, as desapropriações têm caráter
urgente, para fins de posse provisória. Uma comissão de avaliação e
desapropriação da Secretaria Municipal de Planejamento (Seplan) está
encarregada de adotar as medidas necessárias para que isso ocorra, seja de
forma amigável, seja judicialmente. É também a Seplan quem vai arcar com os
custos necessários para a aquisição de ambos os terrenos, conforme descrito no
decreto, que entrou em vigor desde que foi publicado.

Através
da assessoria de imprensa da Seplan, o secretário adjunto Alessandro Diniz,
informou que esta foi uma situação atípica, porque normalmente se procuram os
proprietários dos terrenos, para, então, publicarem-se decretos dessa natureza.
Nesse caso, porém, foi feito o inverso.

Por isso, a secretaria está no aguardo
para que os donos dos imóveis se dirijam à Seplan, a fim de que seja
apresentado o laudo de desapropriação e ambas as partes negociem o valor que
deverá ser pago, para a venda dos terrenos. Isso deve ocorrer nos próximos 30
dias, já que, afora o decreto, os proprietários foram contactados diretamente.
O
superintendente de Mobilidade Urbana da Capital, Nilton Pereira, explicou que
os terrenos em questão foram escolhidos, por ser aquela uma área para onde
convergem diversas linhas de ônibus de bairros bastante populosos, como Cruz
das Armas, Oitizeiro e outros da região. “As linhas que passam em Cruz das
Armas convergem para um ponto só, então, não é preciso ir para o Centro da
cidade. O BRT vai sair do terminal de Oitizeiro para o terminal central”,
explicou.
Pesquisa projeta frota – De
acordo com o diretor de Planejamento da Semob, Adalberto Araújo, o número de
vagas no estacionamento e bicicletário do terminal só será definido após a
conclusão de uma pesquisa de projeção da frota em João Pessoa, em curto, médio
e longo prazos. “Através de um financiamento do Banco Interamericano de
Desenvolvimento (BID), fechamos um contrato com duas empresas, uma brasileira e
outra francesa, para que eles nos entreguem uma simulação do aumento da frota
nos próximos 5, 10 e 20 anos. Dessa forma, iremos dimensionar a média de vagas
que serão necessárias para a população”, explicou. O diretor confirmou ainda
que a pesquisa está prevista para ser concluída na primeira semana de julho.
Projeto também prevê VLTs – O projeto do PAC da Mobilidade também
prevê a implantação de veículos leves sobre trilhos (VLTs), que substituirão os
trens que circulam atualmente entre os municípios de João Pessoa, Bayeux, Santa
Rita e Cabedelo. Segundo o portal do Ministério das Cidades, o projeto está em
fase preparatória. Não foi divulgado no site, o valor dessa obra,
especificamente.
Mais três terminais de integração – Afora o de Cruz das Armas, João Pessoa
contará com mais três terminais de integração. Segundo o superintendente da
Semob, Nilton Pereira, os outros bairros que contarão com esses equipamentos
serão o Cristo, Mangabeira e o Centro. Nos dois primeiros, ainda não foram
escolhidos os terrenos. “Ainda estamos vendo com o Governo do Estado”, adiantou
Nilton. No Centro, a intenção é que o novo terminal seja ao lado do Terminal
Rodoviário. Essa negociação, porém, ainda não está firmada. A prefeitura
igualmente ainda está em conversas com o governo estadual.
Exemplo de Terminal de Integração em Recife: uma parada para cada linha, escadas rolante, integração com metrô, banheiros, lanchonetes, área de desembarque separada da área de embarque. Foto: Paulo Rafael Viana
Nilton
Pereira não soube precisar quanto será investido em cada terminal, mas adiantou
que eles deverão ser construídos um após o outro. “Se fizermos tudo ao mesmo
tempo, vai parar a cidade, então, faremos um a um”, observou. Na Capital, as
verbas para a implantação de toda essa estrutura vêm do PAC da Mobilidade, do
Governo Federal, na ordem de R$ 188 milhões.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 09/2021 Apache Vip V da Matias Vissta Buss 400 da Cantelle El Buss 320 L da Solazer El Buss FT da Dom Bosco Apache Vip V da Viação Novacap Vissta Buss DD da 1001 Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 08/2021 Senior da PB Rio Apache Vip V da Viação Pendotiba Apache Vip V da N.S. Penha Vissta Buss 360 da 1001