Tarifa de ônibus cai para R$ 2,20 em João Pessoa a partir de 1º de julho

Fonte: G1
Fotos: JC Barboza

A
passagem no transporte coletivo de João Pessoa vai passar de R$ 2,30 para R$ 2,20 a
partir do dia 1º de julho. A redução do preço foi anunciada na manhã desta
terça-feira (18) pelo prefeito Luciano Cartaxo e acontece dois dias antes da
mobilização programada para esta quinta-feira (20), que tem como um dos focos a
redução do preço da passagem. A
prefeitura já vinha “estudando a viabilidade para que este benefício
chegasse à ponta desde o dia 1º”, disse Cartaxo, referindo-se à Lei da
Desoneração do Transporte Público. O prefeito não relacionou o anúncio ao
protesto programado para João Pessoa. “Nosso foco foi levar o benefício para a
população de João Pessoa. O protesto é natural e a gente tem que encarar com
legitimidade. O que a gente pede é que haja manifestação onde não tenha nada
que possa machucar as pessoas e criar conflitos, isso não leva absolutamente a
nada”. 

Para
garantir a redução, o prefeito informou que fez a desoneração do Preço Público,
tributo que incide sobre a passagem de ônibus. De acordo com Cartaxo, essa
medida vai causar um impacto de R$ 80 mil a R$ 100 mil por mês. “Não estamos
enxugando o sistema (de transporte coletivo), muito pleo contrário, estamos
garantindo através da redução de tributos que a população pague um preço mais
baixo”, completou.
A
proposta foi fechada na segunda-feira (17) e a medida vai ser informada ao Conselho
Municipal de Transporte Público ainda nesta terça. “Estamos tratando a
mobilidade urbana como item essencial para a vida das pessoas”, disse
Cartaxo.
A
redução, no entanto, dividiu representantes da classe estudantil. “Ela não
atende aos nossos, anseios foi uma grande decepção, é muito baixo comparado aos
aumentos que tivemos nos últimos anos”, afirmou o estudante da Universidade
Federal da Paraíba (UFPB) André Feitosa, que esteve presente no anúncio e faz
parte da organização do protesto marcado para quinta-feira. Segundo ele, a
manifestação está mantida e cerca de 20 mil pessoas confirmaram participação
pelas redes sociais.


para o presidente do grêmio do Lyceu Paraibano, Hinglandeberto Mendes, a
decisão do prefeito foi positiva. “É uma vitória do movimento estudantil e
também para o trabalhador. Muita gente fala que dez centavos não é nada, mas no
final do mês isso representa uma grande quantia”, disse. Mendes confirmou que
também apoia a manifestação de quinta, mas defende que ela seja focada em outra
pauta. “Vamos cobrar principalmente uma nova frota de ônibus para João Pessoa”,
disse.
Protesto
na quinta

Apesar do anúncio da redução, a Polícia Militar confirma que já tem esquema
montado para acompanhar o protesto marcado para quinta. A concentração será às
16h, em frente ao Lyceu Paraibano.
De
acordo com o major Gilberto Felipe, a polícia não vai usar armas de fogo, mas
apenas armamento não letal. “Isso indica nosso espírito pacífico e esperamos o
mesmo dos manifestantes”, sugere.
O
major não informou a quantidade de policiais que estarão envolvidos na
operação, mas adiantou que eles estarão espalhados pelas principais ruas ao
redor da região onde deve acontecer a concentração.
“As
informações são desconexas sobre como tudo vai funcionar e o movimento está
sendo combinado pelas mídias sociais, mas estamos nos programando de forma a
garantir a segurança tantos dos manifestantes quanto da população que estiver
apenas circulando pela região”, afirma.
Empresários
reclamam

O presidente da Associação das Empresas de Transporte Coletivo de João Pessoa
(AETC-JP), Mario Tourinho, se diz preocupado com o impacto desta mudança. Para
ele, o valor que é praticado atualmente já está defasado porque o reajuste
aprovado em janeiro já não considerava o aumento no valor do diesel, que chegou
a 10,6% neste primeiro semestre.
“Na
verdade, com os valores atuais do combustível, a tarifa deveria passar para R$
2,35, sem considerar que julho é a data-base da categoria e vai significar
aumento nos salários e, portanto, dos custos”, justifica. Ele aguarda a
comunicação oficial do prefeito com o Conselho para entender as questões
técnicas da mudança.
Manifestações
pelo país

Protestos que questionam desde o valor da passagem no transporte público até os
custos públicos com as obras para realização da Copa no Brasil já aconteceram em 25 cidades, sendo
quatro no Nordeste (Salvador, Recife, Natal e Fortaleza). O movimento teve
início em São Paulo, no último dia 6, quatro dias após o anúncio do aumento no
valor da passagem na cidade de R$ 3 para R$ 3,20.
Em
João Pessoa, a passagem sofreu o último reajuste no dia 2 de janeiro, quando
saiu de R$ 2,20 para R$ 2,30.
Além
da capital paraibana, as cidades de Porto Alegre, Cuiabá , Manaus e Vitória também já anunciaram redução no valor
da tarifa. Assim como o prefeito de João Pessoa, os prefeitos das três cidades
justificaram a redução como consequência da Medida Provisória 617, publicada em
31 de maio, e que zera o pagamento do Programa de Integração Social (PIS) e da
Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) de empresas de
transporte coletivo urbano, o que representa uma redução nos custos do setor.
Em Goiânia, a redução foi concedida por
medida liminar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 09/2021 Apache Vip V da Matias Vissta Buss 400 da Cantelle El Buss 320 L da Solazer El Buss FT da Dom Bosco Apache Vip V da Viação Novacap Vissta Buss DD da 1001 Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 08/2021 Senior da PB Rio Apache Vip V da Viação Pendotiba Apache Vip V da N.S. Penha Vissta Buss 360 da 1001