Ônibus Paraibanos

Conhecendo as linhas: 5310/3510 – Bancários e suas raízes

Fonte: Portal Ônibus Paraibanos
Matéria/Texto: Kristofer Oliveira
Colaboração: Josivandro Avelar/Marcos Filho
Fotos: Acervo Paraíba Bus Team

O bairro dos Bancários situa-se na zona sul pessoense e é considerado um bairro de classe média, sendo o mais nobre nesta localidade. É cortado pela Avenida Sérgio Guerra, que é a principal artéria do corredor 3, a Av Pedro II, sendo de suma importância para a maioria das linhas que trafegam por esta via. Assim como o bairro, as linhas passaram por grandes modificações desde o fim dos anos 70, deixando de serem radiais para serem semi-circulares. Vamos conferir as origens das linhas 3510 e 5310.

Foi fundado em 26 de abril de 1978, inicialmente ocupado por servidores da Caixa Econômica Federal (daí o nome Bancários). Possui uma posição privilegiada, por sua aproximação com a UFPB e a Unipê, os dois principais e maiores centros universitários da cidade. Atualmente passa por um processo de verticalização, similar a outros bairros de classe média da cidade e possui uma população estimada em aproximadamente 12.000 habitantes. No bairro existem diversos estabelecimentos comerciais, de educação, saúde e outros. A Praça da Paz e o Shopping Sul são as suas principais referências, além da Avenida Sérgio Guerra, que é passagem obrigatória para o bairro de Mangabeira.

Assim como ocorre com o Bessa, na qual os bairros do Aeroclube e Jardim Oceania são confundidos com o primeiro, culpa em partes dos seus moradores quem buscam um “status social” mais elevado, os Bancários passa pelo mesmo problema ao terem os bairros Jardim são Paulo, Anatólia, Colibris e Cidade Universitária anexados erroneamente, talvez pelo mesmo motivo que ocorre no Bessa.

O Transporte no bairro

Por trafegar diversas linhas, o bairro é bem servido em opções de linhas, mas isso não significa qualidade, uma vez que algumas em certos horários já transitam lotadas. As que passam pela Avenida Sérgio Guerra são as seguintes: 301, 302, 303, 514, 2307, 3207, 3507, 5307, 5600, 5603, 5210, 2515, 5206, 2514, 2300, 3200, 1500 e 5100. A 517 trafega até a Praça da Paz nos primeiros horários da manhã. A I006 trafega por um pequeno trecho da avenida. Já a 201 tem o terminal no Shopping Sul junto com a I006 e o bairro conta com as suas linhas próprias 3510 e 5310, cujo terminal situa-se na Cidade Universitária.

Origens do transporte no bairro

A primeira empresa a operar no bairro foi a RB Transportes, a partir de 1978, com a linha Cidade Universitária, que servia aos Bancários. Ela seguia ao centro pela Epitácio Pessoa. Ainda na própria RB, a linha teve sua nomenclatura alterada para Bancários. Possivelmente, além da alteração do nome, o itinerário tenha sido remodelado, com o terminal transferido para uma localidade próxima ao Shopping Sul.

Após meados de 1983, com a extinção da RB, a Nossa Senhora das Neves assume a linha. Neste período, surge a Bancários via Pedro II, porém, não encontramos fontes para asseverar em qual empresa isto ocorreu.

Em 1986, a Bancários via Pedro II ganha o prefixo 302, enquanto que a via Epitácio, ganha o prefixo 518.

Até o momento, em ambas as empresas, as frotas das linhas eram compostas por San Remo, Gabriela e possivelmente Cisne.

Com a aquisição da Nossa Senhora das Neves pela Transnacional, as linhas mais uma vez mudam de empresa, compondo o quadro de linhas inicial da nova empresa em operação na cidade.

Tempos na Transnacional e a circularização das 302 e 518

Nos primeiros anos sob a tutela da Transnacional, os ônibus presentes na frota eram San Remo, Gabriela, Monobloco O-364 e Torino 1983. Cada linha tinha uma frota com três veículos.

Em 1994, a então STP (Superintendência de Transportes Públicos) resolve aplicar nas linhas 302 e 518 um sistema similar ao utilizado pela Setusa nas duas linhas. As linhas foram redesenhadas de modo que cada uma passasse em um corredor na ida e em outro na volta, indo para o mesmo destino e circulando no mesmo sentido ao deixar os corredores. Isso permite que o mesmo número de veículos trafegue em cada sentido do corredor, fazendo com que os 3 carros que antes iam e voltavam para o mesmo corredor fossem orientados a passar só uma vez em cada, reduzindo o tempo de espera da linha pela metade.

Era nessa lógica que nasciam as linhas 3510 e 5310, batizadas inicialmente de “Circular Bancários”. Era inaugurada a temporada das “circularizações” de linhas radiais; a STP e outros órgãos iriam repetir o expediente com outras linhas em outros bairros; em muitos casos a circularização foi exitosa, em outros casos, fugiu do controle.

A linha já operou com carros zeros, como 0778 e 0785, Torinos GV que estrearam nas mesmas. Mas na maioria das vezes, a frota das linhas foi – e ainda é – composta por veículos oriundos de outras linhas da TN.

Tanto no 3510 como no 5310, as linhas apareciam com o mesmo nome nas lonas: Circular Bancários. Os nomes dos corredores não apareciam nos letreiros, o que levava os passageiros a se confundirem se quisessem usar a linha para ir a um dos corredores, muitas vezes correndo o risco de pegar o ônibus errado por causa disso. Para acabar com a confusão, a STTrans determinou o rebatismo das duas linhas de modo que a posição de corredor estivesse clara nos letreiros. Com isso, a linha 3510 passou a ser Bancários/Pedro II-Epitácio e a  linha 5310, Bancários/Epitácio-Pedro II. Porém em algumas lonas laterais dos 1721 (e até nas frontais dos antigos Urbanuss Pluss, hoje reaproveitadas em alguns carros) ainda é comum ver o nome “Circular Bancários” ou até mesmo “Circular/Epitácio-Pedro II”.

Em 2010, a linha 5310 voltava a receber um carro zero depois de 13 anos, o 07148. Dois anos depois, era a vez da linha 3510 voltar a receber um carro zero, o carro 07134.

Atualmente as linhas

As linhas não chegam a sofrer com problemas de superlotação, mas em compensação é frequente ouvir relatos de atrasos da linha até mesmo da própria Semob.

O itinerário chegou a ser alterado várias vezes por reconfiguração ou pelas obras de saneamento básico e pavimentação realizadas na área atendida pelas duas linhas (a parte oeste dos Bancários e a Cidade Universitária). Em uma dessas obras, o percurso da linha quase foi inviabilizado nessa área, e para amenizar o problema, chegou até a se criar em 2012 uma linha provisória de integração que levaria gratuitamente os passageiros do ponto final até as paradas mais viáveis do itinerário.

Os atuais componentes das linhas são:

3510: 07109, 07134, 07166, 07177, 07188

  • 07109 pertencia a linha 2515, com o remanejamento da mesma para a Reunidas, o carro foi remanejado para o 3510 em 2010.
  • 07134 estreou na linha em 2012.
  • 07166 pertencia a linha 511. Roda desde 2007 na linha, sendo portanto o fixo mais antigo da linha.
  • 07177 já pertenceu às linhas 5100, 204, 5204 e 304. Roda desde 2010 na linha.
  • 07188 pertenceu ao 3200. Roda desde 2011 na linha.

5310: 0743, 07148, 07167, 07185, 07187

  • 0743 pertencia ao 1500. Com a inviabilidade do veículo no 1500 por não dar conta da demanda, o mesmo foi remanejado para o 5310 no lugar do 07121, que o substituiu no 1500. Roda desde dezembro de 2012 na linha.
  • 07148 estreou na linha em 2010.
  • 07167 pertencia ao 5100. Roda na linha desde 2011.
  • 07185 pertencia ao 303. Roda na linha desde 2011.
  • 07187 pertencia ao 5100. Roda na linha desde 2011.

Curiosidade

O código 302 que pertenceu à linha Bancários/Pedro II foi reaproveitado cinco anos depois da extinção da mesma. A nova dona do código, a linha Cidade Verde/Pedro II, foi criada em 1999. Mesmo não sendo a mesma linha de cinco anos atrás, praticamente repete o itinerário que um dia fora dela.

Compartilhe esta matéria

1 comentário em “Conhecendo as linhas: 5310/3510 – Bancários e suas raízes”

  1. Meus parabéns pela qualidade da matéria, pelas fotos e pelas informações dispensadas. Hoje moro no extremo norte do Brasil, mas me lembro com saudosismo as vezes que peguei o Bancários pra voltar pra casa. Ficava torcendo na Lagoa, já umas 18h, pra vir o 302 em vez do 518. Passar pelo HU depois das 18h era uma tortura, sem lembrar que uma época colocaram o ônibus para circular ali pelas ruas do Condomínio Água Azul. Ninguém merecia. Era só determinado horário. Quem pegasse o ônibus 302 antes das 18h, se nao me engano, fazia o trajeto reto para a Sérgio Guerra, onde ele fazia um desvio por um quarteirão antes do semáforo do Rest. Domani e assim adentrava o bairro dos Bancários, percorrendo aquela rua lateral do Condomínio dos Sombreiros. Acabava o conforto, porque ali não era asfaltado. E assim seguia pelas "3 Ruas", até o início da José Alexandre de Farias, quando o ônibus entrava à esquerda e circulava pelo final do bairro, divisão com a favela do Timbó, retornando depois pela Waldemar Aciolly. Tempos bons de criança, pré-adolescente e jovem estudante trabalhador. Parabéns novamente pelo trabalho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.