Ônibus Paraibanos

Distância do centro afeta bairros de João Pessoa

Fonte: PB Agora

O crescimento de João Pessoa forçou a
população a encontrar moradia em bairros cada vez mais longe do Centro. Devido
à distância, estes bairros se organizaram como pequenas cidades do
interior, é o caso de Paratibe e Cidade Verde, 21 e 15 quilômetros (Km)
distante do centro respectivamente. Estes locais conseguiram fortalecer o
comércio para saírem da dependência do centro. No entanto, os moradores também
reclamam de problemas, como má qualidade no atendimento dos postos de saúde,
falta de calçamentos e demora no transporte público.


O
pescador Carmelo Silva, que é descendente dos quilombolas que moram em Paratibe
há vários anos, se queixou da má qualidade do serviço de saúde prestado pelo
Posto de Saúde da Família do bairro. O morador trabalhou durante muitos
anos como pedreiro. Os tempos de trabalho pesado lhe renderam dores nas costas,
que o fizeram abandonar a construção civil.
Carmelo
Silva afirmou que precisa tomar remédio para amenizar as dores que sente. Como
os analgésicos são caros, ele necessita das comprimidos que são distribuídos no
posto de saúde do bairro. No entanto, o pescador reclama que
não consegue os analgésicos e muito menos atendimento médico no posto
de Paratibe. “Quando quero alguma coisa do posto de saúde, eu vou para o
Valentina. Lá, que nós aqui de Paratibe recebemos atendimento. Aqui tem posto,
mas não funciona direito. Sempre que a gente chega lá nunca tem médico. Eu
sinto muita dor nas costas e se eu tivesse mais facilidade na hora de receber
os remédios seria bom”, afirmou o pescador.
O
descontentamento de Carmelo Silva com as questões relacionadas à saúde em
Paratibe é encontrado em outros moradores do bairro. O professor de artes José
Messias contou que nem ao menos sabe qual o endereço do posto. Ele também
recorre ao hospital do Valentina quando sua família precisa de cuidados
médicos. “Não sabemos nem onde fica o PSF daqui. Quando queremos algum
atendimento médico recorremos ao Hospital de Valentina, que é o mais perto de
nós. Várias ruas aqui não são calçadas e os ônibus para o centro da cidade demoram
muito a passar”, disse o professor de artes.
A
demora na circulação de ônibus nos bairro também dificulta a vida da população
em relação ao trabalho. O pescador Carmelo Silva contou que acordava muito
cedo, quanto trabalhava na construção civil, para poder chegar ao emprego a
tempo. Cansado da demora, o pescador deu um jeito.
“Saía
cedo para dar tempo. O ônibus aqui sempre demorou muito e, para não me atrasar,
eu comprei uma bicicleta. Depois disso nunca mais me atrasei. Ia e voltava do centro
pedalando. Agora eu vou pescar meus peixinhos de bicicleta também.”, contou
Carmelo. A dona de casa Fabiana Moreira revelou que o intervalo entre um
ônibus e outro chega a ser de 2h em Paratibe atualmente. Como não tem
bicicleta, a dona de casa é obrigada a esperar quando vai ao centro de João
Pessoa resolver algum problema.
“Além
da espera nas paradas de ônibus, ficamos de 45 a 50 minutos dentro dos ônibus
até chegar ao centro de João Pessoa”, afirmou Fabiana Moreira.
Compartilhe esta matéria

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.