Marcopolo escapa de multa milionária

Fonte: Transporta Brasil
Foto: Paulo Rafael Viana

O Carf é a última instância
administrativa para discutir cobranças da Receita Federal. O caso foi analisado
em julho do ano passado pela 1ª Turma da Câmara Superior do órgão, que cancelou
as três autuações semelhantes contra a empresa que, na soma, resultavam em uma
exigência fiscal de aproximadamente R$ 200 milhões. Segundo a Receita, notas
emitidas pela sede da Marcopolo teriam valores inferiores às vendas feitas
pelas subsidiárias no exterior, que intermediavam as operações, Marcopolo
International Corporation (MIC), com sede nas Ilhas Virgens Britânicas, e Ilmot
International Corporation, no Uruguai. Além disso, a autuação do Fisco dizia
que a empresa simulava exportações, pois os produtos sequer passavam pelas
subsidiárias. 

No julgamento de julho, a Câmara
Superior decidiu, por maioria dos votos, que a autuação apresentava falhas.
Além disso, os conselheiros entenderam que as operações formavam um
planejamento tributário, mas que não infringiam a lei e não apresentavam
qualquer tipo de simulação, como havia entendido a Turma ordinária do Carf, em
julgamento no ano passado.
Não
há outra instância administrativa, acima da 1ª Turma da Câmara Superior do
Carf, para a Fazenda Nacional recorrer, mas ela ainda pode entrar com outros
embargos de declaração.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.
O amor pede passagem Busscar El Buss da Auto Viação 1001 Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 04/2021 Montagens de modelos com o layout da Nacional e Continental O Apache Vip na frota metropolitana da Grande João Pessoa O Apache Vip na frota municipal de João Pessoa Apache Vip da Util Renovação de frota na Boa Esperança Novos Paradiso DD da Catedral Relembre os Alphas do intermunicipal paraibano