Ônibus Paraibanos

Série Histórica: 402 – Torre

Fonte: Rota Bus PB
Matéria/Texto: Kristofer Oliveira
Foto: Acervo Paraíba Bus Team

Prosseguindo com a série da trajetória das linhas, hoje
abordaremos a linha 402.



Conhecendo o bairro



O bairro da Torre é
um dos mais antigos e tradicionais de João Pessoa. O seu nome é uma homenagem
ao Joaquim Torres (contratante da instalação dos trilhos de bonde da capital
paraibana), que era o proprietário das terras onde atualmente é o bairro.

Atualmente três corredores cortam o bairro (Av Epitácio
Pessoa, Av Beira-Rio e a Av Pedro II), tendo um bom leque de opções de linhas,
dependendo da localidade dentro do bairro. Por sua localidade privilegiada,
fica próximo do centro, da UFPB, da BR-230 e tem um excelente acesso para a
orla pessoense. É bem servido em diferentes setores, tendo hospitais, redes de
ensino, supermercados, comércio e serviços, igrejas, espaços culturais, etc. A
exemplo de todo bairro de classe média pessoense, o principal problema é a
segurança.

Trajetória da linha 402


Até
o momento, a equipe de busologia histórica da PBT não encontrou registros
concretos da origem da linha, mas seguindo a lógica, por se tratar de um bairro
antigo, possivelmente a Viação Dutra tenha sido a primeira empresa a atuar no
bairro. 



Entretanto, encontramos o registro da Viação Dutra, possivelmente dos anos 50,
operando a linha Expedicionários, bairro vizinho da Torre, sendo este o
registro que mais se aproxima com a linha da Torre. Será que pode ser essa a
linha-mãe da atual 402?
Auto Viação Dutra e seu Ford cara curta
Após esse primeiro suposto momento, certamente o bairro foi
servido por ônibus particulares, entre parte dos anos 60 e início dos 70
(considerando que no início dos anos 70 João Pessoa tinha cerca de 120 ônibus
explorados por 90 empresários/proprietários). 

Com o Decreto nº 338, de 16 de
julho de 1971, que tinha por objetivo da obrigatoriedade dos proprietários
isolados se agregarem e formarem empresas registradas na Junta Comercial do
Estado, pode ter nascido a empresa Torrelândia, que operou até o início de
1978.

Empresa Torrelândia
Após a Torrelândia ter encerrado suas atividades, a Santa
Rita assume a linha da Torre.
Veneza da Rodoviária Santa Rita em 1978 operando a atual 402
Em 1979, a São Judas Tadeu passou a operar a linha. Foi
durante a sua operação que em 1986 a linha da Torre ganhou o código 402.
Posteriormente, essa implantação numérica nas linhas de JP será contada aqui.
Ciferal Tocantins da São Judas Tadeu na 402 em 1987
Quando a Transnacional adquiriu a São Judas Tadeu entre o fim
de 1988 e início de 1989, a linha mais uma vez mudou de operadora. Porém, a
história se repetiu, e assim como nas demais empresas anteriores, a 402 não
passou tanto tempo na Transnacional, sendo repassada a sua empresa-irmã fundada
no ano anterior, a Reunidas.

Torino 1989 da Transnacional na Avenida Getúlio Vargas no início dos anos 90
Outro Torino 1989 da Transnacional operando a 402 na Avenida Beira Rio no início de 1995
Desde 1995 que a 402 é operada pela Reunidas, sendo até o
momento a empresa que mais tempo permaneceu operando esta linha.
Devido a padronização da Reunidas e Transnacional com o
consórcio da Unitrans, cada vez mais a Reunidas ficará menos evidenciada
operando esta linha.


3 comentários em “Série Histórica: 402 – Torre”

  1. essa foto do Ciferal Tocantis de 1987,me chamou a atenção.é o q nós chamamos de"micrão".e lotado!ou seja,desde dessa época,esses onibus menores não suportavam as altas demandas.mas nossos empresários insistem em comprar onibus desse porte.aqui em Recife e Região Metropolitana,alguns empresários ainda fazem isso.pior,botam em linhas onde nem articulado dá conta.é o caso da Rodoviária Metropolitana q bota onibus desse porte da foto,em linhas tipo 450,460 e 490!

  2. Uma raridade a empresa Rodov.Santa Rita já operou na linha 402 em menos de 1 ano entre 1978 ate 1979,uma pena que Oldo Marinho não continuou com a linha, e se tivesse ainda na mãos da Santa Rita a crise que a empresa vivencia nos dias atuais não seria tão grave assim.
    E sim o que mudaria para a frota da empresa estaria totalmente renorvada em todos os sentidos e provavelmente seria composta basicamente por carrocerias CIFERAL/CITIMAX e NEOBUS/MEGA VI sendo ambos do chassi MBB OF 1722 e VW 18,230.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.