Ônibus Paraibanos

As “raridades” de Bayeux

Fonte: Portal Ônibus Paraibanos
Matéria/Texto: JC Barboza/Thiago Martins de Souza
Fotos: Thiago Martins de Souza/Diego Almeida Araújo/JC Barboza

Muitos
chamam de velharia, sucata, outros adoram, fazem de tudo pra andar ou clicar
eles. Para os passageiros, uma porcaria, mas para os colecionadores são uma
obra de arte. Enfim, os ônibus antigos dividem opiniões, mas para o transporte
público de passageiros, dependendo da idade, não oferecem mais o conforto
adequado para seus usuários. E isso acontece diariamente em Bayeux, cidade da
região metropolitana de João Pessoa. A cidade tem ônibus com 23 anos de
operação em seu sistema municipal e nas empresas que fazem as linha que ligam
Bayeux a João Pessoa, o mais velho tem 23 anos e pasmem, o mais novo tem seis
anos e foi adquirido usado. Bem, gostando ou não, vamos conhecer “As
raridades de Bayeux”!!!

As
quatro empresas da cidade tem exatamente 50 carros em suas frotas com uma idade
média aproximada de 14 anos. Recheada de muitos modelos de ônibus que não
operam mais nas grandes ciades do nosso país, a frota de Bayeux é rica em
diversidade de carrocerias aonde as principais encarroçadoras estão presentes
com seus modelos mais raros que não são vistos por aí todos os dias.
Isso
também serve para os chassis. Ainda tem ônibus com chassi Ford em operação na
cidade. E as combinações também são bem raras…
Renovações
são raras. A Wilson fez recentemente uma renovação de frota, porém só com
veículos usados com 10 anos de operação em média! A Almeida adquiriu seu último
ônibus em 2003 e foi apenas única unidade. A TPU nunca viu ônibus novo pois só
recebe veículos usados das empresas que a controlavam que eram a Wilson e a
Almeida. Hoje em dia somente a Wilson administra a TPU e mandou pra ela um
ônibus produzido em 1989. A Das Graças não adquire ônibus faz tempo, desde 2005 mas sua
diminuta frota com apenas três ônibus tem idade média de 16,6 anos, mas muito
bem conservada. Já a conservação da frota das suas co-irmãs de Bayeux…é meio
complicada.
As
empresas culpam o transporte clandestino, a baixa tarifa e o trânsito muito
intenso em Bayeux que diminui em muito a velocidade média de seus ônibus
fazendo com o gasto de combustível e de peças seja alto, onerando ainda mais a
tarifa. 
Os
motivos alegados pelas empresas fazem sentido, porém uma renovação de frota
mais constante mesmo com ônibus usados, mas menos velhos, com certeza atraíria
mais passageiros, aumentando a rentabilidade e consequentemente a possibilidade
de aquisição de ônibus mais novos e quem sabe 0 Km, uma esperança que ainda
vive nos usuários que dependem diariamente das “raridades de Bayeux”.
Agora
vamos conhecer essas raridades por encarroçadora:

Ciferal

Somente a Almeida possui ônibus da encarroçadora na cidade. Esse aí é de 1997 e foi reformado neste ano.

Caio

Todas
as quatro empresas de Bayeux possuem modelos da Caio. O mais novo, ou menos
velho é o Alpha da Das Graças. Já o mais velho é o Vitória da Tpu.
Tpu
O mais velho de Bayeux com chassi MBB OF-1315 de 1989
Almeida
Chassi MBB OF-1618 de 1993
Chassi MBB OF-1618 de 1993


 
Wilson

Chassi MBB OF-1620 de 1994

 

Chassi MBB OF-1620 de 1994

Chassi Ford B-1618 de 1993



Das Graças

O “menos velho” ônibus da Caio em Bayeux. Chassi MBB OF-1620 de 1995.

Busscar

Existem 3 unidades da encarroçadora operando em Bayeux. Dois Urbanuss com chassi
Scania F94 de 1998 da Wilson. Na verdade seriam três, sendo que um está
encostado na garagem da empresa. O outro é um Urbanus Mercedes-Benz OF-1620 de
1994 da empresa Das Graças.



Marcopolo

A encarroçadora gaúcha tem várias unidades de algumas gerações do modelo Torino. Eles estão entre os mais antigos da cidade.
Almeida
Chassi MBB OF-1315 de 1990
Chassi Scania F-113 de 1989



 
Wilson

Chassi MBB OF-1318 de 1991

Tpu

Chassi MBB OF-1315 de 1992

Das Graças

Chassi MBB OF-1620 de 1997

Comil

A
Wilson tem a Comil como a carroceria mais presente em sua frota. São ônibus de
várias gerações do modelo Svelto, muitos deles, bem antigos. A última
carroceria adquirida pela Almeida foi um Comil Svelto em 2003. Além desse ela
possui mais 4 Sveltos em sua frota, sendo que um está desativado
temporariamente por problemas mecânicos.
Almeida 
Chassi MBB OF-1620 de 1995
Chassi MBB OF-1318 de 1998
Último ônibus adquirido pela Almeida em 2003 com chassi VW 17.210 OD
 Wilson
Chassi MBB OF-1620 de 1995
Chassi MBB OF-1721 de 1998

Como
vocês viram, para os passageiros, as “raridades de Bayeux” não
oferecem o conforto esperado por seus passageiros, tanto que são odiados por
muitos deles. Mas os colecionadores de fotos de ônibus tem Bayeux como um
paraíso!!!

3 comentários em “As “raridades” de Bayeux”

  1. Em Fortaleza tinhamos uma empresa que se aproximava da realidade de Bayeux, o ônibus mais antigo em operação que a São José de Ribamar mantinha era fabricado em 1995 e o reboque da empresa era de 1989. Todos em excelente estado de conservação.
    Entretanto, por exigência de uma controversa licitação do sistema de transportes da capital cearense, a São José de Ribamar teve que encerrar suas atividades em julho deste ano.

    Parabéns pela postagem. É pura nostalgia.

  2. muito bacana moro pertinho da Wilson sempre admirei os velhos e bons ônibus Scania, que sempre mim levaram para escola no bairro de tambay.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.