Ônibus Paraibanos

“Parabéns Sapé!”

Fonte: Portal Ônibus Paraibanos
Matéria/Texto: JC Barboza

Hoje,
1° de Dezembro, comemoramos os 87 anos de emancipação política do município de
Sapé, maior cidade da zona da mata paraibana e principal corredor de ligação
terrestre entre a capital paraibana e a região do brejo paraibano,
consequentemente cruzam a cidade as principais empresas de ônibus do nosso
estado e interestaduais como a Viação Itapemirim e a Viação Nordeste. Hoje Sapé
sofre por não ter uma linha exclusiva ligando a cidade á capital paraibana.
Todas as linhas que operam nesse trecho partem de cidades do brejo e do litoral
norte do estado e até mesmo vindo de cidades do Rio Grande do Norte como Nova
Cruz. A superlotação dos ônibus que levam os moradores de Sapé até João Pessoa
é uma constante no ir e vir deles. Vamos conhecer a história dessa cidade e dos
ônibus que passam por lá!!!

Hoje
a principal empresa que opera linhas que passam no município, é a Viação Rio
Tinto, posto esse que já foi ocupado pelas extintas Expresso Norte Sul, Expresso Guarabirense e Boa
Viagem. A Rio Tinto é responsável pelas principais linhas que ligam o brejo
paraibano com a capital e com o litoral norte através da João Pessoa X Rio
Tinto -Via Cuité de Mamanguape e a Sapé X Rio Tinto – Via Capim. Pela Rio
Tinto, a tarifa entre João Pessoa e Sapé custa R$ 6,25.
Guarabirense
Boa Viagem
 
Rio Tinto
 

Outras
empresas que operam linhas que passam por Sapé:
Intemunicipais:
São
José: linha João Pessoa X Picuí – Via Cuité
Bela
Vista: linha João Pessoa X Gurinhém e Sapé X Alagoa Grande
Jonas
(Á serviço da Transnorte): João Pessoa X Jacaraú – Via Guarabira
Interestaduais:
Itapemirim:
linha Rio de Janeiro X Guarabira e São Paulo X Guarabira

Expresso
Paraibano: João Pessoa X Nova Cruz
Viação
Nordeste: Campina Grande X Natal (Obs.: A João Pessoa X Tangará foi desativada)
Conheça
mais sobre Sapé

Situada em bela planície, elevada acima do nível do mar cerca de
126,37m, Sapé fora Habitada em tempos pré-coloniais pelos índios potiguares.
Naturalmente estava coberta de matas exuberantes, que floresceram até o tempo
da devastação, quando se fundaram os engenhos primitivos, os quais se
bifurcaram em dois povoados: o de Alagoa Cercada, pertencente ao então Sr.
Urbano Guedes e o “Engenho Conceição(outrora denominado Buraco), de
propriedade do Senhor Simplício Coelho. 
O povoado começou com a Estação da Estrada de ferro Great-Western,
a qual foi fundada em 1882. Antes dessa urbana edificação havia um sítio, na
época, ocupado pela próspera localidade. Depois de fundada a Estação, o povoado
foi se estendendo para leste e oeste, formando assim quase dois bairros
conhecidos pelos nomes de Sapé de Baixo e Sapé do Meio, este último, assim
denominado em razão de um quase bairro que estava situado mais além com o nome
de Sapé de Cima. Neste último achava-se a Capela de Jesus, Maria e José ou da
Sagrada Família, primeira da localidade. O povoado tal qual se o acaba de
descrever, estendeu a sua parte principal para o lado de Sul deste, ultrapassando
o local em que se achava situada a capela Nossa Senhora da Conceição. Esta foi
edificada no ano de 1901, iniciada pelo então Sr. Manoel Antônio Fernandes e
terminada pelo Sr. Simplício Coelho. 

Sapé em 1922
A denominação Sapé originou-se da
existência de um tipo de capim abundante na região, conhecido pelos indígenas
como EÇAPE, o que alumia o caminho, o que dá claridade. Dele se serviam para
fazer fachos de iluminar as travessias noturnas. Data a criação do distrito e
do município em 7 de março de 1896, com a denominação de Espírito Santo,
segundo a Lei Estadual nº 40. A povoação de Cruz do Espírito Santo e a Vila de
Pedras de Fogo foram transferidas para o novo município.
Em 1º de dezembro de 1925, por
determinação da lei Estadual nº 627 do então Presidente do Estado da Paraíba,
Doutor João Suassuna, foi criado o município de Sapé , elevado a categoria de
vila. Atualmente compreende ao município, apenas o distrito de Renascença,
visto que Sobrado e Riachão do Poço emanciparam-se em 1996.
Nas letras, tem no poeta Augusto dos Anjos seu
maior ícone. Autor de única obra intitulada Eu, Augusto é detentor de um estilo
suii generis, o que o tornou conhecido e admirado em todo o mundo. Eis a Sapé
que ora apresentamos! Cenário de lutas e glórias; de encontros e desencontros
entre o moderno e o antigo. 8 décadas de vida política autônoma. História do
sapeense forte que  não se rende às dificuldades, que não se cansa de
buscar dias melhores. 
Sapé está
distante 55 quilômetros da capital paraibana João Pessoa, com
316,33 km² com uma população aproximada de 50.333 habitantes, o território
do município de Sapé situa-se na microrregião de Sapé Messorregião da Mata
Paraibana. Tem sua
posição geográfica definida pelo paralelo de 7º 05’ 38” de latitude sul, em sua
intersecção com o meridiano de 35º 13’ 58” de longitude oeste.
O
município tem clima tropical com máxima de 32 graus e mínima de 18 graus. As
chuvas começam em março e terminam em julho.

Limites
Com os municípios de Mari (10km),
Riachão de Poço (8,5km), Sobrado (7,5km), São Miguel de Taipu (17km), Cruz do
Espírito Santo (17km), Santa Rita (27,5km), Capim (23km), Caldas Brandão
(12km), Cuité de Mamanguape (20km) e Araçagi (32km).
Igreja Católica
A religião católica é
a predominante no município, tendo como sede a Matriz Nossa Senhora da
Conceição. O município conta também com outras religiões, como a protestante
difundida em várias unidades religiosas. Sapé também abriga a Cidade Cristã. A
Cidade Cristã abriga uma creche, uma escola, trabalhos de convivência para o
idoso, aulas de informática e um Centro Espírita. A unidade começou como
iniciativa do bancário (hoje aposentado) Meociades Brito, que comprou o terreno
para fazer a Sociedade Espírita Sapeense. Hoje conta com apoio do governo para
manter os trabalhos assistenciais. O Centro Espírita funciona com reuniões as
terças-feiras e sábados, além de ser a sede de um evento estadual que reúne
jovens no período do carnaval.
Economia
A agricultura
predomina na economia municipal, destacando-se a produção de abacaxi e
cana-de-açúcar, sendo produzido também em menor escala a mandioca, o feijão,
inhame e a batata-doce. Em relação ao comércio, o município denota uma
tendência crescente, apesar de fatores superiores terem influenciado uma queda
notável na economia sapeense.
O setor industrial é
pouco desenvolvido, embora o município possua algumas indústrias com destaque
para Frutos Tropicais da Paraíba, a filial da Penalty, produtora de peças para
confecção de tênis e Atacadan, produtora do açúcar Ouro Bom. 
No setor financeiro,
a cidade dispõe de quatro agências bancárias: Banco do Brasil, Bradesco, Banco
do Nordeste e Caixa Econômica; e mais uma lotérica cujo seu nome é uma
homenagem ao filho ilustre de Sapé, Augusto dos Anjos.
Principais bairros
  • Agrovila
  • Augusto dos Anjos
  • Santa Luzia
  • Centro
  • Conj. Abel Cavalcante
  • Conj. José Feliciano
  • Nova Brasília
  • Renato Ribeiro
  • Rua Nova
  • Conj. Francisco Felizardo da
    Silva
  • Bela Vista 
 
Ônibus da prefeitura de Sapé
  

2 comentários em ““Parabéns Sapé!””

    1. ktsoares.uol.com.br

      Voce sabia que da cidade de Sape partiu primeiro ONIBUS conduzindo passageiros para a cidade doRIO DE JANEIRO do nordeste na decada de 60 substituindo o pau de arara de por iniciativa dos Sapeenses empresarios na época Orlando Soares eNatanael Soares proprietarios da empresa que fazia a linha diaria em dois horarios de SAPÈ para JOão pessoa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.