A aniversariante do dia

Fonte: Portal Ônibus Paraibanos
Matéria/Texto: Josivandro Avelar
Fotos: Kristofer Oliveira/Marcos Filho/Francisco Polanski/Paulo Rafael Viana/Thiago Silva

A linha 5204 é a aniversariante do
dia 1º de novembro. Com oito anos de atividade e ligando duas regiões
completamente extremas da cidade, a linha, que é resultado da fusão dos
itinerários das ainda operantes 204-Cristo e 511-Tambaú/Manaíra Shopping, passou
por evoluções que até então eram improváveis dada a maneira como foi composta,
o que provocou um colapso em sua demanda de modo que a linha foi obrigada a se
reestruturar. A importância do itinerário havia sido minimizada pelas
autoridades da época, que demoraram a tomar providências quando viram uma linha
exclusivamente Opcional, operando com carros menores, restrições de tarifa e
operadores em dupla função se transformarem na linha de maior demanda do
corredor 2.

É nela que começa a ser identificada
a descaracterização do Sistema Opcional tal como existiu até 2011. Ela demorou
4 anos para se tornar efetivamente uma linha do sistema pessoense, passando a
operar com veículos maiores e convencionais, o que, como tudo na história da
linha até aqui, foi feito gradualmente.
Antes de contarmos com detalhes a
história da linha, relembremos um de seus antecedentes, o serviço Bus Shopping.
Bus Shopping: um antecedente do 5204
(e de outras linhas do corredor 6)
Um dos embriões da linha 5204 sequer
no Cristo passava, mas pode sim ser considerado um embrião porque a sua
extinção foi simultânea a criação do 5204. A linha “Bus Shopping” foi
criada em 2000 como uma cortesia do Manaíra Shopping. Em parceria com a Transnacional,
a linha utilizou dois Urbanuss encurtados OF-1721 (modelo inédito na empresa),
que foram comprados pela matriz campinense dois anos antes para operarem as
linhas intermunicipais e distritais da empresa em Campina, sendo remanejados
para a capital especialmente para esse serviço. Foram numerados 07220 e 07221 e
possuíam plotagem temática do Shopping.
O serviço oferecia dois ônibus
climatizados que passavam de hora em hora e não cobravam passagem; porém, a
linha não efetuava paradas durante seu trajeto, sendo considerada uma linha
expressa. A origem e o destino das linhas eram duas paradas estilo tubo também
climatizadas, no melhor estilo tubo de Curitiba. Para acessar ao Manaíra
Shopping, utilizava trechos onde atualmente o 604 trafega. Em 2002, um dos
Urbanuss é substituído por um Senior que operava até então no sistema Opcional,
o carro 07210, remanejado do 601, que volta ao mesmo após o fim do serviço Bus
Shopping, sendo fixado no 202.
A linha é extinta em 2004, dado que a
própria criação do 5204 faz com que o alcance de passageiros dessa linha somada
às outras que já trafegavam lá não justificasse mantê-la. Uma das antigas
paradas do Bus Shopping pode ser vista no Retão de Manaíra em frente ao
Shopping. Serve atualmente como ponto de táxi.
A demanda começava a aparecer. E a
exigir.

Só que nem só de lazer e diversão vive o bairro de Manaíra. Mais que garantir o
deslocamento de quem usa o Shopping por lazer, era necessário antes garantir o
deslocamento de quem lá trabalha, seja no comércio do Shopping e seus
arredores, seja na construção civil, uma vez que o bairro de Manaíra no início
dos anos 2000 estava em constante processo de verticalização. Com a proibição
da construção de espigões (prédios de mais de três andares) na orla do Cabo
Branco, bairros como Tambaú, Manaíra e Bessa passaram a ser valorizados pelo
mercado imobiliário para grandes construções. Isso exigia mão-de-obra dos
pontos mais distantes da cidade.

Até 2004, não existia nenhuma linha
que ligasse o corredor 2 aos bairros mais nobres da cidade, que viviam intenso
momento de boom imobiliário na época. Como não existia o Terminal de
Integração, quem quisesse chegar lá teria que descer de seus veículos e pegar
outros pagando uma nova passagem, o que gerava altos custos aos trabalhadores e
aos empregadores, que em atitudes extremas chegavam até a evitar contratar
mão-de-obra residente em alguns bairros pela falta de deslocamento direto e o
alto custo em vale-transporte que isso gerava.
Também naquela época começava a
aumentar a demanda de trabalho e entretenimento do Manaíra Shopping. Mangabeira
e bairros até mais distantes que o próprio Cristo já chegavam até ali, com as
linhas 5600, 5603 e 5605, estas duas últimas criadas em 1999, juntamente com a
alteração dos itinerários das linhas 1500 e 5100.
Nasce o 5204: uma filha do 204 com o
511 
Por solicitação dos moradores dos
bairros através de abaixo-assinados coletados pelas associações comunitárias, a
STTrans cria a linha 5204-Cristo/Manaira Shopping. Fpi criada a partir da fusão
dos itinerários das linhas 204 e 511, iniciando a partir do terminal do
Almeidão e acessando o bairro de Manaíra pelo itinerário da linha 511 (ou seja,
pelas ruas João Câncio e Esperança), num itinerário inicial de 43 Km
(atualmente são 45 Km). Essa linha também beneficiava os moradores da área do
Cristo que vão até a Epitácio e deixariam de efetuar grandes caminhadas a fim
de pegarem as linhas de Mangabeira no corredor principal.
A linha começa a circular no dia 1º
de novembro de 2004, uma quinta-feira como hoje, porém só um mês depois a linha
é comunicada à imprensa.
Mas essa realização não foi bem
completa para os bairros e a linha não recebeu veículos convencionais logo de
início: a linha inicialmente nasce como uma solução implicitamente paliativa,
já que era composta exclusivamente por microônibus do Sistema Opcional que eram
das duas linhas que haviam cedido seus itinerários (3 carros do 511: 07205,
07206 e 07207) e 2 do 204 (07209 e 07212). Aos poucos, a demanda subiu e as
linhas 5600 e 5605 da Reunidas deixam o sistema Opcional e cedem seus carros
para a TN (07213, 07217 e 07218, que eram os ex-08203, 08204 e 08205). Foi um
caso único onde veículos da Reunidas foram repassados para a
Transnacional. 

A linha acabou restrita pelas
próprias limitações do sistema Opcional: passagem 10 centavos mais cara,
não-circulação aos domingos e feriados e restrição a meia-passagem e
gratuidades. Como os moradores não tinham outra opção, recorriam aos
microônibus que andavam superlotados em horários de pico. A alteração pode ter
sido bem recebida pela população, mas a maneira como a linha operava não
agradava aos moradores, que não tinham o conforto que o sistema Opcional
prometia, nem tampouco o nome Opcional (que vem a ser a “opção ao sistema
convencional”) fazia sentido para a linha. A descaracterização do sistema
Opcional começava ali.
Em 2006 acontece a primeira renovação
de zeros da linha 5204. Dos 6 primeiros Senior Midi produzidos para a
Transnacional (há quem diga que aqueles foram os primeiros do modelo
 produzidos no país), 4 são direcionados para a linha 5204 (07203, 07204,
07214 e 07215). Com chassi OF-1418, os veículos já não eram mais microônibus, e
sim micromasters, configuração inédita para a empresa (a São Jorge já operava
com carros maiores com cobrador há menos de um ano antes). Com isso esperava-se
amenizar os problemas de espaço e demanda da linha. Mais tarde, outros três
veículos do mesmo modelo são incorporados (07205, 07206 e 07207), só que sem ar
condicionado e poltronas comuns, os quais mesmo sendo enquadrados como
Opcionais, cobravam a mesma passagem dos ônibus convencionais. Ainda assim não
rodavam nos domingos e feriados. 
A população do bairro já começava a
reclamar do serviço restritivo demais e pede providências a empresa e a
STTrans. Como Opcional, não rodava nos domingos e feriados. Não aceitava
meia-passagem nem gratuidade de natureza alguma. Os carros de ar cobravam 10
centavos mais caro. E os motoristas trabalhavam em dupla função, agravando os
problemas da linha. Tudo isso foi o suficiente para que os moradores do bairro
do Cristo encaminhassem abaixo-assinado a STTrans solicitando a retirada dos
micrões e a substituição dos mesmos por veículos convencionais.
2008: A linha passa efetivamente ao
sistema
A transição do 5204 para o sistema
regular foi gradual. Em 11 de fevereiro de 2008, os micrões sem ar-condicionado
são os primeiros a serem substituídos por veículos convencionais comuns. A
primeira frota convencional era composta pelos Viales 07156 e 07159,
recém-comprados, e o carro 0737, remanejado da linha 204. Com essa alteração, a
linha passa a aceitar as meias e gratuidades que até então eram negadas aos
passageiros pela natureza do serviço Opcional. Passa a rodar nos domingos e
feriados, como opção de lazer dos passageiros do bairro que antes só tinham a
linha 207-Penha/Rangel como opção direta para as praias. 
Os micrões sem ar-condicionado eram
remanejados para a Reunidas onde passariam a fazer a linha 5603 no itinerário
Val Paraíso (onde a linha toda atualmente trafega).
Três dos quatro opcionais com
ar-condicionado permanecem na linha. O carro 08214 é remanejado para a linha
601. 
De 8 de dezembro de 2008 até 23 de
março de 2011, o 5204 teve as operações divididas entre a Transnacional e a
Reunidas, o que se deve ao fato da última ter assumido integralmente o sistema
Opcional.
Em 2009, o 5204 continuava operando
no sistema Opcional sob a sombra do colapso da demanda. Josivandro Avelar já
havia relatado isso em 2009 em seu blog depois de ter usado a linha. Até quem
morava na área e dependia dele para ir e voltar para escolas como o Lyceu
Paraibano e Olivina Olívia não conseguia usar a linha; tinha que arrudear para
conseguir um lugar. Naquela ocasião, o sistema já cobrava 20 centavos a mais de
quem quisesse usar os climatizados. Os atrasos começavam a ser uma constante.
Em março de 2011, a STTrans reconhece
a inviabilidade da manutenção dos micrões no 5204 e determina a substituição
dos veículos opcionais por outros três convencionais. Com isso a Transnacional
reassume a linha por completo incorporando carros que pertenciam a frota do
A600, para onde os opcionais que eram da linha foram remanejados. Com isso,
entram na linha 0713 (ex-A600), 0714 (reserva que entra como fixo em caráter
emergencial) e 0783 (ex-510). Além disso, para dar a linha a agilidade de uma Circular,
a linha passa a usufruir da parada da Praça Castro Pinto, no Centro, acessando
a Getúlio Vargas via Av. dos Tabajaras. Tanto a parada como esse trajeto eram
privilégios das linhas 1500, 1510 e 1001.
A situação de demanda da linha 5204
continuou a preocupar de tal modo que um mês depois dessa alteração, a TN
remaneja da linha 3200-Circular o carro 0702, um dos dois trucados de 3 portas
que a linha recebera um ano antes, fazendo com que o carro 0744, que até então
operava na linha, troque de lugar com ele.
Em julho de 2011, 0713 e 0714 saem da
linha e dão lugar a 0730 e 0734, primeiros veículos com a padronização da
Unitrans a entrarem na linha bem como no próprio corredor 2.

Durante seus 4 anos como integrante
do sistema regular, não demorou para que a linha 5204 assumisse lugar entre os
carros-chefe da empresa no corredor 2. Com 1,2 ano de uso, a linha é a que tem
a idade média mais jovem entre todas do corredor, e a segunda da empresa,
perdendo somente para a linha 500. Poucas vezes recebeu remanejados, caso dos
carros 0737 e 07177 (que eram do 204), 0702 (que era do 3200), 0743 e 0783 (que
eram do 510).

Em 8 de outubro, junto com o 204, a
linha passa a ter alterações em seu itinerário dentro do Cristo, trafegando
pelas ruas Dom Bosco, Francisco Cabral e José Tavares (inicialmente seria a
José Monteiro, mas a infraestrutura da rua não suportou o tráfego dos ônibus).
A alteração tem como finalidade atender os moradores das comunidades Casarão,
Vale Verde e Novo Horizonte que ficam nas proximidades do itinerário.
A atual frota da linha é composta
pelos carros 0702, 0730, 0734, 0777, 0783 e 07159

Compartilhe esta matéria
ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.