Ônibus Paraibanos

Passageiros reclamam da espera pelos ônibus em João Pessoa

Fonte: Jornal da Paraíba
Matéria/Texto: Jaine Alves
Foto: Paulo Rafael Viana

De acordo com o chefe da
Divisão de Ônibus (Dion) da Superintendência de Mobilidade Urbana (Semob),
Francisco Alcântara, são feitas cerca de 7,5 milhões de viagens com transporte
público por mês, em João Pessoa. Para muitos, sair de casa para ir trabalhar acaba
sendo uma saga que consome boa parte do tempo, já que, dependendo do bairro,
pode-se levar cerca de uma hora e meia até o trabalho.É
o caso da costureira Lúcia da Silva, 45 anos, que mora no Rangel e trabalha nos
Bancários, que espera cerca de 40 minutos por um ônibus. “Para pegar apenas um
ônibus para ir para o trabalho, tenho que esperar a linha 201, que faz a rota
Ceasa e demora muito. Quando os ônibus não quebram, espero por aproximadamente
40 minutos para ele passar no ponto”, relata.

Lúcia
diz, ainda, que nos finais de semana e nos feriados a demora é muito maior,
passando do dobro do tempo em relação aos dias da semana, o que acaba
desestimulando-a a sair de casa para passear com a família, que depende
exclusivamente do transporte público.

quem prefira pegar dois ônibus para chegar ao destino a ter que esperar mais de
meia-hora à espera de um. É o caso da aposentada Rosely Valeriano, 55 anos. Ela
disse que para ir ao Departamento de Trânsito da Paraíba (Detran-PB), saindo da
avenida Dois de Fevereiro, no Cristo, teria que pegar a linha ‘Penha’, mas pela
demora, prefere pagar duas passagens para ganhar tempo. “Eu teria que pegar o
ônibus da Penha, mas ele demora muito, entre 40 minutos e uma hora. Então eu
pego o 203, que demora menos e depois pego outro. Pago duas vezes, mas chego
mais rápido”, declara.
Segundo
Francisco Alcântara, a maioria das pessoas que utiliza o transporte público em
João Pessoa não sabe, ou não confia, na Integração Temporal. Através da
bilhetagem eletrônica, é possível descer de um ônibus e pegar outro sem que a
passagem seja novamente cobrada, dentro de um limite de 30 minutos. “As pessoas
têm que ter confiança na Integração Temporal, pois ela realmente existe e
funciona”, afirma.
De
acordo com o Diretor de Planejamento da Semob, Adalberto Araújo, o crescimento
demográfico acelerado é a raiz da sobrecarga do transporte coletivo. “Os
bairros da zona sul estão crescendo muito rápido e estamos buscando
alternativas para acompanhar esse crescimento, mas toda alteração leva um tempo
para ser implementada”, avalia, acrescentado que a Semob já dispõe de projetos
que preveem a reestruturação dos transportes públicos da capital.
O
diretor da Associação das Empresas de Transportes Coletivos de João Pessoa
(AETC-JP), Mário Tourinho, afirma que faz reuniões semanais com os donos das
empresas de ônibus que circulam em João Pessoa para tomar conhecimento da
situação e analisar a prestação do serviço. “Os próprios empresários relatam a
demora que os ônibus levam para fazer o percurso.
Infelizmente,
o drama vivido por todos é decorrente do trânsito”, lamenta.
Compartilhe esta matéria
ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.