Ônibus Paraibanos

Mercedes-Benz lidera vendas de ônibus no Brasil

Fonte: Mercedes-Benz
Matéria/Texto: Rafael Brusque Toporowicz
Fotos: JC Barboza/Diego Almeida/Rafael Silva

Com o emplacamento de 9.995 ônibus entre janeiro e setembro deste ano, a
Mercedes-Benz manteve sua destacada liderança nas vendas do setor no Brasil.
Com isso, alcança quase metade do mercado no segmento acima de 8 toneladas. O
volume comercializado pela marca supera em 4.200 unidades o total registrado
pelo concorrente mais próximo. “Considerando apenas o segmento de
ônibus urbanos, a liderança da nossa marca foi ainda mais expressiva, superior
a 61% de participação”, diz Gilson Mansur, diretor de Vendas e Marketing de
Ônibus da Mercedes-Benz do Brasil. “Entre os rodoviários, estamos à frente com
47% do mercado”.

Na avaliação do executivo, a
renovação de frota de ônibus urbanos segue puxando as vendas do setor. “Além de
grandes mercados, como São Paulo e Rio de Janeiro, diversas cidades de outras
regiões estão seguindo essa tendência, como é o caso recente da venda de 400
ônibus da nossa marca para Ribeirão Preto e de 135 unidades para Fortaleza”,
destaca Gilson. “As empresas visam atender às exigências de novas licitações do
transporte coletivo e também oferecer melhor prestação de serviços aos
usuários”.

De acordo com Gilson, há também uma
intensificação das grandes obras de infraestrutura no Brasil visando a Copa do
Mundo de 2014 e as Olimpíadas de 2016. “A Mercedes-Benz está totalmente
preparada para atender a essa demanda. Há em operação no nosso País, por
exemplo, aproximadamente 1.500 ônibus articulados da família O 500, a maioria
em sistemas de transportes integrados, como BRTs e pré-BRTs, transportando
pessoas com conforto, segurança e respeito ao meio ambiente. Aliás, os 91
primeiros ônibus articulados do sistema Transoeste no Rio de Janeiro são todos
da família O 500 da Mercedes-Benz”.

A ampla aceitação dos produtos da
marca é outro fator que reforça a liderança da Mercedes-Benz no segmento de
ônibus no Brasil. A Empresa renovou totalmente a sua linha de chassis – a maior
e mais completa do País –, agregando ainda mais valor para os clientes com o
BlueTec 5. Essa tecnologia se destaca por motores mais potentes, econômicos e
ecológicos, bem como por um desempenho superior, com menor consumo de
combustível e maiores intervalos de troca de óleo, o que reduz o custo
operacional e aumenta a rentabilidade para o cliente.
Para maior tranquilidade dos clientes,
a Mercedes-Benz oferece também o mais completo pacote de produtos e serviços de
pós-venda do segmento, disponibilizados por meio da maior Rede de
Concessionários de veículos comerciais do País, com 200 pontos de atendimento
em todos os estados do território nacional.

Maior fabricante de veículos comerciais da América Latina
A Mercedes-Benz do Brasil é uma
empresa da Daimler AG, maior fabricante de veículos comerciais do mundo. Desde
o início deste ano, passou a ser também a responsável por todos os negócios do
Grupo Daimler na América Latina, bem como pela operação de cinco unidades
industriais.
São três fábricas no Brasil (chassis
de ônibus, caminhões Atego, Atron e Axor e agregados são produzidos em São
Bernardo do Campo; caminhões Accelo e Actros em Juiz de Fora; e produtos
remanufaturados da linha RENOV em Campinas); uma planta na Argentina (para
fabricação de veículos da linha Sprinter, caminhões e chassis de ônibus); e uma
unidade na Colômbia, para montagem de chassis de ônibus, especialmente desenvolvidos
para aquele mercado.
A divisão de negócios Daimler América
Latina concentra a responsabilidade pelas atividades comerciais de produtos das
marcas Mercedes-Benz, Fuso, Freightliner, Thomas Built Buses, Western Star e
Detroit Diesel em 43 países da região, com exceção do Brasil e da Argentina,
que já possuem operações próprias de seus negócios; e do México, que integra
outra divisão com os Estados Unidos.
A planta de São Bernardo do Campo é a
maior da Daimler fora da Alemanha e única do Grupo a reunir, num só local,
produção de chassis de ônibus, caminhões e agregados, como motores, câmbios e
eixos, além de cabinas de caminhões.
Na planta de São Bernardo do Campo, a
Empresa conta, há mais de 20 anos, com o Centro de Desenvolvimento Tecnológico,
o maior da América Latina e também o maior da Daimler para veículos comerciais
Mercedes-Benz. Graças à competência, experiência e conhecimento de sua equipe
de 650 engenheiros, técnicos e especialistas e aos seus modernos e avançados
recursos tecnológicos para desenvolvimento e testes, a unidade brasileira é o
Centro de Competência Mundial da Daimler para o desenvolvimento de chassis de
ônibus, sendo a referência para as demais unidades do Grupo.

A maior exportadora do Brasil

A Mercedes-Benz do Brasil é a maior
exportadora de ônibus e também de caminhões do País. Os produtos da marca
conquistaram reconhecimento ao redor do mundo por sua qualidade, durabilidade e
confiabilidade, assim como pelo suporte pós-venda que a Empresa oferece aos
clientes, assegurando reposição de peças e assistência técnica especializada.

Os veículos produzidos pela
Mercedes-Benz do Brasil são exportados hoje para cerca de 50 países, tanto da
América Latina, quanto de outros continentes. Ao longo dos 50 anos de atuação
no mercado externo, a Empresa chegou a atender mais de 90 países.
Mercedes-Benz vende as primeiras 50 unidades do novo ônibus articulado O 500 UDA, o “Superarticulado”

A Mercedes-Benz registrou a venda das 50 primeiras unidades do novo
chassi O 500 UDA de piso baixo para ônibus articulados, que começou a ser
produzido no segundo semestre deste ano, assim como o modelo O 500 MDA. Os
veículos foram adquiridos por empresas de transporte coletivo urbano da cidade
de São Paulo: 25 unidades pela VIP, 20 pela Viação Campo Belo e 5 pela Gatusa.

“A grande novidade dos novos O 500
UDA e MDA são seus 4 eixos, sendo 2 eixos na parte traseira do veículo, o que
possibilita a instalação de carroçarias de até 23 metros, para o transporte de
mais de 200 passageiros, dependendo da configuração interna da carroçaria”, diz
Gilson Mansur, diretor de Vendas e Marketing de Ônibus da Mercedes-Benz do
Brasil. Segundo o executivo, estes chassis trazem novas soluções para o
segmento de alta capacidade de transporte de passageiros, como os corredores
exclusivos e especialmente o sistema BRT (Bus Rapid Transit), que vem ganhando
espaço no Brasil, principalmente nas cidades que sediarão a Copa do Mundo de
2014 e as Olimpíadas de 2016.
Mercedes-Benz amplia a oferta de
ônibus articulados 
Com o lançamento dos novos chassis superarticulados,
a Mercedes-Benz amplia o leque de opções para os clientes. Às já conhecidas
versões O 500 MA e UA de piso baixo, a marca agrega os novos modelos O 500 MDA
e UDA de piso baixo.
Todos os modelos da atual linha O 500
de articulados se destacam pela avançada e exclusiva tecnologia BlueTec 5 e por
motores mais econômicos e ecológicos. Além de reduzir drasticamente as emissões
de poluentes, atendendo aos limites do PROCONVE P-7 (Euro 5), o BlueTec 5
proporciona menor custo operacional, com redução no consumo de combustível,
maiores intervalos de manutenção, excelente desempenho, eficácia e
confiabilidade.
Os chassis O 500 para ônibus
“Superarticulados” asseguram também facilidade de operação e manutenção. Outra
importante vantagem é que eles são operacionalmente rentáveis durante todo o
período de sua utilização diária e não apenas nos horários de pico, aumentando
assim as vantagens para os operadores, gestores e planejadores dos sistemas de
transporte urbano de passageiros.
Os modelos O 500 UA e UDA de piso
baixo – “low entry” – são indicados para pontos de embarque ao nível da
calçada. Já os O 500 MA e MDA, com piso normal, são mais adequados para
corredores que utilizam plataformas de embarque elevadas. Todos os chassis
articulados Mercedes-Benz são indicados para BRT e corredores exclusivos,
ficando a cargo dos gestores e operadores a escolha do modelo que melhor atenda
ao dimensionamento da capacidade do seu sistema de transporte.



2º eixo traseiro direcional amplia o
conforto e dirigibilidade




Um diferencial dos chassis O 500 MDA
e O 500 UDA de piso baixo, é que o 2º eixo traseiro é móvel, com suspensão
independente. Instalado atrás do eixo de tração, ele reduz o arraste, melhora
as manobras e evita o desgaste dos pneus.

Com essa suspensão direcional, o raio
de giro é reduzido. Isso propicia maior facilidade de estacionamento nas
estações e terminais de passageiros, garantindo com isto uma pequena distância
entre o veículo e a plataforma em qualquer situação. Os planejadores dos
Sistemas BRT também são beneficiados com o 4º eixo direcional, no sentido que
passam a ter mais possibilidades nos projetos de terminais e estações dos
sistemas.

 

 

Compartilhe esta matéria
ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.