Ônibus Paraibanos

(I)Mobilidade urbana: Toda mudança precisa de planejamento e racionalidade

Fonte: Blog Josivandro Avelar
Matéria/Texto: Josivandro Avelar
Fotos: Heron Junior/Josivandro Avelar

Mudanças são sempre bem-vindas, como
uma que atingiu o bairro do Cristo/Rangel hoje. Porém deficiência de
planejamento pode fazer com que um ajuste feito numa linha de ônibus possa não
ter o efeito esperado.

A mudança: A alteração da linha
501-Colinas do Sul, que foi transformada em duas circulares que passaram a
trafegar aqui nos bairros do Cristo/Rangel.
O problema: Está no itinerário dela aqui
dentro e o pensamento de que a área poderia ser melhor beneficiada se as linhas
fossem outras, se o questionamento era realmente este. A área do Colinas
recebeu a linha para o bairro, mas esta não passa na parte mais movimentada do
bairro enquanto outras linhas que passam no centro comercial do Rangel vêm e
vão na maioria para os mesmos destinos.
A solução: Trocar um par de circulares no
lugar. Um dos Mangabeira-Cristo/Epitácio poderia muito bem trafegar na área
onde trafega o 201-Ceasa, dado o excesso no corredor principal que poderia ser
aliviado.
As linhas, da maneira que estão circulando, já começaram
mal ajustadas.
Porque se fosse para beneficiar os
moradores do bairro que dependem do 201, era mais preferível migrar uma das
Mangabeiras Cristo/Epitácio para o itinerário da São Judas Tadeu, visto que
aqui na área do Mercado já tem linhas demais para o destino Mangabeira (todas
as 11 linhas de Mangabeira passam no mesmo local no corredor, ou seja, é mais
fácil você sair daqui pra ir à Mangabeira do que a qualquer outro lugar). Seria
mais negócio para os moradores das áreas.
E do jeito que está, a linha ficou mais
arrudeosa. Se a Semob planejasse melhor, veria que seria mais ágil colocar esse
Circular via Napoleão Duré/Almeidão/Principal do Geisel (Valdemar Naziazeno),
criando até opção para que o pessoal daquela área não ande 200 metros para
pegar um Mangabeira-Cristo/Epitácio (ou mesmo os passageiros que não querem
esperar por um 1502 ali). Se for ver, como o 501 chegava ao Colinas? Via
Valdemar Naziazeno a partir do girador. Então, o que custaria a Semob colocar a
linha nesse itinerário que é mais ágil, e colocar uma linha como o 2514/5206
para a São Judas Tadeu e inclusive atrás do IFPB? As linhas ficariam mais bem
distribuídas e todos sairiam ganhando.
Cabe lembrar que até então o 501 tinha uma
demanda considerável.
Mas foi feito um negócio mal planejado e
mal distribuído aqui dentro. Com isso, eles até reconhecem que o corredor 2 (2
de Fevereiro, Rangel e Cristo) tem potencial, afinal existem no corredor duas
áreas de escape e distribuição das linhas (o itinerário 201 e o itinerário
204). O que falta mesmo é apenas melhor distribuí-las, porque fazer isso que é
bom, não fizeram.
Isto significa dizer que as duas novas
linhas do Colinas não passam no centro nervoso do bairro, o que compreendemos
como Mercado Público e UEPB, que fica no Colégio José Lins do Rego, a 250
metros e várias esquinas de uma das paradas das novas linhas. No corredor
principal, basta apenas atravessar a rua.
Esperemos até a segunda-feira. Um dia útil
é muito determinante para saber como essa alteração vai se comportar. É o dia
que as pessoas vão ao trabalho e à escola.
Do mesmo lugar para o mesmo
lugar
Para vocês entenderem o que é uma mudança
que não foi planejada para um deslocamento eficiente, elaborei esta arte para
mostrar melhor como que se dão os deslocamentos dos bairros do Cristo e Rangel.
As vias em amarelo é onde trafegam a maioria das linhas, sendo
que dessas 2 são o 204 e 5204, 2 vem do Geisel, e as restantes são linhas que
vão ou vieram de Mangabeira (número para cada lado da pista considerando as
linhas circulares de cada). Só de Mangabeira, vem quase 35 veículos, contra 16
do Geisel e 12 do Cristo apenas no centro nervoso do bairro. Na parte da UEPB,
são só os dois primeiros (as linhas 204 e 5204 vão entrar no corredor a 150
metros adiante).
Nas pistas azuis, é onde está concentrada a
demanda do 204, 208 e 5204. Toda essa área é atendida por 15 veículos. Para ir
a outros destinos, você tem que andar 200, 300, 500, 700 metros. Ou ir até a
Integração.
Além disso, para ir até o destino UFPB,
você precisa ir até o Centro e atravessar um corredor inteiro (Pedro II ou
Epitácio) e mais um pouco.
Na área do Ceasa, onde estão trafegando as
novas linhas, criaram um circular Rangel/Epitácio que já é mais arrudeoso que o
2514/5206. Se transferirem essas linhas para esta área em troca da outra, será
mais negócio para os moradores da área, além do quê, os moradores do Colinas do
Sul aqui dentro do bairro, já ficam privados de descer próximos a áreas
comerciais e a UEPB, que fica no Colégio José Lins. Vão ter que caminhar metros
para chegar.
Não seria ideal uma pulverização dessas
linhas que vem de Mangabeira, colocando um Cristo/Epitácio para a área do 201,
bem como agrupar o 203 com o 209? Na parte amarela já há linha demais indo para
o mesmo lugar. Quem está sai num instante; quem não está caminha e muito
dependendo de onde você mora.
Mobilidade urbana é principalmente pensar
em deslocamento eficiente. E isso não parece acontecer hoje.
Compartilhe esta matéria
ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.