Ônibus Paraibanos

O que é ARLA 32?

Fonte: Portal Ônibus Paraibanos
Matéria/Texto: JC Barboza

Com a entrada em
vigor da norma Proconve P7 mas conhecida como Euro V, alguns fabricantes de
chassi, como a Mercedes-Benz passaram a utilizar o reagente Arla 32 em seus
motores. Como ainda é uma novidade, esse assunto tem gerado muitas dúvidas
entre pessoas que vivem o dia a dia lidando com os motores á diesel, sejam eles
mecânicos, motoristas ou entusiastas do assunto como busólogos, colecionadores,
estudiosos e até mesmo curiosos. Com intuito de esclarecer e sanar essas
dúvidas, o nosso Portal Ônibus Paraibanos começa uma série de duas matérias
explicando o que é e para que serve alguns dos componentes essenciais para o
funcionamento dos novos motores equipados com a tecnologia Euro V. Boa leitura!!!

Entre diversos requisitos, a nova
norma exige a redução de 80% nas emissões de material particulado e de 60% nas
emissões de Óxidos de Nitrogênio (NOx), em relação ao padrão atual. Além de
atender a essas exigências, os veículos com tecnologia Euro V também
oferecem um excelente desempenho e reduzem o consumo de combustível, diminuindo
o custo operacional e assegurando a rentabilidade para os clientes.
ARLA 32 é uma solução de uréia de
alta qualidade e pureza. Um produto muito fácil de usar.
ARLA 32 é um reagente que é usado
juntamente com o sistema de Redução Catalítica Seletiva (SCR) para
reduzir quimicamente as emissões de óxidos de nitrogênio presentes nos gases de
escape dos veículos a diesel. O ARLA 32 é uma solução a 32,5% de uréia de alta pureza em água
desmineralizada que é transparente, não tóxica e de manuseio seguro. Ele não é
explosivo, nem inflamável nem danoso ao meio ambiente. O ARLA 32 é classificado
como produto de categoria de risco mínimo no transporte de fluidos. Não é um
combustível, nem um aditivo de combustível e precisa ser utilizado em um tanque
específico em seu veículo diesel SCR. O abastecimento é feito de forma
semelhante ao diesel. Se você derramar ARLA 32 em suas mãos, basta lavá-las com
água. O ARLA 32 converte o NOx em Nitrogênio puro e em vapor de água, que são inofensivos à natureza, melhorando a qualidade do ar.
Quanto ARLA 32 é necessário?
O consumo médio de ARLA 32 é de 5% do
consumo de diesel, de maneira que será necessário abastecer muito menos ARLA 32
do que diesel. Serão utilizados cerca de 5 litros de ARLA 32 para cada 100
litros de diesel.
Como se deve guardar ARLA 32?
O ARLA 32 pode ser guardado por um
ano se for feito da maneira correta, isto é, protegido da incidência direta da
luz solar. Ele necessita ser protegido de temperaturas muito altas ou muito
baixas. Deve ser armazenado em uma embalagem selada em um local bem ventilado.
Por que devo escolher SCR + ARLA 32
ao invés de outras tecnologias?
O ARLA 32 juntamente com o SCR
oferece uma significativa redução no consumo de combustível e conseqüentemente
das emissões de CO2 se comparado as tecnologias concorrentes. Todos os maiores
fabricantes de caminhões e ônibus no Brasil passaram a oferecer a partir de janeiro
de 2012, modelos equipados com SCR.
Por que a qualidade do ARLA 32 tem
importância?
Várias ações podem afetar a qualidade do
ARLA 32. Para prevenir uma contaminação, é imperativo que materiais
estranhos não entrem em contato com a solução. Utilizar o ARLA 32 contaminado
pode levar a uma dispendiosa substituição do catalisador. Comprar Air1 é a
garantia de ter a correta especificação exigida para a utilização com a
tecnologia SCR. 

Uréia de alta
pureza no ARLA 32

Os sistemas SCR são sensíveis a
potenciais impurezas químicas contidas na solução de uréia. Mesmo pequenas
quantidades de impurezas podem prejudicar seriamente o desempenho do sistema
SCR.
A qualidade e pureza da água
utilizada na produção do ARLA 32 são fundamentais para evitar contaminações. A
utilização de água não pura na produção do ARLA 32 é a maior ameaça ao
catalisador. A maioria dos fabricantes de veículos não dá garantia se for
utilizado um reagente de baixa qualidade ou uma solução que tenha sido
adulterada e manuseada incorretamente. A utilização de produtos de qualidade
evitará o alto custo de substituição do catalisador.

 

Compartilhe esta matéria
ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.