Ônibus Paraibanos

O transporte pessoal muda as cidades brasileiras

Fonte: Agência Webtranspo

Soluções de mobilidade em geral, sistemas de gerenciamento de trânsito e
a expansão das redes de metrôs prometem ajudar a solucionar o congestionamento
das ruas e a qualidade decrescente de vida nas áreas centrais das cidades. Muitas megacidades da América Latina já alcançaram o desenvolvimento
sustentável com sistemas amplos de transporte metropolitano e com soluções de
mobilidade inteligente. No entanto, esses sistemas não tiveram muito sucesso ao
enfrentar o desafio mais importante de diminuir o uso do automóvel. 

Esse
esforço é necessário para transformar a cultura extremamente arraigada na
região de uso de transporte individual. As considerações de custo tiveram
influência nas redes públicas de transporte da região. Um exemplo notável é o
de Curitiba – uma cidade verde e um modelo mundial em transporte sustentável:
Ela lançou seus primeiros sistemas de trânsito rápido de ônibus, e agora a
maioria das cidades já tem ou está criando sistemas assim.
Mas os ônibus não são suficientes para lidar com a crescente mobilidade
urbana no Brasil. Ainda que utilizem faixas exclusivas, os ônibus ainda são
muito mais lentos que o transporte sobre trilhos. Outro problema é que a sua
capacidade é muito baixa para atender a uma população em crescimento – e eles
aumentam as emissões de poluentes dentro da cidade. Os primeiros passos para
melhorar essa situação já foram tomados: em São Paulo, por exemplo, alguns
ônibus foram convertidos para funcionamento com etanol, ao passo que outros são
movidos a eletricidade com o uso de linhas suspensas.
O metrô como uma solução
São Paulo está dando um passo além. Apesar de os ônibus ainda serem o
principal meio de transporte nessa megacidade, transportando oito milhões de
pessoas todos os dias, o metrô tem um papel fundamental no transporte de quatro
milhões de passageiros por dia, dos quais 500 mil usam a linha 4-amarela. Essa
linha é a extensão mais recente e mais inovadora da rede metroviária de São
Paulo. Com quase 13 km de extensão, a linha 4-amarela é a única linha de metrô
sem motorista da América do Sul. A Siemens teve uma participação fundamental no
processo de mobilidade, fornecendo acionadores e tecnologias de controle, um
sistema de gestão de energia e as comunicações de toda a linha, circulação de ar
e infraestrutura de segurança. A Siemens também está ajudando a modernizar a
rede de metrô já existente em São Paulo.
A megacidade do Rio de Janeiro também está investindo em metrôs. Agora a
população pode ir da lendária praia de Ipanema de modo conveniente pelos trens
urbanos em vez de ônibus quentes e sufocantes. Uma extensão da linha 1 foi
concluída em dezembro de 2009. As estações são até mesmo equipadas com
bicicletários monitorados por vídeo. A Siemens forneceu componentes de
mobilidade importantes para a nova seção, inclusive a iluminação, sistema de
vigilância, fornecimento de energia de emergência, sala de comando e
infraestrutura de comunicações.
Gestão de trânsito para a megacidade
O volume de trânsito nas ruas continua a aumentar a um ritmo mais rápido
que a capacidade da malha viária, e os congestionamentos causam problemas de
mobilidade cada vez maiores nas cidades ao redor do mundo. A implantação de um
sistema efetivo de gestão de trânsito e de transporte urbano pode trazer muitos
benefícios e contribuir para um desenvolvimento sustentável. O sistema de
controle de tecnologia avançada da Siemens, o PC SCOOT, que está gerenciando os
fluxos de trânsito em grandes partes de São Paulo, está facilitando o trabalho
das autoridades locais. O respectivo software, que também é da Siemens, está
ajudando a garantir que as 450 interseções atualmente controladas pelo PC SCOOT
continuem a ser gerenciadas com eficiência no futuro.
Visão para mobilidade elétrica
A mobilidade elétrica terá um papel cada vez mais importante nos
conceitos de trânsito com eficiência energética para as cidade verde e
sustentável do futuro e pode ser combinada com a smart grid. Os carros
elétricos e veículos híbridos oferecem uma forma de mobilidade que preserva
recursos e não prejudica o ambiente, especialmente no que se refere ao
transporte privado. Na conferência Rio+20 em junho de 2012, a Siemens
demonstrou o potencial de soluções de mobilidade elétrica para um grande número
de visitantes oferecendo, por exemplo, transporte em carros híbridos ou carros
elétricos que utilizam componentes da Siemens.



Compartilhe esta matéria
ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.