Ônibus Paraibanos

Uma saída de emergência

Fonte: Inbus Transport
Foto: Acervo Paraíba Bus Team

Item obrigatório nos
veículos comerciais que transportam passageiros coletivos, a janela de
emergência foi introduzida ainda no final da década de 50 . Intuitivamente
ninguém deseja uitlizá-la em viagens, quer seja rodoviária ou nos percursos
urbanos. Mas vale lembrar, no caso de acidentes (que são fatalidades no
contexto) é juntamente com o alçapão as saídas de emergências do interior do
salão de passageiros. Mostramos um exemplar de junho de 1967 – Carrocerias
Nicola de Caxias do Sul (antecessora da atual Marcopolo, cuja foto é de uma
unidade montada sobre um chassi FNM da época, um V11000).

Os tempos eram outros. A
foto ilustra as duas janelas de emergência do ônibus rodoviário (ainda com as
laterais revestidas de chapas vincadas e as tradicionais janelas inclinadas)
posicionadas no balanço traseiro de veículo. Ambas eram compostas por módulos
retangulares, confeccionadas e revestidas pela própria estrutura da janela
(embutida) e fixadas por dobradiças na parte inferior dos painéis. Para
acioná-las internamente era apenas por duas pequenas travas. 
A janela modular tinha 550
mm de altura e 1100 mm de comprimento. acionada projetava ampla área de fuga.
Diferentes dos dias atuais onde atualmente são obrigatórias as identificações
dos locais exclusivas e identificadas por adesivos de alerta e as cortinas de
cor vermelha. No caso do Nicola de 40 anos atrás era apenas uma saída de
emergência.
Compartilhe esta matéria
ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.