Ônibus Paraibanos

Um micro elétrico…

Fonte: Inbus Transport

Há exatos 33 anos, a EBTU (Empresa Brasileira de Transportes
Urbanos) apresentava a classe técnica e a população um programa de humanização
nos transportes urbanos do país (na busca da economia de combustível e
aproveitamento dos sistemas regionais existentes). Já havia sido apresentado o
protótipo do primeiro trólebus de 12 metros de comprimento encomendados pela
extinta CMTC SP – Companhia municipal de transportes coletivos de São Paulo
(num lote de 200 veículos fabricados pela Ciferal e consórcios
Scania/Tectronic) para operar no maior sistema de ônibus elétrico do Brasil.

Tratava-se de um veículo de
seis metros de comprimento, 2,40 m de largura e transportava 18 passageiros
sentados (dispostos em bancos encostados na lateral do pequeno elétrico). O
sistema elétrico de tração do notável micro à bateria (de chumbo ácido) tinha
capacidade para 1200 kg de carga.
O chassi era de duralumínio
(igualmente aos robustos dinossauros da Ciferal), equipado com comando
eletrônicos do tipo chopper e autonomia viária para seis horas de operação
ininterrupta (observando que precisaria de mais 12 horas plugados na tomada…)
O ônibus elétrico movida a
bateria foi projetado pela Engesa, CNPq e EBTU e construído apenas uma única
unidade: muito diferente da realidade energética de hoje, e com os micro ônibus
atuais…
Compartilhe esta matéria
ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.