Brasil precisa de 50 mil novos motoristas de ônibus e caminhão

Fonte: G1/Unibus RN
Foto: JC Barboza

As empresas estão sofrendo com a falta de mão de obra. Segundo a Confederação Nacional do Transporte faltam 50 mil motoristas de caminhão e de ônibus, em todo o país. Em Minas Gerais, a situação é tão crítica que as empresas de ônibus estão formando novos motoristas em cursos gratuitos. Lá se foi o tempo em que a fila de candidatos em busca de uma vaga como motorista de ônibus dobrava o quarteirão na porta da empresa: “Nós temos observado os candidatos migrando para outras áreas”, diz a gerente de RH Rejane Aguiar.



O anúncio na parede e a caixa de currículos já não chamam muita atenção. Algumas transportadoras até facilitam para o candidato. Basta pegar o telefone.

Segundo a Confederação Nacional do Transporte, no país faltam 50 mil motoristas de caminhão e de ônibus.

Para evitar o apagão de mão de obra, sindicatos e empresas de transporte de BH e RMBH se uniram. Criaram um curso gratuito para formar novos motoristas. Para estimular os alunos, a sala de aula já dá uma ideia de como vai ser o local de trabalho.

Tem empregada doméstica, motoqueiro, manobrista, soldador, cobrador, gente em busca de novas oportunidades.

“Já consigo pegar os passageiros, os idosos. É meu sonho desde criança. Agora eu estou tentando realizar e vou realizar”, diz uma aluna.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.
Como ficariam os ônibus urbanos da Itapemirim? Relíquias do Museu da Itapemirim O amor pede passagem Busscar El Buss da Auto Viação 1001 Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 04/2021 Montagens de modelos com o layout da Nacional e Continental O Apache Vip na frota metropolitana da Grande João Pessoa O Apache Vip na frota municipal de João Pessoa Apache Vip da Util Renovação de frota na Boa Esperança