Ônibus Paraibanos

Fábrica da Volare no Espírito Santo terá como alvo principal o mercado externo

Fonte: Canal do Ônibus
Matéria / Texto: Adamo Bazani
A Volare, empresa do Grupo Marcopolo especializada em minionibus, anunciou que um dos objetivos principais da nova unidade que deve ser inaugurada na cidade de São Mateus, nordeste do Espírito Santo, é o mercado externo. Nesta segunda-feira, 11 de junho de 2012, executivos da empresa, o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, o prefeito de São Mateus, Amadeu Boroto e outras autoridades locais assinaram um protocolo de intenções para a instalação de uma fábrica na cidade.

Ao Blog Ponto de Ônibus / Canal do Ônibus, a Volare revelou que um dos principais objetivos para a construção da nova unidade é o mercado externo. A Volare lidera as vendas deste tipo de veículo no Brasil, com cerca de 60% do mercado. A empresa espera crescimento no setor principalmente a partir do próximo ano, quando os impactos das mudanças de legislação sobre emissão de poluentes que desaqueceram o mercado por provocarem renovações antecipadas de frota no ano passado, já devem ter perdido a força.
Uma nova unidade permite o aumento de produção na fábrica de Planalto, em Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul para atender o mercado local, havendo espaço para as exportações na outra planta.
A proximidade do Espírito Santo dos principais portos brasileiros, deixando a Volare geograficamente numa posição mais centralizada no País, foi um dos motivos para a escolha do Estado.
No início deste ano, durante a apresentação da linha Euro V, que segue os novos padrões de restrição de emissões de poluição, o gerente da Volare, Milton Susin, havia declarado que a participação das vendas da empresa para o exterior tinha de ser ampliada.
“Os produtos Volare têm presença marcante no mercado brasileiro, mas o mercado externo ainda é pequeno. A linha Volare é a boa ideia, bem implementada e na hora certa. Precisamos mostrar isso para os outros países e vamos começar mais intensamente com nossos clientes mais regulares, como Argentina, Chile e Equador” – contou Milton Susin naquela época.
Os investimentos devem ser inicialmente de R$ 35 milhões com a geração direta de 300 empregos. De acordo com a Volare, as operações na fábrica devem começar em agosto de 2013. A estimativa é de produção de mil unidades no primeiro ano de funcionamento. A fábrica terá 800 mil metros quadrados, mas de área construída, cerca de 100 mil metros quadrados. Ainda não foram definidos os modelos da Volare que irão ser fabricados na unidade, mas a produção terá início gradual, com um modelo apenas, também ainda a ser anunciado.
O governo do Espírito Santo comemorou a decisão da marca de veículos leves da Marcopolo pelos investimentos e por inserir o estado na tão desejada indústria automotiva.
MARCHA PARA O SUDESTE –  A região Sul do País é tradicional por abrigar encarroçadoras de ônibus. Entre as maiores marcas estão Marcopolo, Volare e Neobus, em Caxias do Sul, no Rio Grande do Sul, Maxibus/Metalbus, em Flores da Cunha, no Rio Grande do Sul, Mascarello, em Cascavel, no Paraná, Busscar, em Joinville, Santa Catarina e Comil, em Erechim, no Rio Grande do Sul. O mercado, no entanto sempre foi mais forte no Sudeste do País, onde existem grandes frotistas, tanto de veículos urbanos como de rodoviários.Além disso, o Sudeste fica “no meio do caminho” para outros mercados, como o Nordeste e Norte que também possuem clientes fortes.
Três das principais montadoras de ônibus também estão no Sudeste: Mercedes Benz e Scania, em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista, e Volkswagen Man, em Resende, no Rio de Janeiro. Os investimentos no Sul do País continuam, mas além da Volare, outras empresas anunciam plantas no Sudeste, mesmo que seja para produtos específicos. É o caso da Comil, que deve ter uma fábrica inaugurada em Lorena, no Interior de São Paulo. Na unidade, inicialmente devem ser feitos ônibus urbanos. No Sudeste existem a Caio, em Botucatu, no interior de São Paulo, e com planta bem ao lado, a Irizar produz ônibus rodoviários.
Compartilhe esta matéria
ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.