Ônibus Paraibanos

Conhecendo o sistema BRT “Transoeste” do Rio de Janeiro

Fonte: Portal Ônibus Paraibanos
Matéria / Texto: Paulo Rafael Viana
Fotos e informações: JC Barboza / Josenilton
Cavalcante da Cruz / Yago Araújo

Apoio e colaboração: Auto Viação Jabour / Rafael Lucas
C. Melo / Rio Ônibus
O transporte público no formato BRT (Bus
Rapid Transit)
vem se tornando popular em várias cidades do mundo, pois
demonstra muita eficiência no transporte de passageiros dentro das cidades. No
Brasil não é diferente, e com a proximidade de grandes eventos mundiais como a
Copa do Mundo em 2014 e os Jogos Olímpicos em 2016, as apostas e investimentos
nos sistemas de BRT são tendências pelo país. O Rio de Janeiro, que além
de sediar alguns jogos da Copa do Mundo, sediará os Jogos Olímpicos, e já está
investindo alto no sistema BRT. A equipe do Portal Ônibus Paraibanos no Rio
de Janeiro
, com colaboração de funcionários da empresa Auto Viação
Jabour
e do Rafael Lucas C. Melo da Rio Ônibus, fez uma cobertura
exclusiva nesse sábado
(2) no corredor de BRT “Ligeirão
Transoeste”
, e vamos apresentar aqui nessa matéria exclusiva como
funciona o Transoeste, as estações, os modelos de ônibus presentes e muitas
fotos na íntegra, não deixem de ver.

Separaremos
essa matéria em quatro partes, são elas:
– Afinal, o que é BRT?
– Introdução sobre o BRT carioca
– Por dentro do Transoeste
– Modelos
– Imagens
– Afinal, o que é BRT? -> Como foi dito no começo, BRT é a sigla para Bus
Rapid Transit
, que numa tradução aberta significa Tráfego Rápido de
Ônibus
, e nada mais é que um sistema de transporte coletivo com ônibus
longos (articulados ou bi-articulados), ou em alguns casos
convencionais, que trafeguem por uma faixa exclusiva separados do restante do
trânsito. É um sistema de transporte eficiente, de fácil implantação e mais
barato do que uma implantação de um metrô por exemplo. Algumas cidades no
Brasil já possuem sistemas de BRT, e várias estão em obras como o BRT carioca
que falaremos aqui. Vale salientar que o primeiro BRT brasileiro foi o de
Curitiba, no Paraná, que foi implantado entre os anos 70 e 80.
A capital paraibana, João Pessoa, tem planos para
implantar seu sistema de BRT. Na verdade desde a década de 90 existe
projetos sobre um transporte coletivo de grande porte para João Pessoa, mas até
então só o que temos são algumas faixas exclusivas. Há quem considere que isso
seja BRT, mas o máximo que pode-se considerar sobre isso é que seria um sistema
de BRS (Bus Rapid System, ou Sistema Rápido de Ônibus), onde os
ônibus tem alguns trechos específicos, porém não totalmente separados.


Introdução sobre o BRT carioca ->
 O
sistema de BRT da Cidade Maravilhosa contará com quatro corredores, que já são
conhecidos como “ligeirões”,
sendo eles: TranscariocaTransbrasilTransolímpica e
Transoeste.
Esse último é o que falaremos nessa matéria, e até então é o primeiro corredor
praticamente concluído na maior parte de sua extensão.

Na
1ª fase, uma linha será extinta, mas até a fase 4, cinco itinerários deixam de
existir. São eles: 882 (Santa
Cruz-Barra da Tijuca)
, 876 (Vila
Kennedy-Alvorada)
, 877 (Campo
Grande-Alvorada)
, 897 (Pingo
D’Água-Alvorada)
 e
SP870 (Praia do Cardo-Bangu).
Outras 21 linhas de ônibus comum terão os seus trajetos reduzidos para se
tornarem alimentadoras do sistema BRT. São elas: 857, 858, SV858, 870, SV870,
871, 872, 873, 883, 878, 891, 896, 387, 853, SV853, 854, SV854, 882, 460S, 855
e 879. (Extraído de O Dia *)
Clique para ampliar. Mapa dos corredores BRT do Rio de Janeiro
No mapa acima podemos ver o esquema dos corredores BRT
do Rio de Janeiro. Em amarelo o corredor Transbrasil, que percorrerá a própria
Avenida Brasil; em vinho é o corredor Transolímpica, que ligará a Barra da
Tijuca e Recreio dos Bandeirantes à Deodoro e Magalhães Bastos; já em vermelho
o corredor Transcarioca, que ligará a Barra da Tijuca ao Aeroporto
Internacional Tom Jobim; e por último, em lilás, o corredor Transoeste que
falaremos na próxima parte.
– Por dentro do Transoeste -> O corredor de BRT
Transoeste será responsável pela ligação da zona oeste (Santa Cruz e Campo
Grande)
 com
a Barra da Tijuca. Será composto de 57 estações e seis linhas em toda sua
extensão, sendo duas dessas ligando o Terminal Santa Cruz ao Terminal Alvorada,
na Barra da Tijuca.
As duas linhas que farão o trajeto Santa Cruz X
Alvorada serão divididas em Parador (parando em todas as 31 estações) e Expresso (parando em apenas
11 das 31 estações)
. Treze dessas
estações irão funcionar 24 horas por dia, enquanto dezoito delas funcionarão
das 5 horas da manhã até 1 hora da madrugada. Para facilitar para a população,
a Rio Ônibus fixou dentro dos ônibus, que farão o trajeto expresso e parador, o
mapa com o nome das estações:
As estações do Transoeste não ficam de lado na história! Assim como
os ônibus que farão parte do sistema, as estações são totalmente novas, prontas
para receber a população em breve. Contarão com banheiros, monitores LCD
informando horários dos próximos ligeirões, cadeiras, seguranças, bilheterias,
funcionários para auxiliar passageiros, além de projetos que incluiriam
bebedouros e lanchonetes. Contam também com toda a acessibilidade para
portadores de necessidades especiais.
Os ônibus ligeirões não possuem cobradores, que serão
remanejados para bilheteiros nas estações. Assim como não possuem cobrador,
também não possuem catracas nos ônibus, já que o pagamento da tarifa será feito
antecipadamente nas próprias bilheterias das estações. Chegando o ônibus, basta
embarcar, facilitando e implantando mais agilidade nas viagens.
Para chegar nas estações e corredores principais,
haverão as linhas alimentadoras,
deslocando a população para o corredor de BRT para o embarque na linha
troncal
, que é o nome correto do
apelidado ligeirão. Para facilitar mais para os usuários cariocas, as linhas
alimentadores terão o “A” logo
após o código da linha, ficando por exemplo a linha “123A
– Exemplo / Terminal Alvorada”
,
onde o “A” no
final do número da linha significa “Alimentadora”.
– Modelos -> No
sistema troncal do BRT Transoeste rodarão apenas ônibus articulados. Todos
seguindo a norma da ABNT (NBR 15570) que
regulamenta apenas o uso de ônibus articulado com motor central ou
traseiro
, nesse caso possuindo
apenas chassi articulado com motor traseiro.
As empresas que operarão esse corredor são Auto
Viação Jabour
 e Expresso Pégaso.
Cada uma comprou carrocerias diferentes, porém combinaram no chassi, sendo
todos os articulados do Transoeste até agora com chassi Mercedes-Benz
O-500MA
. A Expresso Pégaso está
com a carroceria Neobus Mega BRT,
enquanto a Jabour entrou com o Marcopolo Viale BRT.
Vale salientar que o modelo “Viale BRT” não é a mesma coisa que Viale (versão
urbana comum, presente em grande número em João Pessoa por exemplo)
 e
também não é Gran Viale (versão articulada traseira / central ou padron do
Torino atual)
. Nas fotos abaixo, o Mega
BRT da Pégaso e o Viale BRT da Jabour, respectivamente:
Abaixo fotos internas do Mega BRT e Viale BRT, respectivamente:
Os ônibus possuem cerca de 19 metros, ar-condicionado,
piso na altura da estação, itinerários eletrônico frontais e laterais da marca
FRT no caso da Jabour e nos Mega BRT da Pégaso são da marca Neobus / Dimelthoz,
além de que consegue transportar tranquilamente 145 passageiros. O chassi O-500MA
da Mercedes-Benz, equipado com motor OM 457 LA na
parte traseira, possui 354 cavalos de potência, suspensão a ar e câmbio automático. O gerente
operacional do Consórcio Santa Cruz, Aldeir Lopes Pereira, mostra em vídeo mais
informações sobre esse ônibus. O vídeo pode ser visto abaixo:
– Imagens -> Aqui
para finalizar essa matéria iremos mostrar várias fotos. Nelas poderemos ver o
painel do motorista, as cadeiras e a articulação, fotos externas dos ônibus,
além de algumas fotos das estações do Transoeste. Confiram:
Estação Magarça

Motorista da Auto Viação Jabour, Rogério

Painel superior do Viale BRT, carro D86833 da Jabour

Interna da traseira de um dos Viale BRT da Jabour

BRT em testes com a companhia da equipe do Portal Ônibus Paraibanos em suas primeiras viagens experimentais no Túnel da Grota Funda, um dos trechos do BRT Transoeste
Visão interna do Mega BRT da Neobus
Não podemos deixar
de agradecer aqui ao Rafael Lucas C. Melo, da Rio Ônibus, que autorizou nossa
equipe a participar dessa viagem de teste do BRT Transoeste do Rio de Janeiro.
Agradecemos também aos funcionários da Auto Viação Jabour, em especial ao
motorista Rogério, que nos conduziu nessa experiência! Parabéns a todos que
fazem e farão o corredor BRT Transoeste do Rio de Janeiro!
Compartilhe esta matéria
ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.