Ônibus Paraibanos

Diplomata: a carroceria mais produzida no país

Fonte: Inbus Transport
 Matéria / Texto: Hélio Luiz de Oliveira
 Adaptação: JC Barboza

Diplomata 330 da Expresso Guarabirense
Diplomata tem a sua tradução na língua portuguesa como um pessoal que tem profissão à diplomacia, elemento pertencente ao quadro do serviço diplomático de um país e negociador hábil. A história da carroceria mais produzida no país, vem com um nome perpetuado em mais de 27 anos, celebrando a marca de 15,5 mil unidades rodoviárias (segundo a Nielson e Fabus)

Diplomata 350 da Cia. São Geraldo de Viação
Mas o batismo inicial teve inspiração de um modelo americano fabricado pela Flexble (que no final da década de 1960 era utilizado pela Expresso Brasileiro) que percorria estradas importantes como a Via Dutra em seu principal trecho. Peculiarmente tinha nas suas janelas inclinadas e elementos frisados a marca das Carrocerias Nielson, da cidade catarinense de Joinville.
Diplomata 2.50 da Gontijo
O primeiro Diplomata foi montado sobre um chassi LP-321 da Mercedes-Benz no ano de 1963, inaugurando assim um modelo de carroceria rodoviária de grande sucesso (com exemplares ainda circulando em várias empresas do país).
Diplomata Jô da Expresso Brasileiro
Outro inconfundível registro, era o tradicional teto rebaixado e os frisos traseiros das janelas (como que lembrando uma nave sideral, futurística como um protetor instalado na parte de trás do ônibus), fidelidade às linhas do similar norte americano e de chapeamento lateral totalmente frisado (as primeiras exportações dataram por volta de 1958). O Diplomata número um foi pintado com as cores da Companhia de Transportes Eroles Ltda de Mogi das Cruzes, SP. Numa completa parceria entre encarroçadora e cliente, estreando também no maior mercado de ônibus do Brasil.
Diplomata 2.60 da Viação Itapemirim
Diplomata 2.40
Jumbuss 360, o substituto do Diplomata
Juntos, Harold Nielson e José Eroles selavam uma fidelidade comercial, permitindo assim que outros empresários da época adquirissem um belíssimo exemplar com inovadora linha avançada de projeto. Das velhas e pioneiras jardineiras de madeira e de punho artesanal iniciado em 1946, os Nielson produziram vários Diplomatas para as mais importantes transportadoras rodoviárias (destaque para Itapemirim, São Geraldo, Gontijo). No ano de 1984 surge o maior Diplomata: o top 380 – segundo high deck nacional. No total foram nove modelos (entre eles: a versão Jô – de Joinville), 2.40, 2,50, 2.60, 310, 330, 350 e 380) de Diplomatas fabricados pela Nielson (apelidados carinhosamente de Nilsão ou Sete Quedas – este devido a sete quedas que  havia no teto do ônibus), que em 1990 passaria a se chamar Busscar. A carroceria apresentaria os novos Jumbuss e Elbuss – sinalizando a paralização da carroceria de ônibus que permaneceu mais tempo em produção no país.
Compartilhe esta matéria
ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.