BRT é apontado como solução para mobilidade em Fórum Internacional

Fonte: Canal do Ônibus
Por Gustavo Angimahtz

O modal BRT – Bus Rapid Transit – foi apontado como o melhor exemplo para reduzir os congestionamentos nas grandes cidades e melhorar a qualidade de vida dos cidadãos. A conclusão marcou o primeiro dia da edição brasileira do City Infrastructure Fórum, realizado no Hotel Renaissance, em São Paulo, entre 24 e 25 de abril. O objetivo do evento foi promover o diálogo entre as cidades, governos locais e nacionais, associações municipais, agências da ONU, agências multilaterais e o setor privado, para oferecer soluções de excelente custo-benefício que possam ser adotadas para os problemas de urbanização.

De acordo com o ITDP, Institute for Transportation and Development Policy, cuja representante, Helena Orenstein, mediou o painel “Congestionamento e controle de trânsito”, existem oito princípios de mobilidade sustentável para criar cidades mais sustentáveis, com menos emissões e com melhor qualidade de vida: andar a pé; usar a bicicleta; conectar as vias; transportar através de transporte coletivo; misturar moradia, cómércio, lazer e serviço; estabelecer correspondência entre a capacidade urbana e a capacidade do sistema de transporte; compactar as regiões; e promover mudanças. Como exemplo, foi citado o BRT implantado em Curitiba, pioneiro e modelo para a ONU e para cidades em todo o mundo.
No painel seguinte, “Como reduzir emissões e  manter as pessoas em movimento”, Adalberto Maluf, diretor de cidades da C40 em São Paulo – rede das maiores cidades do mundo -, citou Michael Bloomberg, o prefeito de Nova Iorque, com a frase “you can only manage what you can measure” (“só é possível administrar o que se pode mensurar” na tradução livre para o português). Maluf salientou que “construir vias para desafogar o trânsito é como comprar calças mais largas para enfrentar a obesidade”. Para o especialista em transportes, a solução está no BRT corretamente implementado e funcionando com veículos elétricos – trólebus.
Para Daniela Facchini, da Embarq Brasil, a solução também reside no modal, seja com propulsão elétrica ou híbrida. Adalberto Maluf ainda acrescentou que o BRT é a melhor solução com relação a custo-benefício, acessibilidade, e não necessita de grandes subsídios.
Após os painéis, Ieda Maria A. Oliveira, a gerente comercial da Eletra, empresa brasileira fabricante de trólebus e ônibus híbridos, explicou a tecnologia utilizada nesses veículos. Ieda ressaltou que corredores de ônibus no formato BRT, operando com energia limpa, são o “melhor jeito para transportar o maior número de pessoas, ocupando o menor espaço urbano com qualidade e sem poluir”. A empresa possui 38 veículos híbridos em operação no país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.
Os primeiros Jum Buss 360 da Gontijo Repasses de Busscar da UTIL para a Brisa Ideale 1440 da Paraíba Turismo Paradiso DD da Itabus Ideale da VIX Logística Paradiso DD da Fabbitur Paradiso DD da Martinele Transportes Ideale da Tursan Turismo Comil Svelto da Viper Transportes Cidades com Tarifa Zero