Coletivos de CG terão identificação biométrica

Fonte: Brejo.com

A partir do próximo dia 15 de maio os usuários de transporte coletivo de Campina Grande passarão a ter acesso à bilhetagem dos ônibus através do sistema biométrico, serviço que já é oferecido em cidades como São Paulo, Natal e Aracaju. Pelo menos é a expectativa do Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros (Sitrans), que, a partir dessa data, quer oferecer um serviço eletrônico mais moderno e eficiente do que o usado com cartão eletrônico de chip. Confira mais sobre essa mudança em Campina Grande aqui.

Segundo Anchieta Bernardino, presidente do Sitrans, 40% da frota de Campina Grande, que é de 200 veículos ativos e 20 de reserva, já está com a fiação pronta para que o novo aparelho possa funcionar. Ele acrescenta que os representantes do Sitrans estão em São Paulo participando de um treinamento para conhecer o novo sistema, e que o próximo passo será a atualização do software que será usado. “Nós iremos utilizar um software novo, que ainda precisamos fechar os valores, mas as máquinas serão adquiridas no sistema de comodato. Iremos pagar cerca de R$ 200,00 por cada uma para passar a oferecer esse novo serviço”, destacou Anchieta.
Para facilitar o serviço no número total de passageiros que durante o mês utilizam o Vale Mais por cerca de 2,5 milhões de vezes, Bernardino explicou que, no ato da compra dos créditos, os usuários deixarão sua impressão digital no sistema do Sitrans, que vai substituir o uso do cartão e possibilitará o acesso aos veículos. “É praticamente impossível a falsificação do cartão com chip. Mas, para evitar o uso do Vale Mais de terceiros, vamos implantar esse sistema, já que a impressão digital é única.
Faremos o registro do polegar do usuário e isso vai contribuir para que alguns problemas diminuam”, assegurou o presidente do Sitrans.
Os problemas citados por Anchieta apontam para o fim dos prejuízos para quem é assaltado e deixa de usar a recarga do cartão, maior dinâmica para aposentados e estudantes e, consequentemente, uma menor circulação de dinheiro nos veículos, o que contribui para a redução das chances de assalto.
“Quem é assaltado e perde o cartão, nem sempre consegue recuperar todos os créditos que tinha. E isso com o sistema biométrico não vai mais acontecer. Além de também facilitar o acesso aos estudantes e aposentados”, disse.

2 comentários em “Coletivos de CG terão identificação biométrica”

  1. Eles vão gastar uma puta grana pra tornar mais fácil burlar o sistema de bilhetagem (que era bem seguro com chips). Só não vou dizer as várias formas de burlar um sistema biométrico pra molecada não fazer, mas qualquer um com um pouco de criatividade e algum conhecimento básico de certas coisas é capaz de inventar uma maneira original de fazer isto.

    O fato é que algumas empresas de tecnologia são boas de marketing e as gerências de serviço de transporte público não são exemplo de competência. Mostre algo que faça parecer que podem ter maior controle sobre o acesso dos passageiros ao seu serviço e eles caem feito patos abatidos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 08/2021 Senior da PB Rio Apache Vip V da Viação Pendotiba Apache Vip V da N.S. Penha Vissta Buss 360 da 1001 Torino da Turp Transporte Viação Águia Branca estreia o Marcopolo G8 Apache Vip V da Transportes Flores Apache Vip IV da Auto Viação Vera Cruz Viação Águia Branca recebe os primeiros Marcopolo G8 Apache Vip IV da Viação Araçatuba Novos chassis rodoviários Volvo para longas distâncias