Ônibus lotados e viagens lentas denunciam falta de estrutura no transporte de JP

Fonte: ClickPB
Matéria / Texto: Ívyna Souto
Marcopolo Viale M-Benz OF-1722 da São Jorge
Utilizar ônibus com meio de transporte pode ser algo comum, mas não deixa de ser incômodo quando a pessoa precisa do transporte nos horários de maior movimento. A declaração é de Marta Sousa que mora no bairro Valentina de Figueiredo e trabalha em um laboratório no Centro de João Pessoa. O Portal ClickPB foi às ruas de João Pessoa para saber o que os usuários acham do transporte coletivo da Capital. A equipe entrou em um ônibus que faz o transporte de passageiro por vários bairros da zona sul da cidade. Confiram nessa matéria do Portal ClickPB mais informações!

O ônibus da empresa São Jorge, que faz a linha 2300 – Circular, passa pelos bairros Valentina de Figueiredo, Ernesto Geisel, Cristo Redentor, Rangel, Jaguaribe e Centro até chegar ao Varadouro, onde fica o Terminal de Integração e o veículo recomeça o trajeto, desta vez, passando pelos bairros Torre, Bancários e Mangabeira, chegando ao Valentina de Figueiredo.
No trajeto, muitos passageiros passam pelo transporte coletivo e nem sempre de forma confortável, como relata Marta Sousa. “Todos os dias é a mesma coisa, eu pego o ônibus perto do ponto final do Valentina e já tem bastante gente. Quando chega no Geisel, tem dias que não tem espaço sequer para ficar de pé, mas não para de subir gente. Está todo mundo indo trabalhar, então não tem o que fazer, tem que enfrentar isso tudo mesmo”.
Muitos passageiros reclamam dos engarrafamentos diários na saída do bairro Ernesto Geisel, quando o ônibus chega à BR-230 e faz um contorno para seguir pelo bairro Cristo Redentor. “É o trecho mais demorado, já cheguei a passar 25 minutos nesta parte do caminho, e neste horário (entre 7h e 8h da manhã) é o pior porque está todo mundo indo trabalhar, muitos carros e motos na rua, muito trânsito para todos os lados”, relatou uma passageira.
Desde que a equipe do ClickPB subiu no ônibus no Geisel, passaram 35 minutos até o ônibus chegar no Centro de João Pessoa. Marta Sousa desceu na parada do Parque Sólon de Lucena e seguiu para o seu trabalho. “Só quando chega aqui na Lagoa é que o ônibus fica meio vazio, isso porque tem gente que trabalha em outros bairros mais distantes e só descem na Integração”, finalizou Marta antes de descer do transporte coletivo e seguir para seu trabalho.

3 comentários em “Ônibus lotados e viagens lentas denunciam falta de estrutura no transporte de JP”

  1. O itinerário do 2300 dura duas horas em horário de menor trânsito. Os pontos de maior lotação do 2300 acontecem no Cristo/Rangel de manhã, Mangabeira no final da tarde, e de fato chega mais vago no Geisel. A linha leva em média entre 15 e 20 minutos para chegar do Geisel até o Centro (e mesmo que o trânsito fosse carregado nesses pontos, esse itinerário não é feito em 35 minutos como a matéria diz).

    Isso é fato para quem usa o 2300. Agora se o problema é a linha, e a estrutura que não é culpa da atual gestão, mas também de várias e várias e várias, isso não ficou esclarecido na matéria, ou seja, a equipe do site que a formulou não encontrou muita coisa na linha 2300. O foco da matéria vai muito no trânsito que ele pega no trecho citado e isso independe da linha: o 202 também passa nesse local.

    E pegar do Geisel até o Centro não é suficiente para se avaliar o 2300 por inteiro. É mais fácil avaliar a partir desses locais que citei acima, e aí posso dizer que o título justifica a matéria, o que lendo-a e conhecendo o 2300, foi feita de maneira insuficiente. Podiam ter feito da Integração até o Valentina, onde os problemas da mesma são mais aparentes.

    Palavra de quem já fez o itinerário completo e sabe que problemas existem.

  2. @Josivandro->

    Eu também achei, a 2300 é linha circular e bem extensa, avalia-la só de um bairro pra o centro não é algo tão completo.
    Porém a matéria foi transcrita de outro site, mas vou receber sua dica para mim caso um dia eu faça alguma matéria parecida, pra não cometer o mesmo erro hehehehe

  3. Minha resposta anterior (que aparece como removida) seria o texto abaixo, mas como a página de respostas é preta com texto preto, ninguém iria compreender. Agora sim, transferindo…

    Tanto que a referência que fiz no comentário foi ao ClickPB. Não é a primeira vez que eles fazem uma matéria sobre transporte coletivo sem analisar direito a linha (caso do 3200 que comentei anteriormente). Acho que o pessoal do Click não anda de Circular (ou não sabe que a linha tem um estilo de funcionamento diferente de uma radial).

    E até porque, vocês tratam nas matérias próprias os assuntos com propriedade, conhecimento de causa e racionalidade. Tá aí a matéria da acessibilidade (em destaque na página principal) que não deixa mentir. Para um assunto conseguido no acaso, a matéria saiu muito, mas muito melhor do que como seria publicada em um portal de notícias, pelo texto e material. Estão de parabéns!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

ATENÇÃO: Este conteúdo é protegido.
Como ficariam os ônibus urbanos da Itapemirim? Relíquias do Museu da Itapemirim O amor pede passagem Busscar El Buss da Auto Viação 1001 Número das vendas e exportações de carrocerias de ônibus – 04/2021 Montagens de modelos com o layout da Nacional e Continental O Apache Vip na frota metropolitana da Grande João Pessoa O Apache Vip na frota municipal de João Pessoa Apache Vip da Util Renovação de frota na Boa Esperança