História da linha 120 – Valentina

Matéria por Kristofer Oliveira
, com colaboração de Josivandro Avelar
Voltamos com uma matéria do tipo que nossos visitantes mais curtem aqui no Portal OnibusParaibanos.com: as matérias históricas sobre os ônibus! Trazemos um pouco do processo histórico da linha 120 – Valentina. Nesse texto de importância e conteúdo histórico sobre parte do transporte público de João Pessoa, veremos a história da linha 120 através de Perfil do Bairro, História da 120 e as Linhas Ramificadas da 120, além de um vestígio que restou da 120 encontrado e fotografado em Lucena. Confiram agora com exclusividade nessa matéria!
Na imagem, um clássico CAIO Gabriela da Etur em uma das curvas do “Cuiá”

Perfil do Bairro
Sendo mais um bairro pessoense a receber o “batismo militar”, o nome é uma homenagem a mãe do ex-presidente do Brasil João Figueiredo. Foi fundado em 1984 e localiza-se na zona sul pessoense, vizinho aos bairros de Mangabeira e Geisel. É o bairro que mais vem se expandido dentro da cidade ocupado por diversos loteamentos nomeados de Paratibe, Muçu Magro, Boa Esperança (sendo esses três os mais antigos e praticamente já são bairros próprios), Parque do Sol , Nova Mangabeira e Cidade Maravilhosa.
Atualmente possui cerca de 50.000 habitantes. Possui comércio, hospitais, templos religiosos e importantes instituições de ensino, a exemplo do Fundação Bradesco e das faculdades de enfermagem e medicina Facene/Famene.
História da 120
Como o bairro foi fundado oficialmente em 1984, na certa a linha do Valentina também foi fundada na mesma época.
Imagem de 1986, antes dos códigos numéricos das linhas entrarem em vigor
Em 1986 quando as linhas de João Pessoa receberam códigos, passou a ser representada pelo “111”.
Valentina nos tempos da 111
Posteriormente, desconhecendo o motivo, foi renumerado para 120. A Etur foi a primeira empresa a operar a linha do Valentina.
Etur operando a 120 em 1990. Detalhe para o itinerário que diz: “Valentina de Figueiredo”
Em 1991, após mais uma fragmentação da Etur, a Boa Vista que acabara de ser fundada, assumiu a linha, permanecendo até 2002.
Boa Vista, a empresa que mais tempo operou a 120; na foto, um Busscar Urbanus I de prefixo 03342 na década de 90. Avenida Cruz das Armas.
Com a São Jorge adquirindo a Boa Vista em 2002, mais uma vez a linha mudou de empresa. Porém, em menos de quatro anos pela frente, a 120 como era conhecida seria sepultada, assim como a irmã 519, após ambas serem fundidas ficando como 1519 e 5120, fato consumado em fevereiro de 2006.
O hiato da 120 durou quase meia década, pois ela foi ressuscitada em janeiro de 2011. Porém, retornou com um itinerário diferente e sem o glamour de outrora, mas não deixou de ser uma linha importante, uma vez que passou a ser linha radial para os loteamentos do Parque do Sol, Cidade Maravilhosa e Boa Esperança.
Retorno da 120 em 2011, atualmente com a Viação São Jorge
Linhas ramificadas da 120
Como quase toda linha principal de um grande bairro, a 120 foi responsável por criar outras dentro do Valentina. Dentre essas linhas, a 519 surgiu mais por uma necessidade do que uma ramificação direta, pois seria a forma mais fácil de atender a demanda para a Ep Pessoa, Unipê e a UFPB. E depender das linhas 1500 e 5100 não era nada interessante, ainda mais que ambas não passam na Unipê.
Nos anos 90, com a expansão do bairro, a 120 se tornaria insuficiente para atender a demanda. E esse detalhe, somado as constantes quebras dos ônibus da Boa Vista, foram os principais problemas marcantes das linhas do Valentina. Para amenizar a situação, algumas linhas radiais dessas áreas de expansão foram criadas, a exemplo das linhas:
118 – Valentina via Paratibe (durou pouco mais de um ano)
119 – Valentina via Sonho Meu (durou pouco mais de um ano também)
121 – Valentina via Sonho Meu (a 119 ressuscitada, na qual durou pouco tempo também)
Linha 119 no Terminal de Integração do Valentina. Na foto, o carro 03391, o lendário e real CAIO Vitória conhecido como “carro-de-boi”, por possuir apenas uma fileira de cadeiras de cada lado, para transportar mais passageiros
Um dos motivos para a desativação dessas linhas foi a criação do primeiro terminal de integração de João Pessoa, no Valentina, administrada pela Boa Vista. Com isso, linhas integracionais foram criadas das áreas de expansão até esse terminal, integrando-as com as linhas 120, 519 e a circular 2300. Um exemplo delas foi a I008 – Paratibe, na qual seria desnecessario manter ativa a radial 118.
Dessas linhas, apenas a 118 foi reativada após a desativação da 120 em 2006. Mas isso será assunto para a postagem específica da 118.
Vestígio da 120 existente atualmente
Em Lucena é possível ver na lona desse CAIO Vitória sobre chassis OH-1315 da Mercedes-Benz que ele pertenceu a Etur e certamente quando foi vendido, sua última linha operada foi a 120, ou então foi trocada por alguém após a venda.
Verdes Mares Turismo. Claramente e sem deixar dúvidas, um ex-Etur que operou na 120

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Este conteúdo é protegido.