Estudantes nas ruas contra o aumento tarifário – 2º Dia

Para fechar o ano com chave de bronze para a população, e com chave de ferro enferrujado para as empresas de ônibus da Grande João Pessoa, houve mais um protesto nas ruas. Como vocês viram na postagem anterior (mais abaixo), o DCE, juntamente com alguns estudantes secondaristas e também com a população trabalhadora, foram se juntando nas ruas para protestar contra o aumento. Nesse do dia 29 de Dezembro de 2010, ficou combinado de, no dia seguinte (30), haveria outra manifestação.
E nesse dia 30, compareceram mais pessoas que no dia anterior. Estava marcado o encontro na Integração do Varadouro às 14:00 hs, e os primeiros manifestantes chegaram por volta disso; invadiram a integração depois de portões fechados por uns 10 minutos, e assim, começaram com a panfletagem e a conscientizar a população, que mal sabia diga-se de passagem, do tal aumento.
Os primeiros chegaram, e decidiram dar uma volta na integração, segurando cartazes e apitando, enquanto uma Kombi com som ficava arrudeando também. Logo ao chegarem no portão da frente, os guardas fecharam, e quando os manifestantes foram para o portão de saída, os guardas decidiram, como ontem, fechar os portões:

Portões fechados: engarrafamento na certa!

Mas não demorou muito e os portões tiveram que ser abertos, e logo os estudantes entraram pelo portão, e começaram a distribuição de panfletos. Se concentraram lá dentro, e começaram a gritar palavras de ordem:

Primeiros manifestantes a chegarem

Aqui alguns dos gritos de ordem, dito pelo grupo:
“Aumento não! Abaixo a exploração!”
“Não vou pagar, não vou pagar; eu não sou filho de marajá!”
“A AETC diz que tem-tem-tem, compromisso-sô, social-al-al; é mentira-ra, da AETC-C-C; ela trata os usuários muito mal, MUITO MAAAAL!!!”
“Aumento da passagem, é uma sacanagem!”
“Se a passagem aumentar, a cidade vai parar!”
“Nas ruas, nas praças, quem disse que sumiu? Aqui está presente o movimento estudantil!”
“Boi boi boi, boi da cara preta; se aumenta a passagem, a gente pula a roleta!”
“Pode chover, pode molhar; mas a passagem tem que abaixar!”

Dentre outros foram alguns dos gritos de ordem que embalaram o manifesto. Saindo da integração, fizeram o mesmo trajeto do dia anterior (29/12/10), indo em direção ao Paço Municipal:

Em rumo ao Paço Municipal…

Pelo caminho, os manifestantes receberam o apoio de grande parte da população, indignada com o aumento, que passava pelas ruas, recebendo os panfletos e dizendo coisas como “É isso aí” ou “Bota pra descer nessa po*ra”.
Ao chegar no Paço Municipal, o grupo manifestante ficou ocupando algumas faixas da Avenida Guedes Pereira, parando os ônibus para distribuir os panfletos, e também colocando nos para-brisa dos ônibus:

Detalhe para os panfletos no para-brisa

Alguns motoristas ajudavam os estudantes, parando os ônibus rapidamente enquanto distribuiam os panfletos, pois muitos compreendiam bem o motivo do manifesto; já outros paravam na marra. Os motoristas dos ônibus intermunicipais, de empresas como Wilson, Almeida e Santa Rita, era os que mais davam força ao protesto. Agradecimentos já aqui a eles pela compreensão.
Pelo que eu vi e registrei, 2 ônibus foram pichados, e 1 levou uma ovada. A ovada foi muito de surpresa, pois tinha manifestantes perto dos ônibus que também se assustaram. Um dos membros do manifesto reclamou do tal ato do ovo, pois isso poderia pegar em algum passageiro, e não era esse objetivo, e assim, poderiam se virar contra o manifesto. Aqui foto dos 2 ônibus pichados, sendo a segunda foto o que levou a ovada:

Um dos trucados do primeiro lote da cidade, pichação na saia lateral com os dizeres: “AUMENTO NÃO”

Pichação com os dizeres “AUMENTO NÃO” e ovo estourado escorrendo

A Polícia Militar também esteve, ficaram do outro lado da avenida olhando o movimento, para intimidar qualquer ato de vandalismo:

Os estudantes mostraram pra quê foram, e saíram pelos pontos de ônibus conscientizando os usuários sobre o motivo do manifesto e sobre o aumento de R$ 1,90 para R$ 2,10, um aumento de 10,5 %, resultando de 20 centavos, o que por dia (ida e volta), totaliza 40 centavos, que na semana totaliza 2,00 R$, totalizando no mês todo uma média de 8,00 R$, fazendo com que o trabalhador tenha 40 pães a menos na mesa, ou cerca de 3 refrigerantes de 2 litros a menos, ou 120 rodelas de mortadela a menos, ou 9 biscoitos recheados, ou 16 Cremosinn que poderiam ser chupados na Integração enquanto se espera o ônibus, tudo isso ao mês, resultando em 96,00 R$ ao ano a menos no bolso do trabalhador. E mesmo embaixo da leve e breve chuva, os manifestantes estavam lá conscientizando a população:

“Pode chover, pode molhar; mas a passagem tem que abaixar”, diziam os manifestantes

A superintendente da STTrans, Laura Farias, que tinha marcado a reunião com alguns representantes do DCE, se atrasou por 30 minutos. Mas a população continuou pressionando do lado de fora, na rua, bloqueando trânsito, entregando panfletos e dando os gritos de ordem. A superintendente, segundo relatos dos representantes, estava querendo toda hora se ausentar da reunião. A população continuou pressionando, e entrou no estacionamento do Paço Municipal:

Grupo nos fundos do Paço Municipal

Algum dos GMs (Guarda Municipal) parece que foi dizer que os manifestantes estavam quebrando tudo lá embaixo, e foi chamado de mentiroso por todos lá embaixo. A superintendente quis que os manifestantes ficassem do lado de fora, e assim foram lá para fora, continuar pressionando e chamando atenção da população:

Apenas uma faixa aberta para todos os veículos

Estudantes aglomerados nas escadarias

O grupo manifestante recebeu o apoio da população nos ônibus e nos carros, que aplaudiam de dentro dos respectivos veículos e faziam um buzinaço para chamar mais a atenção. Um dos carros que apoiou o movimento, foi praticamente atropelado por um motorista de ônibus. O carro teve o para-choque arrancado, e o ônibus foi embora. O grupo conseguiu anotar a placa e o número de ordem do tal ônibus. Aqui como ficou o carro do cidadão de bem, que por sinal estava na faixa correta e foi invadida pelo ônibus, fora de sua respectiva faixa:

Logo após a reunião, que não teve ao certo alguma definição exata, os estudantes se reuníram na frente para informar como foi a tal reunião. Ficou marcado para nesse dia 31, último dia do ano, um pequeno manifesto no Busto de Tamandaré até as 22:00 hs, e depois ocorrerá tudo normalmente. E segunda-feira, o grupo se reunirá para decidir os novos manifestos até que se congele o aumento.
Para voltar, o grupo saiu pelos pontos de ônibus, convidando a população para entrar na Integração de graça. O grupo aumentou mais ainda, com cerca de 300 pessoas, e todos entraram. Um grupo ficou avisando ao pessoas que estava nas catracas para arrudear e não pagar a passagem, e dito e feito, as pessoas arrudearam e entraram:

“Convidamos a população, a entrar na integração”, diziam os manifestantes

Portão de saída da integração já tomada

Aglomeração logo na saída do terminal

Um dos Guarda Municipal presente, decidiu mostrar toda sua coragem (que não mostrou para os 300 logo do começo) em 3 mulheres que vinham mais atrás. Ele negou a deixar elas entrarem, mas os estudantes foram pressionar, e elas acabaram entrando também. A foto embaçou, mas está aí o registro do empurra-empurra:

Empurra-empurra porque um GM quis barrar 3 mulheres a entrar junto

Bom pessoal, foi isso que ocorreu. Espero que tenham gostado dos registros que fui fazer lá, e acompanhar e procurar saber como ocorreu toda a movimentação. Essa é a última matéria do ano, ano esse primeiro que o Blog Rockerrbus existe, e vamos firme e forte para o ano que vem.
Desde já, deixo aqui os votos de Feliz Ano Novo para todos, muitas felicidades e moderem nas farras das confraternizações (isso para os que farram hehehehehe). Feliz Ano Novo, prosperidade e sucesso!
Até a próxima postagem, amigos visitantes, obrigado pela sua presença;
contato? dica? sugestão? crítica? Clique aqui e veja como nos contatar.
________________________________

Participem da comunidade no Orkut que leva a busologia paraibana em primeiro lugar
CLIQUE AQUI E PARTICIPE JÁ!

2 Replies to “Estudantes nas ruas contra o aumento tarifário – 2º Dia”

  1. diamantino disse:

    E UM BANDO DE URUBU SOR POR CAUZA DE 2.10R$ ELE FAIZ ESSA CAXORADA PIOR E NO RJ QUE E 6.00R$ E VARIADA.

  2. @diamantino->

    Obrigado pelas suas constantes visitas ao Blog. Vejo que estás sempre presente nas postagens, muito obrigado mesmo.

    Bom, respondendo a esse seu comentário:
    http://img210.imageshack.us/img210/4329/rediamantino.jpg

    Quem gosta muito de comparar a passagem daqui de João Pessoa com outros estados, assim como você está fazendo, é a AETC. Sim, João Pessoa tem a passagem a 1,90, enquanto outras cidades é 2,50, 3,00, etc… mas também tem que notar bem o tamanho das cidades.

    Comparar João Pessoa com Rio de Janeiro é exagero, assim como comparar com Recife, São Paulo, BH, etc. Em Recife, por exemplo, é 2,80, mas também tem metrô integrado, mais de 10 terminais de integração, meia passagem para todos no fim-de-semana e muitas outras vantagens; enquanto em João Pessoa não temos metrô, nem integração real com cidades da região metropolitana, e muito menos meia passagem nos fins de semana, e sim, frota reduzida…

    1,90 já é caro para uma cidade do tamanho de João Pessoa, com percusos pequenos, e com um IPK (índice de passageiros por kilômetro) altíssimo, imagine 2,10… parece pouco um aumento de 20 em 20 centavos, mas em 6 anos o preço dobrou, só nesses aumentinhos de centavo em centavo… há 6 anos, a passagem inteira custava 0,95, enquanto atualmente, 95 é a meia, custando 1,90 a inteira.

    Espero ter esclarecido alguns pontos a serem debatidos na tarifa pessoensse.

    Obrigado pelos comentários
    abraços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Este conteúdo é protegido.